Banner Portal
O imprevisto previsto
PDF

Palavras-chave

Creche. Formação de profissionais. Educação infantil de O a 6 anos. Planejamento. Cuidado e educação

Como Citar

BUFALO, J. M. P. O imprevisto previsto. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 10, n. 1, p. 119–131, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8644104. Acesso em: 1 mar. 2024.

Resumo

Este artigo trata da educação infantil de O a 6 anos em creches, abordando mais especificamente o modo como o adulto pensa o trabalho junto às meninas e aos meninos: a questão do planejamento .como parte integrante da profissão do(a) prafessor(a) destes pequeniníssimos. O pano de fundo deste artigo é a questão da formação destes profissionais que trabalham com estas crianças. Fixamos a atenção no fato de que este trabalho é diferente do que é feito na casa e na escola. A pesquisa realizada numa creche de Campinas demonstra que as monitoras planejam suas atividades de alguma forma, conscientemente ou não, o que remete à construção de uma pedagogia da educação infantil.

Abstract:

This paper discusses early childhood education fram O to 6 years in day-care centers. Emphasis is specifically given to how an adult develops his job, how he thinks his work towards girls and boys. The aim is to face the matter of planning as making part of the work of teachers of very small children. The background goal of this paper is to consider the education of the professionals that deal with children fram Oto 6 years old in day-care center, which are different fram home and school work. The development of pedagogy in early childhood education is also an important objective of this paper.

Descriptors: Day-care center. Teacher's education. Early childhood education. Planning education. Childcare and education

PDF

Referências

Becchi, E. (1994). Retórica de infância. Perspectiva. Florianópolis, n.22, pp. 63-95.

Brasil. (1987). Creche urgente. Criança compromisso social 1.Conselho Estadual da Condição Feminina e Conselho Nacional dos Direitos da Mulher. Brasília.

_.(1994). MEC. Por uma po/itica de formação profissional de educação infantil. Brasília.

Bufalo,]. (1997). Creche: Lugar de criança, lugar de infância. Um estudo sobre as práticas educativas em um CEMEI de CamPinas. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Campos, M. M. (1994). Educação infantil no primeiro mundo: Uma visão daqui debaixo do Equador. I n:F. Rosemberg eM. M Campos. (orgs.) Creches e Pré- escolas no Hemisfério Norte. São Paulo: Cortez e Fundação Carlos Chagas, pp. 323-54.

Campos, M. M. e Rosemberg, F. (1995). Critérios para um atendimento em creches que respeite os direitos fundamentais das crianças. Brasília:MECjSEF jCOEDI.

Carvalho, A. M. A. e Beraldo, K. E. (1989). Interação criança-criança: Ressurgimento de uma área de pesquisa e suas perspectivas. Cadernos de Pesquisa. n. 71, São Paulo, pp. 55-61.

Cerisara, A. B. (1996). A construção da identidade das profissionais de educação infantil: Entre ofeminino e o profissional. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Faria, A. L. G. (1995). Da escola maternal à escola da Infância: A pré-escola na Itália hoje. Cadernos Cedes. n. 37, Campinas, pp. 63-100.

. (1994). Direito à Infância: Mário de Andrade e os parques infantis para as crianças defamílias operárias na cidade de São Paulo. (1935-1938). Tesede Doutorado.

Universidade de São Paulo, São Paulo.

Fundação Carlos Chagas. (1997). Regulamentação da qualificação profissional do educador infantil: A experiência de Belo Horizonte. São Paulo.

Gallardini, A. L. (1996). Avaliação da qualidade no atendimento a infância. Anais do "IV Simpósio Latino-Americano sobre educação de crianças de zero a seis anos e 11 Simpósionacional de Educação Infantil". Brasília, pp. 523-6.

Haddad, L. (1991). A creche em busca de identidade. São Paulo: Loyola.

Mello, S. A. (1996).A obviedade como obstáculo ao desenvolvimento da consciência crítica do educador. Tese de Doutorado. Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Moraes, M. L. Q. (1994).Infância e Cidadania. Cadernos de Pesquisa. n. 91,SãoPaulo, pp. 23-30.

Rocha,E.A. C.(1995).Ou isto ou aquilo: Dilemas eperspectivas metodológicas da pesquisa em educação infantil. FE-Unicamp. (Mimeo).

Rosemberg,F. (1996). Educação Infantil, classe,raça egênero. Cadernos de Pesquisa. n. 96, São Paulo, pp. 58-65.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.