Precárias experiências em dissidências

crianças que não cabem em

Palavras-chave: Criança, Acontecimento, Dissidência, Precariedade, Vida.

Resumo

O texto busca, na emergência do presente, diante da precariedade da vida, afirmar um campo de investigação, incipiente em educação e psicologia, sobre processos de produção de vida crianceiros em dissidências com o corpo, gênero e sexualidade. No entrelaçamento teórico e metodológico, perspectivando a produção do comum, foram reunidos estudos da criança, filosofia da diferença, leituras feministas e pós-estruturalistas, a fim de problematizar a criança em seus desvios e fugas diante das instituições de sequestro. As memórias e narrativas crianceiras que aqui comparecem foram produzidas em acontecências aprendentes entre pessoas que não precisam de um nome, que não se conformam com uma vida sempre igual e profanam, em atos de rememoração, os dispositivos da infância e da norma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexsandro Rodrigues, Universidade Federal do Espírito Santo

Professor Associado I do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo.

         
Megg Rayara Gomes de Oliveira, Universidade Federal do Paraná

Professora adjunta no setor de educação e professora no Programa de Pós-graduação em educação na Universidade Federal do Paraná.

         
Pablo Cardozo Rocon , Universidade Federal do Espírito Santo

Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, Vitória, ES, Brasil.

         
Steferson Zanoni Roseiro , Universidade Federal do Espírito Santo

Professor da Rede Municipal de Ensino de Cariacica/ES.

           

Referências

Butler, J. (2015). Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto? Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Calvino, I. (1991). As cidades invisíveis. São Paulo: Companhias das Letras.

Certeau, M. (1994). A invenção do cotidiano: artes do fazer (7a ed., Vol. 1). Petrópolis: Vozes.

Foucault, M. (2006). A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola. Foucault, M. (2013). O corpo utópico, as heterotopias. São Paulo: n-1 edições.

Larrosa, J. (2014). Tremores: escritos sobre experiências. Belo Horizonte: Autêntica.

Preciado, B. (2014). Manifesto contrassexual: práticas subversivas da identidade sexual. São Paulo: n-1 edições.

Preciado, B. (2017). Transfeminismo. São Paulo: n-1 edições.

Rubin, G. (2017). Políticas do sexo. São Paulo: Ubu Editora.

Schérer, R., & Hocquenghem, G. (2016). Coir, álbum sistemático da infância. Rio de Janeiro: Uerj.

Skliar, C. (2003). Pedagogia (improvável) da diferença: e se o outro não estivesse aí? Rio de Janeiro: DP&A.

Foucault, M. (2014). Ditos e escritos: genealogia da ética, subjetividade e sexualidade (Vol. 4). Rio de Janeiro: Forense Universitária.
Publicado
2020-01-13
Como Citar
Rodrigues, A., Oliveira, M. R. G. de, Rocon , P. C., & Roseiro , S. Z. (2020). Precárias experiências em dissidências. Pro-Posições, 30, 1-21. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8658066
Seção
Artigos