Banner Portal
A política educacional francesa em foco: um breve estudo sobre o processo de descentralização da educação na França
PDF

Palavras-chave

França. Educação. Descentralização. Desconcentração. Liberalismo. Reestruturação

Como Citar

BITAR, Marcelo Saber. A política educacional francesa em foco: um breve estudo sobre o processo de descentralização da educação na França. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 17, n. 2, p. 175–194, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643634. Acesso em: 14 jul. 2024.

Resumo

A partir dos anos 80, a maioria dos países do globo passou por grandes mudanças na sua estrutura de governo. Por influência de países claramente liberais, como os EstadosUnidos e a Inglaterra, o mundo, ou grande parte dele, passou por um processo de reestruturação em suas estruturas governamentais. Não é surpresa para ninguém que a América Latina sofre desse mal há várias décadas. Entretanto, países mais desenvolvidos como os europeus começaram a reagir positivamente a essa pressão liberal. A França é um desses países. Historicamente centralizador, o governo francês tem sucumbido à pressão “liberalizante” dos Estados-Unidos e Inglaterra. Parte da sociedade francesa e dos atores diretamente envolvidos nesse processo de mudança reagem energicamente. Entretanto, desde o governo Mitterand, a França e o Estado protecionista francês começaram a caminhar para um processo de reestruturação de suas funções. As palavras descentralização, desconcentração, liberalização e liberalismo têm tido lugar marcado no debate social francês desde então. Resta saber o grau dessa mudança. Como mestrando na França entre 2003 e 2004, estudei parte desse processo de mudança. O presente artigo é parte integrante de um estudo mais aprofundado sobre a política de descentralização da educação nesse país.

Abstract:

Since the 80s, most countries around the globe have been going through great changes in their government structures. Influenced by clearly liberal countries like the United States and England, the world, or a great part of it, has been undergoing a process of revamping its governmental structures. It’s not surprising to anyone that Latin America has been suffering this harm for decades. However, more developed countries like the European ones have started to react positively to this liberal pressure. Historically centralizing, the French government, for example, has started to succumb to the “liberalizing” pressure from the United States and England. Part of French society and some French actors directly concerned with this changing process are reacting energetically. However, since the Mitterand government, France and the French protectionist State started to go towards a process of restructuring their functions, and words like decentralization, deconcentration, liberalization and liberalism have been constantly present in French debates ince then. The extent of this change is still unknown. As a masters student in France in 2003 and 2004, I studied part of this change process. This article is part of a deeper study about the politics of decentralization of education in that country.

Key words: France. Education. Decentralization. Deconcetration. Liberalism. Restructuring

PDF

Referências

ALMEIDA, Maria Hermínia Tavares. Federalismo e Políticas Sociais. São Paulo, Fundap, 1996, mimeo.

ALVES PINTO, Marcio Percival. São Paulo e os Anos 90: mudanças das relações intergovernamentais, ajuste fiscal e o declínio do poder público. 2002. Tese (Doutorado) – Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP, 359p.

BRUNHES, Bernard. Moderniser l’État, moderniser le service public. Futuribles analyse et prospective, n.287, juin 2003, p. 29-41.

CROZIER, Michel ; THOENIG, Jean-Claude. La régulation des systèmes organisés complexes. Le cas du système de décision politico administratif local en France. Paris: R. Français de sociologie XVI, 1975.

DELCAMP, A. La décentralisation française et l’Europe. Pouvoirs, n.60, janvier, 1992, p.149-160.

DEMAILLE, Frank; AMANS, L. Enseignements de vingt ans de décentralisation. Revue Problèmes économiques, n.2824, setembro de 2003, p.1-5.

DUDERCQ, Y. La politique française de décentralisation. Revue Regards sur l’actualité, n.293, agosto/setembro de 2003, p.17-28.

DURAN, Patrice; THOENIG, Jean-Claude. L’État et la Gestion Publique territoriale.

RFSP, v.46, n.4, agosto de 1996, p.580-623.

DURKHEIM, Émile. De la division du travail social. Paris: P.U.F., 1893, 416p.

HUREAUX, Roland. La décentralisation contre le libéralisme. Revue Problèmes économiques, n. 2824 (n. spécial), setembro de 2003, p. 5-8.

MENY, Yves. Centralisation et Décentralisation dans le Débat politique Français (1945- 1969). Paris: Bibliothèque Constitutionnelle et de Science Politique, 1974, 536p.

MENY, Yves. Le système politique français. Paris: Clefs, 1999, 169p MICHEL, Alain. Une école pour un monde nouveau. Revue Futuribles analyse et prospective, n.252, abril de 2000.

MULLER, P.; SUREL, Yves. L’analyse des politiques publiques. Paris: Montchrestien, 1998, 156p.

NEUBAUER, Rose; CRUZ, Neide. Descentralização das Políticas Sociais no Estado de São Paulo. In: BARROS SILVA, Pedro Luiz (dir.). Descentralização e políticas Sociais. São Paulo: Fundap, 1996, p.15-39.

POPKEWITZ, Th.S. Sociologia politica de las reformas educativas. Madrid: Ed. Morata, 1994, 295p.

SABER BITAR, Marcelo. A descentralização da educação pública no Estado de São Paulo e um breve estudo de caso do município de Vinhedo. Pro-Posições, v.14, n.2 (41) – maio/ago. 2003 Faculdade de Educação – Unicamp, p.91-101.

SABER BITAR, Marcelo e LISBÔA ROMÃO, Frederico. Emprego/desemprego no Brasil.m Leituras de Economia Política, n.9, dezembro 2001, Unicamp, SP, p. 91-101.

VAN ZANTEN, Agnès. Lieu d’habitation et offre scolaire. Informations sociales, n.123, 2005, p. 66-73.

VAN ZANTEN, Agnès. Les politiques d’education. Que sais-je. Paris, 2003, 126 p.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.