As escalas, o hiato e a circunstância técnica

Autores

  • Rainer Miranda Brito Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v6i3.1757

Palavras-chave:

Correntes filosóficas.

Resumo

Há uma descontinuidade entre os enunciados acerca da circunstância técnica e os recursos que a constituem em matéria; mas será esta descontinuidade, este hiato, apreensível sob o vocativo da "técnica"? Talvez não; e talvez por isso seja preciso desviar-se da "técnica". E assim fez Gilbert Simondon; mas não o Simodon das bem conhecidas teses de doutoramento, mas o autor dos técnicos cursos ministrados entre 1960-70 que exibiam estreitos exercícios textuais analítico-descritivos de algumas circunstâncias técnicas específicas. Evidenciam os cursos pós-teses do autor uma apuração metodológica até então inexistente em sua obra: a de uma oscilação entre a escala e a recursividade de esquemas funcionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rainer Miranda Brito, Universidade Federal de São Carlos

Mestrando em Antropologia Social na Universidade Federal de São Carlos; bolsista pela FAPESP com pesquisa na construção fabril-artesanal de violas no estado de São Paulo.

Downloads

Publicado

2014-10-01

Como Citar

Brito, R. M. (2014). As escalas, o hiato e a circunstância técnica. Filosofia E Educação, 6(3), 209–234. https://doi.org/10.20396/rfe.v6i3.1757