Notas sobre a crítica como elemento criador dos valores

Autores

  • Maria Remedios Brito Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v7i1.1743

Palavras-chave:

Correntes. Filosóficas. Produção do Conhecimento

Resumo

O artigo pretende discutir alguns elementos da filosofia de Nietzsche no que diz respeito à sua compreensão de valor e de moral. Nele, destaca-se a crítica como elemento criador de valores, bem como se abre espaço para a reflexão sobre o procedimento genealógico como suporte metodológico da emergência e procedência dos valores morais. Percebe-se que a filosofia nietzschiana vê os valores com dúvida, entendendo que eles estão envolvidos por um perspectivismo linguístico, assim como por aspectos culturais e seus interesses. Os valores não são dados. Ao contrário: são construídos, imersos por um poder-saber em que os homens os criam por necessidades e avaliações. Contudo, os valores também podem ser reexaminados e reconstruídos a partir de novas tábuas valorativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Remedios Brito, Universidade Federal do Pará

Bacharel em Filosofia pela UFPA/Universidade Federal do Pará, Mestre e Doutora em Filosofia da Educação pela UNIMEP/Universidade Metodista de Piracicaba, Pós-Doutora em Filosofia da Educação pela UNICAMP/Universidade Estadual de Campinas, Trabalha com a disciplina Filosofia da Educação e epistemologia da Ciência, UFPA-Faculdade de Educação Matemática e Científica/Instituto de Educação Matemática e Científica.

Referências

AZEREDO, V. D. de. As transmutações do espírito. In: AZEREDO, V. D. de (org.). Encontros Nietzsche. 1.ed. Ijuí, RS: Ed. Unijuí, 2003, p.72-87.

BLONDEL, E. As aspas de Nietzsche: Filologia e Genealogia. In: MARTON, S. (org.) Nietzsche Hoje? 1.ed. São Paulo: Brasiliense, 1985, p. 110-139.

DELEUZE, G. Nietzsche e a Filosofia. Trad. Edmundo Fernandes Dias. 2.ed. Rio de Janeiro: Editora Rio, 1976, p.1-170.

FOUCAULT, M. A genealogia e a História. In: FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Trad. Roberto Machado. 16.ed. Rio de Janeiro: Ed. Graal, 1979, p.15-37.

GIACOIA, O, J. Nietzsche. 1.ed. São Paulo: Publifolha, 2000, p.11-92.

GIACOIA, O, J. Filosofia como diagnóstico do presente: Foucault, Nietzsche e a genealogia da ética. In: MARIGUELA, M. (org). Foucault e a destruição das evidências. 1.ed. Piracicaba, SP: Unimep, 1995, p.81-100.

MARTON, S. Nietzsche: a transvaloração dos valores. 1.ed. São Paulo: Moderna, 1993, p. 7-119.

MARTON, S. A Filosofia como tarefa, missão e destino. Disponível em: http://www2.unifap.br/borges/files/2011/02/A-Filosofia-como-Tarefa-Miss%C3%A3o-e-Destino-Scarlett-Marton.pdf. Acesso em 14 de abril de 2000, p. 1-3.

MÜLLER-LAUTER, W. A doutrina da vontade de poder em Nietzsche. 1. ed. São Paulo: Annablume, 1997, p. 11-156.

NIETZSCHE, F. Assim Falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. Trad. Paulo César de Souza. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2011, p.11-359.

NIETZSCHE, F. Así habló Zaratustra: Un libro para todos y para nadie. Trad. Andrés Sánchez Pascual. 5. ed. Madrid, Alianza Editorial, 2002, p. 7-498.

NIETZSCHE, F. Crepúsculo dos Ídolos. Trad. Paulo César de Souza. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p.7-154.

NIETZSCHE, F. Aurora. Trad. Paulo César de Souza. 1.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2004, p.9-350.

NIETZSCHE, F. A genealogia da Moral. Trad. Paulo César de Souza. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p.7-179.

NIETZSCHE, F. Além do bem e do Mal: prelúdio a uma Filosofia do Futuro. Trad. Paulo César de Souza. 3.ed. São Paulo: Companhia das letras, 1992, p. 7-271.

NIETZSCHE, F. Obras incompletas. Trad. Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Nova Cultural, 1999, p. 5-464 (Os Pensadores).

PASCHOAL, E. A. A dinâmica da vontade de poder como proposição moral nos escritos de Nietzsche. (Tese de Doutorado.) Campinas: Unicamp, IFCH, 1999, p.1-258.

Downloads

Publicado

2014-10-25

Como Citar

BRITO, M. R. Notas sobre a crítica como elemento criador dos valores. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 7, n. 1, p. 83–108, 2014. DOI: 10.20396/rfe.v7i1.1743. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/1743. Acesso em: 27 nov. 2021.