Contribuições ao estudo do associativismo docente

Palavras-chave: Professor associativo, História da educação, Pesquisa educacional.

Resumo

Apresentando referências úteis para desenvolver o estudo do associativismo de professores do ponto de vista sócio-histórico, o artigo aborda questões que se tornaram centrais para o desenvolvimento de nossa pesquisa. Está dividido em sete tópicos. O primeiro tópico destaca as contribuições da História Social e o segundo destaca a contribuição das teorias dos movimentos sociais e suas tradições de pesquisa. O terceiro tópico concentra-se nas contribuições da ciência política e o próximo tópico aborda os estudos sociológicos do movimento trabalhista. O quinto tópico apresenta alguns resultados da pesquisa que embasa o presente artigo, enquanto o sexto comenta dois artigos que analisam a produção sobre o assunto. O sétimo e último tópico enfatiza a questão das identidades dos professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Libânia Nacif Xavier , Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora Titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro e atua no do Programa de Pós-Graduação em Educação.

         

Referências

Adorno, T. (1995). Tabus acerca do magistério. In Educação e emancipação (W. L. Maar, trad., pp. 97-118). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Andrade, M. S. (2017). O sindicato como espaço de formação: Trajetórias de professores militantes do Sepe/Caxias. Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Avritzer, L., & Costa, S. (2004). Teoria crítica, democracia e esfera pública: Concepções e usos na América Latina. Dados, 47(4), 703-728. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S001152582004000400003&script=sci_abstract&tlng=pt.

Braga, R. M. S. (2017). Nós as saudamos, professoras fluminenses: Produção, circulação e representações de professoras primárias no jornal Síntese da UPPE. Tese de Doutorado, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Cerezales, D. P. (2003). O poder caiu na rua: Crise de Estado e ações coletivas na Revolução Portuguesa (1974-1975). Lisboa: ICS.

Dal Rosso, S. (2009). Sociologia e sindicalismo docente no Brasil. In Anais do I Seminário para Discussão de Pesquisas e Constituição de Rede Internacional de Pesquisadores: Associativismo e sindicalismo docente no Brasil (pp. 1-14). Rio de Janeiro: Iuperj.

Dubar, C. (2005). A socialização. São Paulo: Martins Fontes.

Ferreira, A.; & Bittar, M. (2006). Proletarização e sindicalismo de professores na ditadura militar (1964- 1985). São Paulo: Pulsar.

Ferreira, M. O. V. (2006). Somos todos trabalhadores em educação? Reflexões sobre identidades docentes desde a perspectiva de sindicalistas. Educação e Pesquisa, 32(2), 225-240. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ep/v32n2/a02v32n2.

Gindin, J. (2009). Os estudos sobre sindicalismo docente na América Latina e no Brasil. In Anais do I Seminário para Discussão e Constituição da Rede Internacional de Pesquisadores. Rio de Janeiro: Iuperj.

Gohn, M. G. (2008). Teorias dos movimentos sociais: Paradigmas clássicos e contemporâneos. São Paulo: Loyola.

Hobsbawm, E. J. (1982). Revolucionários. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Hobsbawm, E. J. (1987). Mundos do trabalho. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Lawn, M. (2001). Os professores e a fabricação de identidades. Currículo sem Fronteiras, 1(2), 117- 130.

Lélis, I., & Xavier, L. (2010). The teaching profession in the voice of its union leaders. Sísifo: Educational Sciences Journal, 11, 24-35.

Lemos, D. (2011). Professores em movimento: A emergência do associativismo docente na Corte Imperial. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Recuperado de https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUOS8GHNHU/1/tese_daniel_c._de_a._lemos.pdf.

McAdam, D., Tarrow, S., & Till, C. (2009). Para mapear o confronto político. Lua Nova, 76, 11- 48. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ln/n76/n76a02.pdf.

Nóvoa, A. (1987). Le temps des professeurs: Analyse socio-historique de la profession enseignante au Portugal (XVIII–XX siècle) (Vols. 1-2). Lisboa: Instituto Nacional de Investigação Científica.

Perruso, M. A. (2009). Em busca do “novo”: Intelectuais brasileiros e movimentos populares nos anos 1970- 1980. São Paulo: Annablume.
Revel, J. (Org.). (1998). Jogos de escalas: A experiência da microanálise. Rio de Janeiro: FGV. e-ISSN 1980-6248 http://dx.doi.org/10.1590/1980-6248-2018-0013.

Rioux, J.-P. (1996). A associação em política. In R. Remond, Por uma história política (pp. 99-140). Rio de Janeiro: FGV.

Tilly, C. (1977). From mobilization to revolution. Ann Arbor: University of Michigan. https://deepblue.lib.umich.edu/bitstream/handle/2027.42/50931/156.pdf.

Vianna, C. (1999). Os nós do nós: Crise e perspectiva de ação coletiva docente em São Paulo. São Paulo: Xamã.

Vicentini, P. P., & Lugli, R. G. (2009). História da profissão docente no Brasil: Representações em disputa. São Paulo: Cortez.

Xavier, L. (2011). Ação coletiva, oportunidade política e identidade docente nos jogos de poder: Um ensaio a partir dos movimentos docentes brasileiro e português. In S. Dal Rosso (Org.), Associativismo e sindicalismo em educação (pp. 191-209). Brasília, DF: Paralelo.

Xavier, L. (2012). A profissão docente em contextos de transição democrática: Brasil e Portugal 1970-80. In S. C. Lopes, & M. W. Chaves (Orgs.), A história da educação em debate: estudos comparados, profissão docente, família e igreja (1ª ed., Vol. 1, p. 229-255). Rio de Janeiro: Mauad.

Xavier, L. (2013a). Associativismo docente e construção democrática: Brasil-Portugal (1950-1980). Rio de Janeiro: Eduerj – Faperj.

Xavier, L. (2013b). Os movimentos docentes brasileiro e português na virada dos anos 1970- 80. Tempo e Argumento, 5(10), 234-257.

Xavier, L. (2014). Trajetórias profissionais de professores em contextos de transição democrática. In J. Pintassilgo (Org.). O 25 de abril e a educação: Discursos, práticas e memórias docentes (Vol. 1, p. 149-166). Lisboa: Colibri.
Publicado
2020-01-13
Como Citar
Xavier , L. N. (2020). Contribuições ao estudo do associativismo docente. Pro-Posições, 30, 1-23. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8658061
Seção
Artigos