Banner Portal
Estratégias curriculares em espaços escolares
Remoto

Como Citar

SCHWERTNER, Suzana Feldens; ROVEDA, Afonso Wenneker; LOPES, Maria Isabel. Estratégias curriculares em espaços escolares. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 27, n. 1, p. 197–210, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8645906. Acesso em: 17 jun. 2024.

Resumo

O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa em andamento que tem como objetivo investigar as especificidades curriculares em espaços escolares e não escolares. Este escrito objetiva, especificamente, problematizar um dos espaços escolares conveniados, uma escola pública brasileira, buscando as propostas de currículos ali desenhadas e produzidas. Utilizase como metodologia aproximações da genealogia de Michel Foucault e Gilles Deleuze, com o intuito de visibilizar a rede discursiva, os jogos de poder, a produção de currículos específicos e os modos de relação presentes no campo empírico. Que rela- ções seriam possíveis mobilizar nos movimentos curriculares desse espaço escolar? Entende-se, a partir da análise realizada, que os modos atuais de currículo, escola e escolarização não são naturais, mas construções históricas permanentemente refeitas. Dessa maneira, apontam-se movimentos de captura dentro da organização escolar investigada e linhas de fuga que possibilitam aberturas para outras experiências curriculares.

Abstract

This paper discusses curriculum specificities in a Brazilian school in order to identify curriculum proposals designed and produced there. Genealogy has been our methodological option, in approximation to Michel Foucault’s and Gilles Deleuze’s thoughts to evidence the discursive network, games of power, production of specific curricula and kinds of relationships found in the empirical field. Which relationships could be mobilized in the curriculum movements in that place? The analysis enabled us to understand that the current kinds of curriculum, school and schooling are not natural; rather, they are historical constructions that have been recently redone. The study points out capturing movements in the organization of the investigated school and lines of flight that would favor other curriculum experiences.

Keywords: curriculum, school place, governmentality

Remoto

Referências

Castro, E. (2009). Vocabulário de Foucault – um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Belo Horizonte: Autêntica Corrêa, G. C., & Preve, A. M. H. (2011, dez.). A educação e a maquinaria escolar: produção de subjetividades, biopolítica e fugas. Revista de Estudos Universitários: Biopolítica, 37(2), 181-202.

Deleuze, G. (2006). A ilha deserta e outros textos. São Paulo: Iluminuras.

Deleuze, G., & Guattari, F. (1995) Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia (v. 1). Rio de Janeiro: Editora 34.

Dussel, I., & Caruso, M. (2003). A invenção da sala de aula. São Paulo: Moderna.

Foucault, M. (2002). A arqueologia do saber (6a ed.). Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. (2006). Ditos e escritos IV. Estratégia, poder-saber (2a ed.). Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. (2008). Microfísica do poder (26a ed.). Rio de Janeiro: Graal.

Foucault, M. (2010). Ditos e escritos V. Ética, Sexualidade e Política (2a ed.). Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Gallo, S. (2000). Disciplinaridade e transversalidade. In X Encontro Nacional de Didá- tica e Prática de Ensino (Endipe). Rio de Janeiro.

Gallo, S. (2011). A orquídea e a vespa: transversalidade e currículo rizomático. In E.

Gonsalves, M. Pereira, & M. Carvalho (Orgs.), Currículo e contemporaneidade: questões emergentes (pp. 37-50). Campinas: Alínea.

Gauthier, C., & Tardif, M. (Orgs.) (2010), A pedagogia: teorias e práticas da Antiguidade aos nossos dias. Petrópolis, RJ: Vozes.

Silva, T. T. (2000). O projeto educacional moderno: identidade terminal? In A.

Veiga-Neto (Org.), Crítica pós-estruturalista e educação (pp. 245-260). Porto Alegre: Sulinas.

Silva, T. T. (2002). Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo.

Belo Horizonte: Autêntica.

Varela, J. (1999). O Estatuto do Saber Pedagógico. In T. T. Silva (Org.), O Sujeito da Educação: estudos foucaultianos (3a ed., pp. 87-96). Petrópolis: Vozes, Veiga-Neto, A. (2011). Foucault & a Educação. (3a ed.). Belo Horizonte: Autêntica.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.