Banner Portal
Imagem sem imagens
PDF

Palavras-chave

Teorias educacionais. Produção de conhecimento

Como Citar

GODINHO, Ana Maria. Imagem sem imagens. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 8, n. 1, p. 26–37, 2016. DOI: 10.20396/rfe.v8i1.8643690. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8643690. Acesso em: 30 maio. 2024.

Resumo

Como se aprende? O que é uma imagem sem imagens? Estas questões são o ponto de partida para o estudo das relações das imagens com a aprendizagem. Propomo-nos pensar que a aprendizagem não se pode fazer sem uma unidade de conexão, um processo criador virtual-actual. Aprender é uma “tarefa infinita” e transformadora dos movimentos do corpo, do pensamento e do espaço-tempo conjugados, que exige um encontro concreto feito de uma “familiaridade prática” experimental. Este é o objecto da nossa análise: a imagem enquanto operação, transformadora prática de energias, que agem na educação, no quotidiano, no mundo.

 

https://doi.org/10.20396/rfe.v8i1.8643690
PDF

Referências

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Lisboa: Relógio d’Água, 2000.

DELEUZE, Gilles. Dialogues (com Claire Parnet). Paris: Flammarion, 1996.

DELEUZE, Gilles. Deux Régimes de Fous. Paris: Minuit, 2003.

DELEUZE, Gilles. Critique et clinique. Minuit, 1993.

DELEUZE, Gilles. Proust et les signes. Presses Universitaires de France, 1996.

DELEUZE, Gilles. Francis Bacon – Logique de la sensation. Paris: La Différence, 1981.

WINNICOTT, Donald. Processus de maturation chez l’enfant. Paris: Payot, 1989.

O periódico Filosofia e Educaçãoutiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.