Banner Portal
"Espírito livre" em Nietzsche: outro logos (per)formativo?
PDF

Palavras-chave

Correntes filosóficas. Teorias educacionais. Discursos filosóficos

Como Citar

BOTELHO, Danilo José Scalla. "Espírito livre" em Nietzsche: outro logos (per)formativo?. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 7, n. 1, p. 63–82, 2014. DOI: 10.20396/rfe.v7i1.1742. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/1742. Acesso em: 23 maio. 2024.

Resumo

Este artigo experimenta o tropo "espírito livre" em Nietzsche como um logos sofista, não mais um logos ontológico. Interpretando – a partir de signos nietzschianos – que o espírito, para ser livre, necessita livrar-se do logos ontológico, traça-se brevemente uma genealogia do logos sofista. O espírito livre torna-se, assim, não mais um conceito, senão um pharmakon.

https://doi.org/10.20396/rfe.v7i1.1742
PDF

Referências

ARISTÓTELES. Ars Rhetorica. Org. Sir. W.D. Ross. London: Oxford University Press, 1975.

CASSIN, Bárbara. O Efeito Sofístico: sofística, filosofia, retórica, literatura. Tradução de Ana Lúcia de Oliveira, Maria Cristina Franco Ferraz e Paulo Pinheiro. São Paulo: Ed. 34, 2005, 448p.

FINK, Eugen. La filosofía de Nietzsche. Versión española de Andrés Sánchez Pascual. Madrid: Alianza Editorial, 1989.

GIACOIA JÚNIOR, Oswaldo. Introdução. In STEGMAIER, Werner. As linhas fundamentais do pensamento de Nietzsche: coletânea de artigos de 1985 a 2009. Organização de Jorge Luiz Viesenteiner e André Luis Muniz Garcia. Petrópolis-RJ: Vozes, 2013.

MARTON, Scarlett. Extravagâncias: Ensaios sobre a filosofia de Nietzsche. São Paulo: Discurso Editorial; Ijuí, RS: Editora Unijuí, 2001.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. São Paulo: Cia das Letras, 2011, 360p.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Genealogia da Moral: uma polêmica. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. 6.ed. São Paulo: Cia das Letras, 2004.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Humano, demasiado Humano: um livro para espíritos livres. Tradução, notas e posfácio de Paulo César de Souza. 5.ed. São Paulo: Cia das Letras, 2003.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Sämtliche Werke. Kritische Studienausgabe Herausgegeben (KSA) von Giorgio Colli und Mazzino Montinari. München; Berlin; New York: dtv/Walter de Gruyter, 1988.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Obras incompletas. Seleção de Gérard Lebrun; tradução e notas de Rubens Rodrigues Torres Filho; posfácio de Antônio Cândido. 3.ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Oeuvres philosophiques complètes: écrits posthumes. Paris: Gallimard, 1977.

PASCHOAL, Antonio Edmilson. Nietzsche e a auto-superação da moral. Ijuí, RS: Ed. Unijuí, 2009.

PERELMAN, Chaïm. Retóricas. Tradução Maria Galvão Pereira. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

PLATÃO. Teeteto e Crátilo. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Belém-PA: EDUFPA, 1988.

ROMEYER-DHERBEY, Gilbert. Os Sofistas. Tradução de João Amado. Lisboa: Edições 70, 1999.

STEGMAIER, Werner. As linhas fundamentais do pensamento de Nietzsche: coletânea de artigos de 1985 a 2009. Organização de Jorge Luiz Viesenteiner e André Luis Muniz Garcia; introdução de Oswaldo Giacoia Jr. Petrópolis-RJ: Vozes, 2013.

O periódico Filosofia e Educaçãoutiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.