Banner Portal
“O que está acontecendo com as imagens?”: arte, mídia e educação em Jean Baudrillard.
PDF

Palavras-chave

Jean Baudrillard. Simulacro. Educação

Como Citar

FABBRINI, Ricardo Nascimento. “O que está acontecendo com as imagens?”: arte, mídia e educação em Jean Baudrillard. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 8, n. 1, p. 63–91, 2016. DOI: 10.20396/rfe.v8i1.8643692. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8643692. Acesso em: 19 maio. 2024.

Resumo

O artigo examina a “guerra das imagens” na contemporaneidade, a partir da reflexão estética de Jean Baudrillard. Mostra que para Baudrillard a imagem hegemônica na sociedade da simulação total, é o simulacro: imagens planas; sem enigma, sem mistério; sem face oculta; nos termos do autor. Partindo desse diagnóstico, o texto conjectura se nessa sociedade hiper-real, é possível, ainda, produzir uma imagem de resistência, uma imagem que “force o pensamento”, no sentido de Gilles Deleuze. Por fim, afirma-se que é no campo da educação e da produção artística que se pode desenvolver a percepção sensível, de modo a permitir a seleção das imagens, no reconhecimento de suas diferenças. Para tanto, analisa-se fotografias de Nan Goldin, Ana Mariani, e do próprio Jean Baudrillard; além de videoinstalações, entre outras obras.

https://doi.org/10.20396/rfe.v8i1.8643692
PDF

Referências

ADORNO, Theodor. Teoria estética. 1. ed. Lisboa: Martins Fontes, 1982.

ADORNO, Theodor. Palavras e sinais: modelos críticos 2. 1. ed. Petrópolis: Vozes, 1995.

AUGUSTO, Daniel. Bem-vindo à linguagem. Folha de São Paulo. São Paulo, 02/08/2015, Caderno Ilustríssima, p. 4-5.

BARTHES, Roland. A câmara clara: notas sobre a fotografia. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BARTHES, Roland. O Neutro: anotações de aulas e seminários ministrados no Collége de France 1977-1978. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAUDRILLARD, Jean. Simulacro e simulação. 1. ed. Lisboa: Relógio d ́água, 1991.

BAUDRILLARD, Jean. Da sedução. 1. ed. Campinas, SP: Papirus, 1991a.

BAUDRILLARD, Jean. A arte da desaparição. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

BAUDRILLARD, Jean. À sombra das maiorias silenciosas: o fim do social e o surgimento das massas. 1. ed. São Paulo: Brasiliense, 2005.

BAUDRILLARD, Jean.Tela total, mito-ironias da era do virtual e da imagem. 3. ed. Porto Alegre: Sukina, 2005.

BAUDRILLARD, Jean. El complot del arte: ilusión y desilusión estéticas. 1. ed. Buenos Aires: Amorrortur, 2007.

BAUDRILLARD, Jean. O anjo de estuque. Porto Alegre: Sulina, 2004.

BAUDRILLARD, Jean. A fotografia como mídia do desaparecimento. Site: CISC: Centro disciplinar de semiótica da cultura e da cultura e da mídia. Disponível em http://www.cisc.org.br/portal/biblioteca/iv13_midiadesapa.pdf. Acesso em 05 de dezembro de 2015.

BAVCAR, Evgen. Le Vouyeur Absolu. Paris: Seuil, 1992.

BAVCAR, Evgen. Memórias do Brasil. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

BELLOUR, Raymond. Entre-imagens. 1. ed. Campinas, SP: Papirus, 1997.

BELTING, Hans. A verdadeira imagen. 1. ed. Porto: Dafne Editores, 2011.

BLANCHOT, Maurice. O libro por vir. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

CAMPOS, Augusto de. Do ideograma ao videograma. São Paulo, Folha de São Paulo, 16/05/93.

CAUQUELIN, Anne. Arte contemporânea: uma introdução. São Paulo: Martins, 2005.

COSTA, Mario. O sublime tecnológico. 1. ed. São Paulo: Experimento, 1995.

DELEUZE, Gilles. Cinema 1: A imagem-movimento. 1. ed. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DELEUZE, Gilles. A imagem-tempo. 1. ed. São Paulo: Brasiliense, 1990.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. 1. ed. São Paulo: Editora 34, 1998.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Passés Cités par JLG: L ́Oeil de l ́histoire, 5. Paris: Les Éditions de Minuit, 2015.

DUBOIS, Philippe. O Ato Fotográfico e outros ensaios. 1. ed. Campinas, SP: Papirus, 1994.

FAVARETTO, Celso. Experiência estética, instituições e educação. Marcelina: Revista do Mestrado em Artes Visuais da Faculdade Santa Marcelina, São Paulo, v. 4, no. 3, p. 54-62, 2010.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1981.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Da escrita filosófica em Walter Benjamin. In: SELIGMANN-SILVA, Márcio (Org.). Leituras de Walter Benjamin. São Paulo: Annablume, 1999.

GALARD, Jean. Beleza exorbitante: reflexões sobre o abuso estético. 1. ed. São Paulo: Editora Fap-Unifesp, 2012.

GODARD, Jean-Luc. “Vous Salue Sarajevo”. Video/DVD. English: ECM, 2006.

JAMESON, Fredric. Pós-modernidade e sociedade de consumo. Novos Estudos CEBRAP. São Paulo: CEBRAP, n. 12, p. 16-26, jun. 85.

JAMESON, Fredric. Periodizando os anos 60. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque (Org.). Pós-modernismo e política. Rio de Janeiro: Rocco, 1991.

LACAN, Jacques. O Seminário VII: A ética na psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.

LEHMANN, Hans-Thies. O teatro pós-dramático. 2. ed. São Paulo, Cosac Naify, 2011.

LIPOVETSKY, Gilles; CHARLES, Sebastien. Os tempos hipermodernos. 1. ed. São Paulo: Barcarolla, 2004.

LYOTARD, Jean-François. Que Peindre?: Adami, Arakawa e Buren. Paris: Éditions de la Différence, 1987.

LYOTARD, Jean-François. Algo assim como: comunicação...sem comunicação. In: PARENTE, André (Org.). Imagem-máquina: a era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993, 304.

LYOTARD, Jean-François. O inumano: considerações sobre o tempo: considerações sobre o tempo. 2. ed. Lisboa: Editorial Estampa, 1997.

PELPART, Peter Pál. Vida capital: ensaios de biopolítica. São Paulo: Iluminuras, 2003.

RANCIÈRE, Jacques. Sobre políticas estéticas. Barcelona: Édición Museu d'Art Contemporani de Barcelona, 2005.

SCHAEFER, Jean-Marie. A imagem precária: sobre o dispositivo fotográfico. Campinas: Papirus, 1996.

VIRILIO, Paul. O espaço crítico. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

O periódico Filosofia e Educaçãoutiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.