Banner Portal
Políticas do imaginário: História, educação e cultura visual
PDF

Palavras-chave

Cultura visual. Virada pictorial. Ensino da arte. Visualidades indígenas

Como Citar

HONORATO, Cayo. Políticas do imaginário: História, educação e cultura visual. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 8, n. 1, p. 38–62, 2016. DOI: 10.20396/rfe.v8i1.8643691. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8643691. Acesso em: 19 maio. 2024.

Resumo

Neste texto, repasso algumas questões do livro A guerra das imagens (1990), do historiador Serge Gruzinski, enfatizando o caráter contraprodutivo das visualidades indígenas em relação às imagens cristãs. Mas, principalmente, proponho que essa leitura seja considerada em um contexto particular de problemas, que diz respeito às narrativas do ensino da arte que trabalham a partir das premissas de uma virada pictorial (Mitchell); qual seja: o de um domínio da visão pelas imagens e de um déficit de historicidade das visualidades.

https://doi.org/10.20396/rfe.v8i1.8643691
PDF

Referências

BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e simulação. Trad. Maria João da Costa Pereira. Lisboa: Relógio d’Água, 1991.

BELTING, Hans. Antropologia da imagem. Trad. Artur Morão. Lisboa: KKYM; EAUM, 2014.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes do fazer. Trad. Ephraim Ferreira Alvez. 21. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

DERRIDA, Jacques. A estrutura, o signo e o jogo no discurso das ciências humanas. In: DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. Trad. Maria Beatriz Marquez Nizza da Silva, Pedro Leite Lopes e Pérola de Carvalho. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2009, p. 407-426.

FREEDMAN, Kerry. Teaching visual culture: curriculum, aesthetics and the social life of art. New York: Reston: Teachers College Press; National Art Education Association, 2003.

GRUZINSKI, Serge. A guerra das imagens: de Cristóvão Colombo a Blade Runner (1492-2019). Trad. Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Cia. das Letras, 2006.

GRUZINSKI, Serge. La colonización de lo imaginario: sociedades indígenas y occidentalización en el México español, siglos XVI-XVIII. Trad. Jorge Ferreiro Santana. 7a. reimpr. México: FCE, 2013.

HERNÁNDEZ, Fernando. Educación y cultura visual. Barcelona: Octaedro, 2000.

HERNÁNDEZ, Fernando. A cultura visual como um convite à deslocalização do olhar e ao reposicionamento do sujeito. In: MARTINS, Raimundo & TOURINHO, Irene (orgs.). Educação da cultura visual: conceitos e contextos. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2011, p. 31-49.

MARTINENGO, Alberto. From the Linguistic Turn to the Pictorial Turn – Hermeneutics Facing the ‘Third Copernican Revolution’. Proceedings of the European Society for Aesthetics, v. 5, 2013, p. 302-312.

MIGNOLO, Walter. Geopolítica de la sensibilidad y del conocimiento: sobre descolonialidad, pensamiento fronteirizo y desobediencia epistémica. In: MIGNOLO, Walter. Habitar la frontera: sentir y pensar la descolonialidad. Madrid: CIDOB, 2015, p. 173-189.

MITCHELL, William John Thomas. El giro pictorial. In: MITCHELL, William John Thomas. Teoría de la imagen. Trad. Yaiza Hernandéz Velázquez. Madrid: Akal, 2009, p. 19-38.

MITCHELL, William John Thomas. O futuro da imagem: a estrada não trilhada de Rancière. In: MARTINS, Raimundo & TOURINHO, Irene (orgs.). Cultura das imagens: desafios para a arte e para a educação. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2012, p. 19- 35.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. O mármore e a murta: sobre a inconstância da alma selvagem. In: VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. A inconstância da alma selvagem – e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2011, p. 181-264.

O periódico Filosofia e Educaçãoutiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.