"Espírito livre" em Nietzsche: outro logos (per)formativo?

Autores

  • Danilo José Scalla Botelho Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v7i1.1742

Palavras-chave:

Correntes filosóficas. Teorias educacionais. Discursos filosóficos

Resumo

Este artigo experimenta o tropo "espírito livre" em Nietzsche como um logos sofista, não mais um logos ontológico. Interpretando – a partir de signos nietzschianos – que o espírito, para ser livre, necessita livrar-se do logos ontológico, traça-se brevemente uma genealogia do logos sofista. O espírito livre torna-se, assim, não mais um conceito, senão um pharmakon.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danilo José Scalla Botelho, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre no PPGE da UFSC.

Referências

ARISTÓTELES. Ars Rhetorica. Org. Sir. W.D. Ross. London: Oxford University Press, 1975.

CASSIN, Bárbara. O Efeito Sofístico: sofística, filosofia, retórica, literatura. Tradução de Ana Lúcia de Oliveira, Maria Cristina Franco Ferraz e Paulo Pinheiro. São Paulo: Ed. 34, 2005, 448p.

FINK, Eugen. La filosofía de Nietzsche. Versión española de Andrés Sánchez Pascual. Madrid: Alianza Editorial, 1989.

GIACOIA JÚNIOR, Oswaldo. Introdução. In STEGMAIER, Werner. As linhas fundamentais do pensamento de Nietzsche: coletânea de artigos de 1985 a 2009. Organização de Jorge Luiz Viesenteiner e André Luis Muniz Garcia. Petrópolis-RJ: Vozes, 2013.

MARTON, Scarlett. Extravagâncias: Ensaios sobre a filosofia de Nietzsche. São Paulo: Discurso Editorial; Ijuí, RS: Editora Unijuí, 2001.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. São Paulo: Cia das Letras, 2011, 360p.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Genealogia da Moral: uma polêmica. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. 6.ed. São Paulo: Cia das Letras, 2004.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Humano, demasiado Humano: um livro para espíritos livres. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. 5.ed. São Paulo: Cia das Letras, 2003.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Sämtliche Werke. Kritische Studienausgabe Herausgegeben (KSA) von Giorgio Colli und Mazzino Montinari. München; Berlin; New York: dtv/Walter de Gruyter, 1988.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Obras incompletas. Seleção de Gérard Lebrun; tradução e notas de Rubens Rodrigues Torres Filho; posfácio de Antônio Cândido. 3.ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Oeuvres philosophiques complètes: écrits posthumes. Paris: Gallimard, 1977.

PASCHOAL, Antonio Edmilson. Nietzsche e a auto-superação da moral. Ijuí, RS: Ed. Unijuí, 2009.

PERELMAN, Chaïm. Retóricas. Tradução Maria Galvão Pereira. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

PLATÃO. Teeteto e Crátilo. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Belém-PA: EDUFPA, 1988.

ROMEYER-DHERBEY, Gilbert. Os Sofistas. Tradução de João Amado. Lisboa: Edições 70, 1999.

STEGMAIER, Werner. As linhas fundamentais do pensamento de Nietzsche: coletânea de artigos de 1985 a 2009. Organização de Jorge Luiz Viesenteiner e André Luis Muniz Garcia; introdução de Oswaldo Giacoia Jr. Petrópolis-RJ: Vozes, 2013.

Downloads

Publicado

2014-08-16

Como Citar

BOTELHO, D. J. S. "Espírito livre" em Nietzsche: outro logos (per)formativo?. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 7, n. 1, p. 63–82, 2014. DOI: 10.20396/rfe.v7i1.1742. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/1742. Acesso em: 27 nov. 2021.