O existencialismo em Sartre: subjetividade e sociedade do conhecimento

  • Thiago Reginaldo Universidade Federal de Santa Catarina
  • Maria Elivete da Silva Pereira Universidade do Vale do Itajaí
Palavras-chave: Existencialismo. Subjetividade. Sociedade do Conhecimento

Resumo

Este artigo relaciona a teoria existencialista de Sartre com os aspectos atuais da sociedade do conhecimento atrelados à educação. Para tanto o ser é tomado a partir da sua (inter) subjetividade que se estabelece na relação consigo mesmo, com o outro e com o mundo. A partir da trama dessas relações o conhecimento disseminado passa a ser filtrado e orientado entre os sujeitos. Para que haja um resgate à subjetividade, autonomia da consciência humana assentada no desenvolvimento das capacidades cognitivas e afetivas de problematização e apreensão da realidade, no entanto, necessitará de uma formação global com participação crítica baseada na ação e compreensão no mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Reginaldo, Universidade Federal de Santa Catarina
Mestrando do Programa de Pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPGEGC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Maria Elivete da Silva Pereira, Universidade do Vale do Itajaí
Psicóloga pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) com Especialização em Didática e Metodologia de Ensino da Faculdades Integradas do Vale do Ribeira (FIVR).

Referências

BUCKINGHAM, David. Precisamos realmente de educação para os meios? Comunicação & Educação. Ano XVII, n. 2, jul/dez 2012, p.41-60.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação. 8. ed. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. 31. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, Paulo. Política e educação. São Paulo: Cortez, 1993.

LIBÂNEO, José Carlos. As teorias pedagógicas modernas revisitadas pelo debate contemporâneo na Educação. In: LIBÂNEO, J. C.; SANTOS, A. (Orgs.). Educação na era do conhecimento em rede e transdisciplinaridade. Campinas: Alínea, 2005, p. 15-58. Disponível em: http://www.ia.ufrrj.br/ppgea/conteudo/T1SF/Akiko/03.pdf. Acesso em: 13 jul. 2014.

PEREIRA, Deise Q. Sartre fenomenólogo. Estudos e pesquisas em psicologia, UERJ, Rio de Janeiro, ano 8, n. 2, 2008, p. 277-288.

SARTRE, Jean-Paul. O existencialismo é um humanismo. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

SARTRE, Jean-Paul. O existencialismo é um humanismo. Petrópolis RJ: Vozes, 2013.

SARTRE, Jean-Paul. O Ser e o Nada. Petrópolis RJ: Vozes, 1997.

SAVIANI, Dermeval. As concepções pedagógicas na história da educação brasileira. Texto elaborado no âmbito do projeto de pesquisa “O espaço acadêmico da pedagogia no Brasil”, financiado pelo CNPq, para o “projeto 20 anos do Histedbr”. Campinas, 25 de agosto de 2005.

SOUZA, Ilcéia H. O eu e as relações. Série Psicologia Existencialista. Florianópolis: Edições Nuca, 1987.

TEDESCO, Juan Carlos. Educar em la Sociedad del Conocimiento. Buenos Aires: Fondo de Cultura Economica, 2009.

Publicado
2015-02-18
Como Citar
Reginaldo, T., & Pereira, M. E. da S. (2015). O existencialismo em Sartre: subjetividade e sociedade do conhecimento. Filosofia E Educação, 7(1), 109-126. https://doi.org/10.20396/rfe.v7i1.1744