O ensino secundário na Capital da província de Minas Gerais (1830-1840)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v29i1.8663361

Palavras-chave:

Seminário de Mariana, Companhia Auxiliadora da Instrução, Colégio Nossa Senhora da Assunção

Resumo

Este artigo analisa os debates e disputas que estiveram na gênese da criação do primeiro colégio público de Ensino Secundário da província de Minas Gerais, denominado “Collegio de Nossa Senhora de Assumpção”. Ancorada nos estudos da Nova História Política e da História da Educação, analisamos jornais da época, relatórios provinciais e a legislação educacional. Evidenciam-se disputas de poderes, especialmente, entre o Poder Civil e Poder Eclesiático, no contexto das estratégias governamentais voltadas à organização e institucionalização do campo educativo provincial decorrentes da emenda constitucional de 1834. A modernização da Província e as demandas profissionais para as novas burocracias imperiais definiriam o teor dos debates orientando as críticas ao distanciamento das práticas e dos conteúdos presentes na formação da mocidade mineira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Lúcia Nogueira, Universidade do Estado de Minas Gerais

Doutorado e Pós-doutorado na Universidade Federal de Minas Gerais. Pesquisadora da História da Educação e líder do Núcleo de Estudos e Pesquisas em História da Educação na Universidade do Estado de Minas Gerais (Belo Horizonte, MG - Brasil).

Referências

ABREU, Antonio Limpo de. (1835) Mensagem à Assembléa Legislativa Provincial de 1835. Ouro Preto: Tipografia Patrícia do Universal; Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, 1835.

ALMEIDA, Gabriela Berthou de. Jogos de poderes: o Seminário de Mariana como espaço de disputas políticas, religiosas e educacionais (1821-1835). 2015. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

ALMEIDA, Gabriela Berthou de. O redefinir das fronteiras dos poderes políticos e religiosos após a Independência do Brasil: o Seminário de Mariana-MG como espaço de conflito. Almanack [online], Guarulhos: UNIFESP, n. 18, p. 413-450, abr. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2236-463320181809. Acesso em: 11 fev. 2020.

BARROS, José D’Assunção. História política: da expansão conceitual às novas conexões interdisciplinares. OPSIS, Catalão, v. 12, n. 1, p. 29-55, jan./jun. 2012. Disponível em: https://doi.org/10.5216/o.v12i1.17338. Acesso em: 8 mar. 2020.

BARROS, José D’Assunção. História política, discurso e imaginário: aspectos de uma interface. Sæculum – Revista de História, João Pessoa, n. 12, p. 128-141, jun. 2005. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/11320. Acesso em: 15 fev. 2020.

BERNSTEIN, Serge. Os partidos. In: RÉMOND, René (Org.). Por uma história política. 2. ed. Tradução: Dora Rocha. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003. p. 57-98.

BOSCHI, Caio Cesar. A Universidade de Coimbra e a formação intelectual das elites mineiras coloniais. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 4, n. 7, p. 100-111, jul. 1991. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2309. Acesso em: 11 fev. 2020.

BRASIL. Decreto de 2 de dezembro de 1837. Coleção de Leis do Império do Brasil - 1837, p. 59. v. 1 pt. II. Rio de Janeiro, 1837.

BRASIL. Lei de 15 de outubro de 1827. Coleção de Leis do Império do Brasil - 1827, p. 71 v. 1 pt. I. Rio de Janeiro, 1827.

BRASIL. Lei n. 16 de 12 de agosto de 1834. Coleção das Leis do Império do Brasil de 1834 – primeira parte, p. 15-23. Rio de Janeiro: Tipografia Nacional, 1866.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso político. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2015.

CHAVES, Cláudia Maria das Graças; PIRES, Maria do Carmo; MAGALHÃES, Sônia Maria de (Orgs.). Casa de Vereança de Mariana: 300 anos de história da Câmara Municipal. Ouro Preto: Editora da UFOP, 2012.

COSTA, Jean Carlo de Carvalho; ANANIAS, Mauricéia; ARAÚJO, Rose Mary de (Orgs.). Temas sobre a instrução no Brasil Imperial (1822-1889). v. II. Série Socialidades, n. 1. João Pessoa: Marca de Fantasia, 2014.

COSTA PINTO, Antônio da. Falla dirigida à Assembléa Legislativa Provincial de Minas Geraes, na Sessão Ordinária do anno de 1837 pelo presidente da Província Antônio da Costa Pinto. Ouro Preto: Typ. do Universal, 1837.

COUTROT, Aline. Religião e Política. In: RÉMOND, René (Org.). Por uma história política. 2. ed. Tradução de: Dora Rocha. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2003. p. 331-364.

FALCON, Francisco. História e poder. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Domínios da história: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997. p. 97-138.

FERRAZ, Sérgio Eduardo. A dinâmica política do Império: instabilidade, gabinetes e Câmara dos Deputados (1840-1889). Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 25, n. 62, p. 63-91, jun. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1678-987317256203 . Acesso em: 15 set. 2019.

GONDRA, José Gonçalves; SCHUELER, Alessandra. Educação, poder e sociedade no Império brasileiro. São Paulo: Cortez, 2008.

INÁCIO, Marcilaine Soares. Educação e política em Minas Gerais: o caso das sociedades políticas, literárias e filantrópicas. 1831/1840. 2010. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

LOPES Eliane Marta Teixeira; CHAMON, Carla Simone (Orgs.). História da educação em Minas Gerais: da Colônia à República, v. 2: Império. Uberlândia: EDUFU, 2019.

LUZ, Estevão de Melo Marcondes. Incendiárias folhas: ação política e periodismo na trajetória do Padre Antônio José Ribeiro Bhering (1829-1849). 2016. Tese (Doutorado em História) – Universidade Estadual Paulista, Franca, 2016.

MINAS GERAES. Lei n. 60 de 07 de março de 1837. Coleção Leis Mineiras (1835-1889). Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, 1837.

MINAS GERAES. Lei n. 127 de 14 de março de 1839. Coleção Leis Mineiras (1835-1889). Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, 1839.

MINAS GERAES. Lei n. 141 de 04 de abril de 1839. Coleção Leis Mineiras (1835-1889). Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, 1839.

MINAS GERAES. Lei provincial n. 245 de 14 de julho de 1843. Coleção Leis Mineiras (1835-1889). Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, 1843.

NEVES, Leonardo dos Santos. Organização do ensino secundário em Minas Gerais no século XIX. 2006. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

NUNES, Clarice. O “velho” e “bom” ensino secundário: momentos decisivos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, p. 35-60, maio/jun./jul./ago. 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/pY5CvzLSCLPRNy7XpZ7x6WR/abstract/?lang=pt. Acesso em: 02 jan. 2020.

O UNIVERSAL. Ouro Preto. Anno XV, ed. 01 a 183, 1839. Disponível em: http://memoria.bn.br. Acesso em: 13 jul. 2020.

O UNIVERSAL, Ouro Preto, Ano XVI, n. 38, 30 de março de 1840. Disponível em: http://memoria.bn.br. Acesso em: 13 jul. 2020.

O UNIVERSAL, Ouro Preto, Ano XVII, n. 9, 20 de janeiro 1841, p. 2. Disponível em: http://memoria.bn.br. Acesso em: 13 jul. 2020.

PAULA, Dalvit Greiner de; NOGUEIRA, Vera Lúcia. Escola pública e liberalismo no Brasil imperial: construção do Estado e abandono da nação. História da Educação, v. 21, n. 53, p. 182-198, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2236-3459/57191. Acesso em: 05 abr. 2020.

PENNA, Herculano Ferreira. Annaes da Assembleia Provincial de Minas Gerais. Ouro Preto: Typografia do Correio de Minas, 1842.

PEREIRA PINTO, Sebastião Barreto. Annaes da Assembleia Provincial de Minas Gerais. Ouro Preto: Typografia do Universal, 1841; Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, 1841.

PINTO, Antônio da Costa. Annaes da Assembleia Provincial de Minas Gerais. Ouro Preto: Typografia do Universal, 1837.

RÉMOND, René (Org.). Por uma história política. 2. ed. Tradução de: Dora Rocha. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2003.

REVISTA DO ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO. O Seminario de Marianna em 1831. Imprensa Oficial de Minas Gerais. Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, p. 367-377, 1904.

ROUSSIN, José de Souza e Silva. O Itamontano, ano 1, 12 de setembro de 1848, n. 89. Disponível em: http://memoria.bn.br. Acesso em: 13 jul. 2020.

SANTOS, Francisco de Paula. Annaes da Assembleia Provincial de Minas Gerais. Sessão de 10 de fevereiro de 1840. Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, 1840.

SELINGARDI, Sérgio Cristóvão. Educação religiosa, disciplina e poder na terra do ouro: a história do Seminário de Mariana, entre 1750 e 1850. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2007.

SELINGARDI, Sérgio Cristóvão; TAGLIAVINI, João Virgílio. O seminário de Nossa Senhora da Boa Morte: Mariana, Minas Gerais 1750-1850. HISTEDBR on-line. Campinas, n. 57, p. 230-267, jun. 2014. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640414. Acesso em: 13 jul. 2020.

SILVA, Rodrigo Fialho. Nos bastidores da imprensa mineira oitocentista: homens das letras na província das Gerais, alguns apontamentos. Verbo de Minas, Juiz de Fora, v. 17, n. 29. p. 91-103, jan./jul. 2016. Disponível em: https://seer.cesjf.br/index.php/verboDeMinas/article/view/841 . Acesso em: 04 jul. 2020.

SOARES D’ANDREA, Francisco José de Souza. Annaes da Assembleia Provincial de Minas Gerais. Rio de Janeiro: Typ. lmp. Const. de J. Villeneuve e Comp., 1844.

Downloads

Publicado

2021-09-17

Como Citar

NOGUEIRA, V. L. O ensino secundário na Capital da província de Minas Gerais (1830-1840) . Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 29, n. 00, p. e021008, 2021. DOI: 10.20396/resgate.v29i1.8663361. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8663361. Acesso em: 8 dez. 2021.