Interfaces entre cinema, ciência e ensino

uma revisão sistemática de literatura

Autores

Palavras-chave:

Desenho, Cinema, Ciência

Resumo

Esta revisão sistemática de literatura teve como objetivo identificar relações estabelecidas entre cinema (com maior enfoque em desenhos animados e filmes de animação), ciência e ensino em teses, dissertações e artigos publicados entre 2006 e 2017. A pesquisa abrangeu as bases de dados Scientific Electronic Library Online e Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, utilizando os termos de pesquisa “desenho” ou “animação” ou “cinema” e “ciência”. Dentre os trabalhados inicialmente encontrados, vinte atenderam aos critérios de inclusão. Verificou-se que a maioria deles se limitou a analisar aprofundadamente as produções fílmicas, enquanto apenas um trabalho analisou e aplicou este recurso no ambiente escolar. Os resultados evidenciaram, ainda, que são escassos estudos que relacionem diretamente ciência e alguns produtos fílmicos, tais como os desenhos animados, principalmente considerando áreas específicas do ensino de ciências, como o enfoque ciência, tecnologia e sociedade (CTS).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Juraszeck Machado, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutorado em andamento em Ensino de Ciência e Tecnologia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Professora assistente do curso de Ciências Biológicas da Universidade Estadual do Paraná.

Rosemari Monteiro Castilho Foggiatto Silveira, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutorado em Educação Científica e Tecnológica pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora permanente em Ensino de Ciência e Tecnologia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Referências

Acevedo Díaz, J. A. (2004). Reflexiones sobre las finalidades de la enseñanza de las ciencias: educación científica para la ciudadanía. Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, 1(1), 3-15.

Andrade, L. L. S., Scareli, G., & Estrela, L. R. (2012). As animações no processo educativo: um panorama da história da animação no Brasil. In Anais do VI Colóquio Internacional “Educação e Contemporaneidade”. Educon Sergipe, São Cristóvão. Recuperado de http://educonse.com.br/2012/eixo_08/PDF/52.pdf

Assis, H. L. (2007). Outros modos de ver: imagens cinematográficas no ensino de artes visuais. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

Auler, D., & Bazzo, W. A. (2001). Reflexões para a implementação do movimento CTS no contexto educacional brasileiro. Ciência & Educação, 7(1), 1-13.

Berti, A., & Carvalho, R. M. (2013). O Cine Debate promovendo encontros do cinema com a escola. Pro-Posições, 24(3), 183-199.

Bizzo, N. (2009). Mais ciência no ensino fundamental: metodologia de ensino em foco. São Paulo: Editora do Brasil.

Borba, E. M. B. (2015). O uso de filme como recurso pedagógico no estudo das epidemias: possibilidades na aprendizagem significativa. Dissertação de Mestrado, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba.

Borges, R. M. R., & Lima, U. M. R. (2007). Tendências contemporâneas do ensino de biologia no Brasil. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 6(1), 165-175.

Braz, C. S. (2013). Infância e cinema de animação: o poder da mídia na (re)construção das identidades. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.

Cardoso, L. R. (2016). Relações de gênero, ciência e tecnologia no currículo de filmes de animação. Estudos Feministas, 24(2), 463-484.

Coelho, R. M. F., & Viana, M. C. V. (2011). A utilização de filmes em sala de aula: um breve estudo no Instituto de Ciências Exatas e Biológicas da UFOP. Revista da Educação Matemática da UFOP, 1, 89-97.

Colla, R. A. (2014). Ecologização e convivialidade: aproximações entre a educação ambiental e o cinema. Dissertação de Mestrado, Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Cormick, C. (2006). Cloning goes to the movies. História, Ciência, Saúde – Manguinhos, 13(suplemento), 181-212.

Cuarterolo, A. (2015). El cine científico en la Argentina de principios del siglo 20: entre la educación y el espectáculo. História da Educação, 19(47), 51-73.

Cunha, M. B., & Giordan, M. (2009). A imagem da ciência no cinema. Química Nova na Escola, 31(1), 9-17.

Doimo, D. A. (2015). A filosofia vai ao cinema: o uso do filme como recurso didático no ensino de filosofia. Dissertação de Mestrado, Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente.

Duarte, R. (2002). Cinema na escola. In Cinema & educação (pp. 85-96). Belo Horizonte: Autêntica.

Faheina, E. F. A. (2012). Um estudo sobre os modos de apropriação do cinema por educadoras na escolarização de jovens e adultos. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa.

Fischer, R. M. B. (2007). Mídia, máquinas de imagens e práticas pedagógicas. Revista Brasileira de Educação, 12(35), 290-299.

Fonseca, V. A. (2016). Cinema, educação e estado: a inserção da Lei 13.006/14 e a obrigatoriedade da exibição de filmes nas escolas. Laplage em Revista, 2(1), 138-145.

Gheno, R. S. (2008). Uso de artigos científicos como ferramenta para a alfabetização científica. Dissertação de Mestrado, Universidade Luterana do Brasil, Canoas.

Gomes-Maluf, M. C., & Souza, A. R. (2008). A ficção científica e o ensino de ciências: o imaginário como formador do real e do racional. Ciência & Educação, 14(2), 271-282.

Gordillo, M. (2005). Cultura científica y participación ciudadana: materiales para la educación CTS. Revista CTS, 6(2), 123-135.

Hodson, D. (2014). Becoming part of the solution: learning about activism, learning through activism, learning from activism. In L. Bencze, & S. Alsop (Eds.), Activist science and technology education (pp. 67-98). Toronto: Springer.

Kindel, E. A. I. (2003). A natureza no desenho animado ensinando sobre homem, mulher, raça, etnia e outras coisas mais… Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Lei nº 13.006, de 26 de junho de 2014. (2014, 27 de junho). Acrescenta § 8o ao art. 26 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para obrigar a exibição de filmes de produção nacional nas escolas de educação básica. Diário Oficial da União. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13006.htm

López Cerezo, J. A. (1998). Ciencia, tecnología y sociedad: el estado de la cuestión en Europa y Estados Unidos. Revista Iberoamericana de Educación, (18), 41-68.

Lorenzetti, L., & Delizoicov, D. (2001). Alfabetização científica no contexto das séries iniciais. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, 3(1), 45-61.

Macedo, C. C., & Silva, L. F. (2010). Contextualização e visões de ciência e tecnologia nos livros didáticos de física aprovados pelo PNLEM. Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 3(3), 1-23.

Machado, C. A. (2008). Filmes de ficção científica como mediadores de conceitos relativos ao meio ambiente. Ciência & Educação, 14(2), 283-294.

Medeiros, S. A. L. (2012). Imagens educativas do cinema/possibilidades cinematográficas da educação. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora.

Morin, E. (2008). Ciência com consciência (12a ed.). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Nascimento, J. (2008). Cinema e ensino de história: realidade escolar, propostas e práticas na sala de aula. Revista de História e Estudos Culturais, 5(2), 1-23.

Oliveira, B. J. (2006). Cinema e imaginário científico. História, Ciência, Saúde – Manguinhos, 13(suplemento), 133-150.

Passou, A. S., Melo, W. V., Andrade, L., & Pereira, R. M. M. (2009). Fatores que influenciam na utilização de filmes como recurso didático pelos docentes de ciências. In Anais do VIII Encontro Nacional de Pesquisa e Educação em Ciências. Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Campinas. Recuperado de http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R1240-1.pdf

Piassi, L. P. (2013). Clássicos do cinema nas aulas de ciências: a física em 2001: uma odisseia no espaço. Ciência & Educação, 19(3), 517-534.

Piassi, L. P., & Pietrocola, M. (2009). Ficção científica e ensino de ciências: para além do método de ‘encontrar erros em filmes’. Educação e Pesquisa, 35(3), 525-540.

Pinheiro, N. A. M., Silveira, R. M. C. F., & Bazzo, W. A. (2007). Ciência, tecnologia e sociedade: a relevância do enfoque CTS para o contexto do ensino médio. Ciência & Educação, 13(1), 71-84.

Pinheiro, N. A. M., Silveira, R. M. C. F., & Bazzo, W. A. (2009). O contexto científicotecnológico e social acerca de uma abordagem crítico-reflexiva: perspectiva e enfoque. Revista Iberoamericana de Educación, 49(1), 1-14.

Pinho, A. C. O. M. C. (2013). O cinema como recurso didático-pedagógico no ensino jurídico: quebrando paradigmas. Dissertação de Mestrado, Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo.

Ramalho, F. C. (2014). Cinema de animação: filmes e metáforas para crianças e adultos. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Ramos Neto, L. A. (2016). Cinema e história: o uso de filmes no ensino de história. In Anais do XVII Encontro Estadual de História (pp. 135-144). Associação Nacional de História, Guarabira. Recuperado de http://www.ufpb.br/evento/index.php/xviieeh/xviieeh/paper/viewFile/3238/2748

Rosa, L. R. (2016). O filme de animação O Lorax: em busca da trúfula perdida na perspectiva dos estudos culturais. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.

Rosa, M. I. P., Ludwig, B. E., Wirth, I. G., Franco, P. C., & Duarte, T. F. (2003). Os cientistas nos desenhos animados e os olhares das crianças. In Anais do IV Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Bauru. Recuperado de http://fep.if.usp.br/~profis/arquivos/ivenpec/Arquivos/Orais/ORAL134.pdf

Rother, E. T. (2007). Revisão sistemática × revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, 20(2), v-vi. Recuperado de https://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002007000200001

Sampaio, R. F., & Mancini, M. C. (2007). Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, 11(1), 83-89.

Santos, W. L. P. (2007). Contextualização no ensino de ciências por meio de temas CTS em uma perspectiva crítica. Ciência & Ensino, 1(número especial), 1-12.

Santos, W. L. P., & Mortimer, E. F. (2002). Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência – Tecnologia– Sociedade) no contexto da educação brasileira. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, 2(2), 110-132.

Sasseron, L. H., & Carvalho, A. M. P. (2011). Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, 16(1), 59-77.

Silva, M. S. M. M. (2010). Desenho animado e educação: calça quadrada, cabeça redonda? Tese de Doutorado, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa.

Silva, S. A. (2011). Os animês e o ensino de ciências. Dissertação de Mestrado Profissional, Universidade de Brasília, Brasília.

Siqueira, D. C. O. (2002). Ciência e poder no universo simbólico do desenho animado. In L. Massarani, I. C. Moreira, & F. Brito (Orgs.), Ciência e público: caminhos da divulgação científica no Brasil (pp. 107-119). Rio de Janeiro: Casa da Ciência.

Siqueira, D. C. O. (2008). Comunicação e ciência: estudos de representações e outros pensamentos sobre mídia. Rio de Janeiro: Eduerj.

Souza, K. R. (2013). Desenhos animados e educomunicação: as brincadeiras das crianças e a prática pedagógica da educação infantil. Dissertação de Mestrado, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis.

Strieder, R. B. (2012). Abordagem CTS na educação cientifica no Brasil: sentidos e perspectivas. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Tomazi, A. L., Pereira, A. J., Schüler, C. M., Piske, K., & Tomio, D. (2009). O que é e quem faz ciência? Imagens sobre a atividade científica divulgadas em filmes de animação infantil. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, 11(2), 335-353.

Viana, M. C. V. (2002). Perfeccionamiento del currículo para la formación de profesores de matemática en la UFOP. Tese de Doutorado, Instituto Central de Ciências Pedagógicas, Havana.

Downloads

Publicado

2020-04-22

Como Citar

MACHADO, C. J. .; SILVEIRA, R. M. C. F. . Interfaces entre cinema, ciência e ensino: uma revisão sistemática de literatura. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 31, p. e20170190, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8660728. Acesso em: 25 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos