Lealdade, ambivalência e rebeldia

as estratégias de relacionamento de Oswald de Andrade e Menotti del Picchia na construção de suas redes de sociabilidade

Autores

Palavras-chave:

Imaginário social, Autobiografias, Escolarização, Redes de sociabilidade

Resumo

O objetivo do artigo é investigar como são construídas as redes de sociabilidade a partir da experiência escolar e a importância da escola como dispositivo de ascensão social. Para tanto, identificam-se as diferenças nas estratégias de relacionamento desenvolvidas por Oswald de Andrade e Menotti del Picchia, dois dos autores fundamentais do modernismo paulista, na construção de suas redes de sociabilidade, a partir da análise de suas trajetórias escolares e relações familiares, apontadas pelos autores em suas autobiografias. A partir das concepções de Sirinelli, investigaram-se as formas como os autores perceberam a própria experiência escolar, vista como catalisadora das relações de redes de sociabilidade que possibilitaram sua ascensão social, no caso de Menotti, filho de imigrantes, ou manifestamente um espaço de manutenção de poder, caso de Oswald, de família rica e influente. A análise dos percursos escolares evidencia a forma como cada um agiu antes de seu encontro no movimento modernista e permite compreender como seus comportamentos e práticas, a partir de seus lugares sociais e demais experiências formativas, tiveram peso nas escolhas sociopolíticas feitas por ambos, revelando estratégias, pressões e relações de força política e religiosa na busca pela circunscrição de seus próprios espaços, sobretudo com o advento da Semana de Arte Moderna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Konopczyk Amaral Ribeiro, Universidade Estadual de Campinas

Doutorado em Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas.

Referências

Andrade, O. (1976). Um homem sem profissão Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Boaventura, M. E. (1995). O salão e a selva: uma biografia ilustrada de Oswald de Andrade Campinas: Editora Unicamp.

Bourdieu, P. (1996) As regras da arte:gênese e estrutura do campo literário São Paulo: Companhia das Letras.

Fonseca, M. A. (2007). Oswald de Andrade: biografia São Paulo: Globo.

Hébrard, J. (2001). O autodidatismo exemplar: como Valentin Jamerey-Duval aprendeu a ler? In R. Chartier (Org.), Práticas da leitura (pp. 35-73). São Paulo: Estação Liberdade.

Martins, W. (2002). A idéia modernista Rio de Janeiro: Topbooks.

Miceli, S. (2001). Intelectuais à brasileira São Paulo: Companhia das Letras.

Picchia, M. (1959). O árbitro São Paulo: Livraria Martins Editora.

Picchia, M. (1970). A longa viagem São Paulo: Livraria Martins Editora.

Prado, A. A. (2010) Itinerário de uma falsa vanguarda:os dissidentes, a Semana de 22 e o Integralismo São Paulo: Editora 34.

Sevcenko, N. (1992). Orfeu extático na metrópole:São Paulo, sociedade e cultura nos frementes anos 20 São Paulo: Companhia das Letras.

Sirinelli, J.-F. (2003). Os intelectuais. In R. Rémond (Org.), Por uma história política (2a ed., pp. 231-269). Rio de Janeiro: FGV.

Downloads

Publicado

2021-08-30

Como Citar

RIBEIRO, V. K. A. . Lealdade, ambivalência e rebeldia: as estratégias de relacionamento de Oswald de Andrade e Menotti del Picchia na construção de suas redes de sociabilidade. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 32, p. e20190029, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8666786. Acesso em: 25 out. 2021.