Tecno-estética e formação: especulações iniciais a partir de Simondon e Buckminster-Fuller

Autores

  • Emerson Freire Faculdade de Tecnologia de Jundiaí

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v6i3.1758

Palavras-chave:

Tecno-estética. Invenção. Formação.

Resumo

Dois pensadores, cada qual à sua maneira, incorporaram sempre em suas reflexões a técnica enquanto componente primordial de seus trabalhos: o inventor norte-americano Richard Buckminster Fuller e o filósofo francês Gilbert Simondon. Ambos têm ressonâncias na forma de pensar a tecnologia em relação ao social e na maneira de conceber o processo inventivo. Técnica e estética não estão em contraposição ou separadas para ambos, muito menos são componentes hierarquicamente inferiores do conhecimento. O presente artigo procura explorar um pouco dessas ressonâncias, relacionando a noção de tecno-estética em Simondon à formação, de modo a contribuir para as questões colocadas pela sociedade atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emerson Freire, Faculdade de Tecnologia de Jundiaí

Atualmente é professor e pesquisador no Mestrado em Educação Profissional do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza.

Downloads

Publicado

2014-10-06

Como Citar

Freire, E. (2014). Tecno-estética e formação: especulações iniciais a partir de Simondon e Buckminster-Fuller. Filosofia E Educação, 6(3), 235–259. https://doi.org/10.20396/rfe.v6i3.1758