Banner Portal
A recuperação do ensino básico: Mecanismo de aprendizagem ou discriminação?
PDF

Palavras-chave

Recuperação. Progressão continuada. Avaliação. Ensino e aprendizagem

Como Citar

QUAGLIATO, Maria Francisca Teresa. A recuperação do ensino básico: Mecanismo de aprendizagem ou discriminação?. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 11, n. 3, p. 26–33, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8644021. Acesso em: 23 maio. 2024.

Resumo

O texto trata da questão de como a recuperação continua sendo um recurso que as escolas estaduais dispõem para "melhorar" o desempenho dos seus alunos. Quase 50% dos alunos que freqüentam a Educação Básica necessitariam ser encaminhados às aulas de recuperação, ministradas em horário diverso ao que o aluno estuda, ou entre os períodos da manhã e tarde (das 12 às 13horas), acrescentando-se, assim, mais três horas/aula à carga horária semanal do aluno. São cinco meses (abril, maio, setembro, outubro e novembro) de trabalho para "sanar" as dificuldades existentes. Colocar em prática essas atividadesvem se constituindo em um grande problema. Apesar dos esforços, a escola está longe de encontrar soluções para organizar o espaço físico para atender os alunos, encontrar professor habilitado para ministrar essas aulas, contar com a co-responsabilidade dos pais para que o aluno compareça às aulas de recuperação e, o mais importante, descobrir realmente a "dificuldade" do aluno e "recuperá-Io".

Abstract:

The text is about the subject of as the recovery it continues being a resource that the srate schools dispo se "to improve" the its student's acting. Almost 50% of the students that frequent the Basic Education would need to be guided to the recovery administed classesin several schedule to the student studies or among the periods of the morning and afternoon (of the 12 at the 13 hours), being increased like this, more three hours/ class to the student's weeklyhourly load. They are flVemonths (April,May,September, October and November) of work to heal the existent difficulties. To place in practice those activities comes if constituting in a great problem. ln spite of the efforts, the school is far away from finding solutions to organize the physical space to assist the students and to find qualified teacher for to minister those classes,to count with the parent's co-responsibility so that the student attends the recovery classes, and the most important, to reallydiscover the student's "difficulty" and "to recover it".

Word-keys: Recovery. Continuous progression. Evaluation. Teaching and learning

PDF

Referências

Abramowicz,A. e Moll,J. (1997) Paraalémdofracassoescolar.Campinas: Papirus.

Brasil. Lei n° 5692, 11-08-71. Fixa diretrizes e bases para o ensino de 1° e 2° graus e dá outras providências.

Brasil. Parecer CFE n° 2164,06-07-78. Recuperação de estudos prevista pela Lei 5692/71.

Brasil. Lei nO9394, 20-12-96. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Introdução aos parâmetros curriculares nacionais/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília:MEC/SEF, 1997.

Catani, D. B. el alii. (1986) Universidade,escolaeformaçãodeprofessores.São Paulo: Editora Brasiliense.

Coll, C. el alii. (1996) O construtivismona sala de aula. São Paulo: Ática.

Demo, P. (1997) A novaWB: Rançose avanços.Campinas: Papirus.

Freire, P. (1987) Pedagogiado opninido.Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Hoffmann, J. M. L. (1991) Avaliação- mito e desafio:Umaperspectivaconstmtivista.Porto Alegre: Mediação.

. (1993) Avaliação mediadora: Uma prática em construçãoda pré-escola à universidade. Porto Alegre: Educação & Realidade.

. (1998) Contose contrapontos:Do pensarao agirem avaliação.Porto Alegre: Mediação.

Lüdke, M. e Mediano, Zélia. (coords.) (1994) Avaliaçãona escolade ,. grau: Uma análisesociológica.

Campinas: Papirus.

Paro, V. H. (1996) Administraçãoescolar:Introduçãocritica.São Paulo: Cortez.

São Paulo. Deliberação CEE n° 9, homologada pela Resolução SE, 04-08-97. Institui, no Sistema de Ensino do Estado de São Paulo, o regime de progressão continuada no ensino fundamental.

São Paulo. Deliberação CEE n° tO, homologada pela Resolução SE, 03-09-97. Fixa normas para elaboração do regimento dos estabelecimentos de Ensino Fundamental e Médio.

São Paulo.Indicação CEE n° 01,30-01-72. Indica-se ao Conselho Estadual de Educação a expedição de normas para elaboração do currículo pleno da escola de 1° grau.

São Paulo. Indicação CEE n° 8, 30-07-97. Anexa à Deliberação CEE n° 9. Regime de progressão continuada.

São Paulo. Indicação CEE n° 22, 17-12-97.Avaliação e progressão continuada.

São Paulo. Indicação CEE n° 5, 15-04-98. Conceito de recuperação.

São Paulo.Comunicado SE, 22-03-95.Diretrizes educacionais para o Estado de São Paulo no período de janeiro de 1995a 31 de dezembro de 1998.

Secretaria de Estado da Educação. Resolução SE n° 20, 05-02-98.Dispõe sobre a operacionalização da reclassificação de alunos das escolas da rede estadual.

Secretaria de Estado da Educação. Resolução SE n° 21, 05-02-98.Dispõe sobre a progressão parcial de estudos para alunos do Ensino Médio das escolas da rede estadual.

Secretaria de Estado da Educação. Resolução SE nO67, 06-05-98.Dispõe sobre estudos de reforço e recuperação paralela para alunos da rede estadual e dá outras providências correlatas.

Secretaria de Estado da Educação. Resolução SE nO07, 22-01-99.Dispõe sobre atividades de reforço e recuperação paralela para 1999e altera dispositivos da Resolução SE n° 67/98.

Secretaria de Estado da Educação. Escola de cara nova: Planejamento/98. São Paulo: 1998.

Secretaria de Estado da Educação. A organização do ensino na rede estadual: Orientação para as escolas. São Paulo: 1999.

Teberosky, A.; Tolchinsky, L. (orgs.) (1996) Além da alfabetização:A aprendizagemfonológica,ortográfica, textual e matemática.São Paulo: Ática.

Vasconcellos, C. S. (1995) Construçãodo conhecimentoem sala de aula. São Paulo: Libertad.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.