Religião e educação

os projetos dos jesuítas portugueses em tempos de exílio no Brasil (1910-1938)

Palavras-chave: Jesuítas, Missão cultural, Projeto educacional, Educação católica

Resumo

Após a implementação da República em Portugal, em 5 de outubro de 1910, as ações laicistas do governo atingiram as atividades das ordens religiosas. Com os decretos do novo sistema político, membros da Companhia de Jesus se exilaram em vários países, sobretudo na Espanha, Itália e no Brasil. A escolha por cidades brasileiras foi incentivada pela língua em comum, aproximações culturais, e, principalmente, pelos projetos religiosos desenvolvidos no país. O artigo tem o objetivo de compreender parte das ações dos membros da Província Portuguesa Dispersa no Brasil na primeira metade do século XX, analisando as relações entre seus projetos pedagógicos, a organização de uma missão cultural e o processo de Restauração Católica. A partir da História Cultural, também buscamos compreender como as ações educacionais foram um instrumento de mediação cultural para promover novas ideias e cultos por parte dos jesuítas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos André Silva de Moura , Universidade de Pernambuco

Avaliador Institucional e de Curso do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

Referências

Albuquerque Junior, D. M. (2001). A invenção do Nordeste e outras artes. Recife: Fundaj.

Anderson, B. (2008). Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras.

Assunção, P. (2003). O Brasil nas páginas da Brotéria. In H. Rico, & J. E. Franco (Coords.), Fé, ciência, cultura: Brotéria 100 anos (pp. 449-466). Lisboa: Gradiva.

Azevedo, C. A. M., & Cristino, L. (Coords.). (2007). Enciclopédia de Fátima. Estoril: Princípia.

Azevedo, F. (1986). A missão portuguesa da Companhia de Jesus no Nordeste 1911-1936. Recife: Fasa.

Azevedo, L. G. (1914). Proscritos: notícias circunstanciadas do que passaram os religiosos da Companhia de Jesus na revolução de Portugal de 1910. Bruxelas: Tipografia E. DAEM.

Berta, S. L. (2007). O exílio: vicissitudes do luto: reflexões sobre o exílio político dos argentinos (1976-1983). Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Boletim Mensal da Archidiocese de Olinda e Recife. (1935), 10-11, 201.

Cabral, L. G. V. C. P. (1925). Jesuítas no Brasil: século XVI. São Paulo: Melhoramentos.

Cabral, N. D. A. (2009). Memórias de um cotidiano escolar: Universidade Católica de Pernambuco (19431956). Recife: Fasa.

Carta do Padre Justino M. Lombardi a… (1910, 29 de maio). Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Arquivo das Congregações, mç. 32, mct. 24, doc. 7., Itu.

Carvalho, J. M. (1998). Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras.

Casali, A. (1995). Elite intelectual e restauração da Igreja. Petrópolis: Vozes.

Catálogo dos Jesuítas Portugueses no anno de 1910. (1911). Conforme ao original latino encontrado na Casa do Noviciado do Barro. Lisboa: Imprensa Nacional.

Catroga, F. (2006). Entre Deuses e Césares: secularização, laicidade e religião civil: uma perspectiva histórica. Coimbra: Almedina.

Cavalcante, M. J. M. (2016). Da missão da Zambézia ao nordeste do Brasil: o método missionário dos jesuítas da província portuguesa para internato e escola apostólica de Baturité. In C. Â. M. Sousa, & M. J. M. Cavalcante (Orgs.), Os jesuítas no Brasil: entre a Colônia e a República (pp. 177-191). Brasília: Liber Livro.

Chartier, R. (2002). À beira da falésia: a história entre incertezas e inquietude. Porto Alegre: UFRGS.

Cunha, M. T. P. (1953). Nossa Senhora de Fátima peregrina do mundo através dos continentes, a caminho de Roma, dos mares e dos ares. Rio de Janeiro: Santa Maria.

Decreto nº 1.641, de 7 de janeiro de 1907 (1907, 9 de janeiro). Providencia sobre a expulsão de estrangeiros do território nacional. Diário Official. Recuperado de http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1900-1909/decreto-1641-7-janeiro1907-582166-publicacaooriginal-104906-pl.html.

Diretrizes da formação da Companhia de Jesus no Brasil. (2001). São Paulo: Loyola.

Diretrizes para a formação (19-): São Paulo: Loyola.

Fernandes, A. P. C. (1944). Fátima: santuário mundial: mensagem divina: rainha da paz, chuva de graças. Recife: Ciclo Cultural Luso-Brasileiro.

Foulquier, J. H. (1940). Jesuítas no Norte: segunda entrada da Companhia de Jesus (1911-1940). Salvador: Vice-Província da Companhia de Jesus no Brasil Setentrional.

Ginzburg, C., Castelnuovo, E., & Poni, C. (1991). A micro-história e outros ensaios. Lisboa: Difel.

Gobbi, M. V. Z., Fernandes, M. L. O., & Junqueira, R. S. (Orgs.). (2002). Intelectuais portugueses e a cultura brasileira: depoimentos e estudos. São Paulo: Unesp.

Gonçalves, M. (2014). Afinidades republicanas na era do anticlericalismo: Brasil, Portugal e a questão jesuítica de novembro de 1910. Cadernos de História, 15(23), 63-87.

Hontem. (1910, 8 de novembro). Jornal do Commercio, 1.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2003). Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de Janeiro: IBGE.

Klein, H. S. (1993). A integração social e económica dos imigrantes portugueses no Brasil nos finais do século XIX e no século XX. Análise Social, 28(121), 235-265.

Lei da Separação. (1912, 8 de agosto). Eloquente resposta do dr. Affonso Costa aos detractores dessa lei. Lisboa.

Leme, D. S. (1916). Carta pastoral saudando a sua archidiocese. Petrópolis: Typ. Vozes de Petrópolis.

Matos, F. O. (2016). A presença dos jesuítas no sertão baiano: o Instituto São Luiz Gonzaga – Caetité (1912-1925). In C. Â. M. Sousa, & M. J. M. Cavalcante (Orgs.), Os jesuítas no Brasil: entre a Colônia e a República (pp. 243-265). Brasília: Liber Livro.

Mattoso, J. (Dir.), & Ramos, R. (Coord.). (2001). História de Portugal: a segunda fundação (18901926). Lisboa: Editorial Estampa.

Mendes, J. S. R. (2010). O apogeu da imigração portuguesa para a América do Sul (1904-1914): diversidade socioeconômica e dilemas comparativos com Itália e Espanha. In C. M. Sarmento, & L. M. P. Guimarães (Coord.), Culturas cruzadas em português: redes de poder e relações culturais (Portugal-Brasil, Séc. XIX e XX): influências, ideários, periodismo e ocorrências (Vol. 1, pp. 145-164). Coimbra: Almedina.

Montañés, A. P. (2013). Vozes do exílio e suas manifestações nas narrativas de Julio Cortázar e Marta Traba. Jandira: Eduel.

Monteiro, L. M. (2011). Religião, cultura e política: o apostolado laico dos jesuítas no RGS e os espaços sociais de atuação. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Moura, C. A. S. (2015). Histórias cruzadas: debates intelectuais no Brasil e em Portugal durante o movimento de Restauração Católica (1910-1942). Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Moura, L. D. (2000). A educação católica no Brasil: passado, presente e futuro. São Paulo: Loyola.

Nunziatura Apostolica del Brasile (1921-1925) (1921, 6 de outubro). Archivio Segreto Vaticano, Sacra Congregazione Concistoriale, Roma, busta 171, fascicolo 932, doc. 86.

O’Neill, C. E., Domínguez, J. M. (Dir.). (2001). Diccionario histórico de la Compañía de Jesús: biográficotemático (Vol. 1). Roma: Institutum Historicum.

Paiva, O. C. (2013). História da (i)migração: imigrantes e migrantes em São Paulo entre o final do século XIX e o início do século XXI. São Paulo: Arquivo Público do Estado.

Pascal, M. A. M. (2008). Imigração portuguesa em São Paulo: memórias, gênero e identidade. In M. I. Matos, F. Sousa, & A. Hecker (Orgs.), Deslocamentos & histórias: os portugueses (pp. 283-291). Bauru: Edusc.

Pereira, M. C. M. (2006). Representações da emigração para o Brasil na imprensa do Nordeste Transmontano durante a 1ª República. In I. L. Martins, & F. Sousa (Orgs.), Portugueses no Brasil: migrantes em dois atos (pp. 270-293). Niterói: Muiraquitã.

Pereira, M. H. (2002). A política portuguesa de emigração (1850-1930). Bauru: Edusc.

Proença, M. C. (2011). A questão religiosa no parlamento (1910-1926) (Vol. 2). Lisboa: Assembleia da República.

Rico, H., & Franco, J. E. (Coords.). (2003). Fé, ciência, cultura: Brotéria 100 anos. Lisboa: Gradiva.

Rogers, R. (2014). Congregações femininas e difusão de um modelo escolar: uma história transnacional. Pro-Posições, 25(1), 55-74.

Romeiras, F. M. (2016). Prefácio: o regresso dos jesuítas portugueses ao Brasil. In C. Â. M. Sousa, & M. J. M. Cavalcante (Orgs.), Os jesuítas no Brasil: entre a Colônia e a República (pp. 11-14). Brasília: Liber Livro.

Roux, R. R. (2014). La romanización de la Iglesia católica en América Latina: una estratégia de larga duración. Pro-Posições, 25(1), 31-54.

Schmitz, E. F. (1994). Os jesuítas e a educação: filosofia educacional da Companhia de Jesus. São Paulo: Unisinos.

Schwarcz, L. M. (1993). O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil (18701930). São Paulo: Companhia das Letras.


Silva, E. M. (2010). Introdução: religião: da fenomenologia à história. In E. M. Silva, K. K.

Bellotti, & L. S. Campos (Orgs.), Religião e sociedade na América Latina (pp. 11-15). São Bernardo do Campo: Metodista.

Silva, L. P. (2015). O Colégio Manuel da Nóbrega: o papel da educação jesuíta nos projetos de restauração católica no Recife (1917-1930). Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Silva, S. V. (2006). Entre o Tibre e o Capibaribe: os limites da igreja progressista na arquidiocese de Olinda e Recife. Recife: UFPE.

Sousa, C. Â. M. (2013). Do exílio dos jesuítas portugueses em outra república: cartas, histórias e educação jesuíticas e os primeiros anos do Colégio Nóbrega em Recife – Pernambuco (1917-1920). Anais do VII Congresso Brasileiro de História da Educação, Cuiabá. Recuperado de https://bit.ly/2YxwbNs.

Sousa, C. Â. M. (2016). Olhares de um jesuíta lusitano exilado no Brasil: Pe. Luiz Gonzaga Cabral. In C. Â. M. Sousa, & M. J. M. Cavalcante (Orgs.). Os jesuítas no Brasil: entre a Colônia e a República (pp. 161-176). Brasília: Liber Livro.

Sousa, C. Â. M., & Cavalcante, M. J. M. (Orgs.). (2016). Os jesuítas no Brasil: entre a Colônia e a República. Brasília: Liber Livro.

Torgal, L. R. (2013). A historiografia em Portugal no século XX: olhando o Brasil. In J. P. A. Nunes, & A. Freire (Orgs.). Historiografias portuguesa e brasileira no século XX: olhares cruzados (pp. 15-30). Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra.

Varias noticias (1910, 4 de novembro). Jornal do Commercio, 4.

Vitorio, B. S. (2015). Imigrantes brasileiros em Portugal: retrospectiva de percurso. In A. Gattaz, & V. P. R. Fernandez (Orgs.). Imigração e imigrantes: uma coletânea interdisciplinar (pp. 209226). Salvador: Pontocom.
Publicado
2019-05-09
Como Citar
Moura , C. A. S. de. (2019). Religião e educação. Pro-Posições, 30, 1-25. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8656728
Seção
Artigos