Educação patrimonial em espaços formais e informais no município de Santa Vitória do Palmar, RS, Brasil

Autores

  • Juliano Bitencourt Campos Universidade do Extremo Sul Catarinense http://orcid.org/0000-0002-0300-1303
  • Claudia Adriana Rocha Teixeira Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Osvaldo André Oliveira Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Jairo José Zocche Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Caroline Magagnin Zocche Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Silvia Aline Pereira Dagostim Arqueologia e Gestão do Patrimônio
  • Marlon Borges Pestana Universidade Federal do Rio Grande
  • Viviane Mottin Universidade do Extremo Sul Catarinense

DOI:

https://doi.org/10.20396/rap.v13i2.8655997

Palavras-chave:

Educação, Licenciamento, Patrimônio cultural, Campos Neutrais

Resumo

O artigo se propõe a apresentar as experiências educativas relacionadas às atividades do Programa de Educação Patrimonial e Ambiental em espaços formais e informais de educação, vinculado ao projeto de implantação de um complexo eólico de energia, no município de Santa Vitória do Palmar, RS, Brasil. O projeto contemplou o desenvolvimento de atividades no espaço da sala de aula propiciando a interação entre educandos, educadores, comunidade e pesquisadores. Neste ambiente foi trabalhado um embasamento teórico sobre o conceito de Educação Patrimonial, assim como Patrimônio Cultural e Ambiental regional. Os debates acadêmicos sobre os temas demonstraram que a iniciativa é válida, profícua e tem o respaldo e o respeito das instituições oficiais que se dedicam a preservar, conservar e democratizar o uso, desfrute e conhecimento daquilo que é de toda a sociedade, sua identidade patrimonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliano Bitencourt Campos, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Doutor em Quaternário, Materiais e Culturas pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto-Douro, Portugal. Professor titular no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA/UNESC).

Claudia Adriana Rocha Teixeira, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Mestre em Educação Ambiental (FURG). Arqueóloga do Setor de Arqueologia da Universidade do Extremo Sul Catarinense.

Osvaldo André Oliveira, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Doutor em História com ênfase em Arqueologia (Sociedades Indígenas, Cultura e Memória) pela Universidade do Vale dos Sinos (UNISINOS). Arqueólogo do Setor de Arqueologia da Universidade do Extremo Sul Catarinense.

Jairo José Zocche, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Professor e pesquisador vinculado ao Programa de Pós-graduação (Mestrado e Doutorado) em Ciências Ambientais (PPGCA) e Cord. do Laboratório de Ecologia de Paisagem e de Vertebrados (LABECO) da Universidade do Extremo Sul Catarinense.

Caroline Magagnin Zocche, Universidade do Extremo Sul Catarinense

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) da Universidade do Extremo Sul Catarinense.

Silvia Aline Pereira Dagostim , Arqueologia e Gestão do Patrimônio

Graduada em Geografia pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), Especialista em Metodologia de Ensino em Geografia (UNIASSELVI). Gerente na empresa Arqueologia e Gestão do Patrimônio (ARQUEOSUL).

Marlon Borges Pestana, Universidade Federal do Rio Grande

Professor e pesquisador adjunto do Instituto de Ciências Humanas e da Informação (ICHI) da Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

Viviane Mottin , Universidade do Extremo Sul Catarinense

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação e, Ciências Ambientais (PPGCA).

Referências

ALMEIDA, M. B. Arqueologia e Educação. In: BARRETO, Éuder Arrais et al. Patrimônio Cultural e Educação: artigos e resultados. Goiânia: UFG, 2008, p. 57-65.

CAMPOS, J. B.; OLIVEIRA, A. O. Programa de Gestão, Proteção, Sinalização de Sítios, Peritagem, Monitoramento Arqueológicos e Educação Patrimonial na Área do Complexo Eólico Geribatu – Parques Eólicos Verace I ao X. Relatório Final. Criciúma: UNESC. Santa Vitória do Palmar, RS. 315p. 2016.

CAMPOS, J. B.; OLIVEIRA, A. O. Diagnóstico Arqueológico Interventivo e Prospecção Sistemática Interventiva na Área de Instalação do Complexo Eólico Geribatu I a X. PAC 2. Município de Santa Vitória do Palmar, Rio Grande do Sul. Relatório Final. Criciúma: UNESC. Santa Vitória do Palmar, RS. 316p. 2013.

CAMPOS, J. B.; RODRIGUES, M. H. S. G.; FUNARI, P. P. A. O patrimônio arqueológico no licenciamento cultural: legislação, políticas culturais e gestão integrada- v. 14, n. 2 (2017) pg 331-347 - Revista Oculum Ensaios - PUC-Campinas. Disponível em: http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/oculum/index. Acesso em: 20 de junho de 2018.

CASCAIS, M. G. A.; TERÁN, A. F. Educação Formal, Informal e Não Formal na Educação em Ciências. Ciência em Tela – V. 7, nº 2, 2014.

DALLA VALLE, L. de L. Jogos, Recreação e Educação. Curitiba: Editora Fael, 2010.

DALLA VALLE, L. de L. Fundamentos da Educação Infantil. Curitiba: Editora Fael, 2011.

DÉLORS, J. Educação: Um Tesouro a Descobrir. Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. 6 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FLORÊNCIO, S. R. R. Educação Patrimonial: algumas diretrizes conceituais. In: PINHEIRO. A. R. S. (Org). Cadernos do patrimônio cultural: educação patrimonial. Fortaleza: Editora Secultfor: Iphan, 2015.

FUNARI, P. P. Os Desafios da Destruição e Conservação do Património Cultural no Brasil. Trabalhos de Antropologia e Etnologia, Porto, 41, 2001, 23-32. Portugal.

GUIMARÃES, E.; MIRANDA, M. P. S. A Educação Patrimonial como Instrumento de Preservação. Portal do Ministério Público de Minas Gerais. Disponível em: http://www-antigo.mpmg.mp.br/portal/public/interno/repositorio/id/24667. Acesso em: 23 de março de 2017.

HORTA, M. L. P.; GRUNBERG, E.; MONTEIRO, A. Q. Guia básico de educação patrimonial. Brasília: IPHAN: Museu Imperial, 1999.

ITAQUI, J. Educação Patrimonial. A Experiência da 4ª Colônia. José Itaqui e María Angélica Villagrán. Santa Maria: Pallotti, 1998.

JURJO TORRES, S. As Origens da Modalidade de Currículo Integrado. In: JURJO TORRES, S. Globalização e Interdisciplinaridade: o Currículo Integrado. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul Ltda, 1998.

MEDEIROS, M. C.; SURYA, L. A Importância da Educação Patrimonial para a Preservação do Patrimônio. ANPUH- XXV – Simpósio Nacional de História. Fortaleza, 2009.

MOREIRA, A. F.; SILVA, T. T. (Org.). Currículo, cultura e sociedade. 4º ed. São Paulo: Cortez, 2000.

MORIN, E. Os Sete Saberes Necessários a Educação do Futuro. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2000.

MORIN, E. Introducción al Pensamiento Complejo. Barcelona: Gedisa editorial, 2007.

MULTIMÍDIA, J. S. Meio Ambiente – Reciclagem. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=q0dJSM-Wjxk. Acesso em: 20 de junho de 2016.

PORTAL AMBIENTE E ENERGIA. Parque Eólico Geribatu: 258MW de Potência Instalada. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ljdU3Y7j75E. Acesso em: 07 de agosto de 2016.

REIGOTA, M. O que é Educação Ambiental?. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994.

RODRIGUES, M. H. S. G. A temática do Patrimônio Cultural no projeto político-pedagógico: Caso da Unidade Escolar Elzair Rodrigues de Oliveira. [Monografia apresentada ao Programa de Especialização em Patrimônio- PEP 2007/2009] Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 50p. Rio de Janeiro.

RODRIGUES, M. H. S. G. A Arqueologia Colaborativa no Tratamento de Acervos Patrimoniais Para a Sustentabilidade Cultural das Comunidades no Brasil. Teoria e Estudos de Caso. Tese (Doutorado em Quaternário, Materiais e Cultura) – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Portugal, 2016.

SILVA, M. C. F. R. da et.al. Práxis Docente: o Sujeito, as Possibilidades e a Educação. Faculdade Educacional da Lapa (Org.). Curitiba: Editora Fael, 2011.

SILVERMAN, D. Interpretação de Dados Qualitativos: Métodos para a Análise de Entrevistas, Textos e Interações. 3º ed. Porto Alegre: Artmed,2009.

TEIXEIRA, A. C. Educação Ambiental: Caminhos para a Sustentabilidade. Revista Brasileira de Educação Ambiental. Brasília: Rede Brasileira de Educação Ambiental, 2007. p. 21-29.

TEIXEIRA, C. A. R. A Educação Patrimonial no Ensino de História. Revista Biblos. Rio Grande: Editora da FURG, 2008. p. 199-211.

TEIXEIRA, C. A. R.; OLIVEIRA, O. A. Viabilizando Possibilidades: A Educação Patrimonial na Formação de Futuros Professores. Ágora. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2009. p. 51-60

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (UFRGS). O ofício do Arqueólogo. Vídeo produzido para integrar a exposição “12.000 Anos de História – Arqueologia e Pré-História do RS”. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=nwBbti-T91s. Acesso em: 03 de março de 2016.

ÚNGARO, P.; SOUZA, J. G.; LEAL, A. C. Educação Ambiental e Educação Infantil: a criança e a percepção do espaço. Revista Brasileira de Educação Ambiental. Brasília: Rede Brasileira de Educação Ambiental, 2007. p. 51-59.

Downloads

Publicado

2019-12-19

Como Citar

CAMPOS, J. B.; TEIXEIRA, C. A. R. .; OLIVEIRA, O. A.; ZOCCHE, J. . J. .; ZOCCHE, C. M.; DAGOSTIM , S. A. P. .; PESTANA, M. B. .; MOTTIN , V. Educação patrimonial em espaços formais e informais no município de Santa Vitória do Palmar, RS, Brasil. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 13, n. 2, p. 41–62, 2019. DOI: 10.20396/rap.v13i2.8655997. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8655997. Acesso em: 5 dez. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)