Banner Portal
Percorrendo o labirinto1 : trabalho, relações intersubjetivas e a saúde de professores/as de uma escola pública
PDF

Palavras-chave

Educação. Organização do trabalho. Trabalho docente. Saúde. Doença

Como Citar

MASCARELLO, Marinete Rosa Pereira; BARROS, Maria Elizabeth Barros. Percorrendo o labirinto1 : trabalho, relações intersubjetivas e a saúde de professores/as de uma escola pública. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 17, n. 2, p. 211–231, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643636. Acesso em: 16 jun. 2024.

Resumo

Este estudo qualitativo aborda as estratégias inventivas que professores/as de uma escola pública de Vitória, Espírito Santo, utilizam para lidar com a precariedade das situações de trabalho. Pesquisa as vivências de prazer e sofrimento dos/as docentes, com ênfase nas ações que apontam a recriação da atividade que implica resultados para o trabalho e para o processo de saúde dos sujeitos. Utiliza como estratégias de pesquisa a cartografia e a vivência institucional no cotidiano da escola, entrevistas semi-estruturadas individuais e registros em diário de campo. A pesquisa constata a instituição de diversas estratégias que subvertem as normas prescritas e a precariedade das condições de trabalho, como as relações intersubjetivas que instituem sistema de cooperação entre vários docentes que se integram em projetos comuns, e relações mais próximas e afetivas com o alunado, para facilitar o processo de aprendizagem, produzindo prazer e saúde em sua atividade

Abstract:

This qualitative study is intended to show the inventive strategies that teachers in a public school in Vitória, State of Espírito Santo, Brazil, utilize to deal with the precariousness of their working situations. A study was developed about teachers’ experiences of pleasure and suffering, emphasizing actions which indicate the re-creation of activities leading to results in the individuals’ working and health conditions. Cartography, institutional of the school daily routine, semi-structured individual interviews and records in a field diary have been used as research strategies. The research has verified the institution of several strategies which subvert the prescribed rules and the precariousness of working conditions. These strategies include inter-subjective relations that establish a system of cooperation among several teachers who participate in common projects and closer and tenderer relationship with students in order to facilitate the learning process, producing pleasure and health in their activities.

Key words: Education. Working organization. Teachers’ work. Health. Illness

PDF

Referências

BRITO, J. C. de. Saúde do trabalhador: Reflexões a partir da abordagem Ergológica. Rio de Janeiro: [s.n.], 2003.

CANGUILHEM, G. O normal e o patológico. 3.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1990.

CANGUILHEM, G. Meio e normas do homem no trabalho. Revista Pro-Posições, Faculdade de Educação/Unicamp, Campinas, v. 12, n. 2-3, p. 56-74, 2000.

DEJOURS, C. et al. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1994.

DEJOURS, C. Cooperação e construção da identidade em situação de trabalho. Tradução de Anísio José S. Araújo. Futur Antérieur, Paris, n. 16, p. 41-52, 1993.

DEJOURS, C. O fator humano. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.

DEJOURS, C. O sofrimento no trabalho. Revista Critique Communiste, Paris, n. 158, 1998.

GOMES, L. Trabalho multifacetado de professores/as: a saúde entre limites. 2002.123 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2002.

HECKERT, A. L. Narrativas de resistências: educação e políticas. 2004. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2004.

LOPES, J. R. A escola como espaço social, prática pedagógica e processo de trabalho: reflexões. Revista Pro-Posições, Faculdade de Educação. Unicamp: v. 1, n. 5, p. 23-34, 2000.

MINOTAURO. Disponível em: <http://molimpo2.sites.uol.com.br/minotauro. htm> . Acesso em: 18 dez. 2003.

NEVES, M. Y. R. Trabalho docente e saúde mental: a dor e a delícia de ser (tornar-se) professora. 1999. 277 f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) – Programa de PósGraduação em Psiquiatria, Psicanálise e Saúde Mental, Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

ROLNIK, S. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. São Paulo: Estação Liberdade, 1989.

SANTOS, E. H. Ciência e cultura: uma outra relação entre saber e trabalho. Revista Trabalho & Educação, Belo Horizonte, n. 7, p. 19-30, 2000.

SCHWARTZ, Y. A abordagem ergológica do trabalho e sua contribuição para a pesquisa em administração. Comunicação oral apresentada no Seminário Internacional de Administração, Vitória, UFES, 2003.

SCHWARTZ, Y. Comunidade ampliada de pesquisa e o regime de produção de saberes. Tradução de Eloísa Santos e Daisy Cunha. Marseille, França: Catéis, 2000.

SCHWARTZ, Y. Disciplina epistêmica, disciplina ergológica: Paideia e Politeia. Revista Pro-Posições, Faculdade de Educação. Unicamp, n. 1(37), jan./abr. 2002.

SCHWARTZ, Y. Os ingredientes da competência: um exercício necessário para uma questão insolúvel. Revista Educação e Sociedade, ano XIX, n. 65, dez. 1998.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.