A predicação de Cardozo nos versos de Cabral

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/remate.v41i2.8662096

Palavras-chave:

João Cabral de Melo Neto, Joaquim Cardozo, Poesia brasileira moderna, Literatura comparada

Resumo

Sendo Joaquim Cardozo o interlocutor mais recorrente ao longo da obra de João Cabral de Melo Neto, é possível visualizar uma série literária entre os poemas que celebram tal diálogo poético. Todavia, a interlocução permite que o conjunto de composições delineado aí se desdobre em dois níveis: o dos poemas em que o homenageado aparece no título do texto e aqueles outros nos quais sua ocorrência é acidental, adquirindo função predicativa, ora adjetival ora adverbial. Tal predicação será ilustrada retrospectivamente por meio de um adjetivo constante no livro A escola das facas (1980) e de um advérbio presente em Quaderna (1960), ambos inscritos sob o mesmo significante: “Cardozo”. Considerada como uma dobra da convenção literária, interessa assinalar materialmente como tal influência foi se consolidando, no contexto editorial e no curso dos versos, a ponto de instituir um vinco na tradição poética brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Éverton Barbosa Correia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutorado em Letras (Teoria Literária e Literatura Comparada) pela Universidade de São Paulo. Professor no Departamento de Teoria Literária, Literatura Comparada e Literatura Brasileira (CULT) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Referências

CARDOZO, Joaquim. Signo estrelado. Rio de Janeiro: Livros de Portugal, 1960.

CARVALHO, Ricardo Souza de. A Espanha de João Cabral e Murilo Mendes. São Paulo: Editora 34, 2011.

HOUAISS, Antonio. Drummond, mais seis poetas e um problema. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

LUCCHESE, Marco. A mais longa viagem. In: CARDOZO, Joaquim. Poesia completa e prosa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2010, pp. 131-147.

MELO NETO, João Cabral de. O engenheiro. Rio de Janeiro: Amigos da Poesia, 1945.

MELO NETO, João Cabral de. Antiode. In: Psicologia da composição. Barcelona: O Livro Inconsútil, 1947, [s.p.].

MELO NETO, João Cabral de. O cão sem plumas. Barcelona: O Livro Inconsútil, 1950.

MELO NETO, João Cabral de. O rio ou relação da viagem que faz o Capibaribe de sua nascente à cidade do Recife. São Paulo: Comissão do IV Centenário da Cidade de São Paulo, 1954.

MELO NETO, João Cabral de. Duas águas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.

MELO NETO, João Cabral de. Quaderna. Lisboa: Magalhães Editores, 1960.

MELO NETO, João Cabral de. Terceira feira. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1961.

MELO NETO, João Cabral de. Antologia poética. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1965.

MELO NETO, João Cabral de. A educação pela pedra. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1966.

MELO NETO, João Cabral de. Poesias completas: 1942-1965. Rio de Janeiro: Sabiá, 1968.

MELO NETO, João Cabral de. Antologia poética. Rio de Janeiro: Sabiá, 1969.

MELO NETO, João Cabral de. Museu de tudo. Rio de Janeiro: José Olympio, 1975.

MELO NETO, João Cabral de. A escola das facas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1980.

MELO NETO, João Cabral de. Crime na Calle Relator. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987.

MELO NETO, João Cabral de. Museu de tudo e depois: poesias completas II. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988.

MELO NETO, João Cabral de. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

MELO NETO, João Cabral de. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2008.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

CORREIA, Éverton B. A predicação de Cardozo nos versos de Cabral. Remate de Males, Campinas, SP, v. 41, n. 2, p. 405–426, 2021. DOI: 10.20396/remate.v41i2.8662096. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8662096. Acesso em: 23 maio. 2022.