Banner Portal
Ética e formação: o elogio ao processo argumentativo
PDF

Palavras-chave

Pedro Goergen. Ética. Formação

Como Citar

ZUIN, Antônio; COSTA, Belarmino César Guimarães da. Ética e formação: o elogio ao processo argumentativo. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 8, n. 2, p. 62–78, 2016. DOI: 10.20396/rfe.v8i2.8646397. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8646397. Acesso em: 19 jun. 2024.

Resumo

Em tempos de cultura digital, observa-se o acesso a uma quantidade incomensurável de informações sem que sejam feitas relações que poderiam transformá-las em conceitos. Uma vez que prevalece o uso instrumental de tais informações, arrefece concomitantemente a postura ética que o questiona. É nesse contexto que o professor ocupa um posto decisivo no que diz respeito à organização e à discussão de tais informações com seus alunos. Este artigo tem como objetivo argumentar que a postura de Pedro Goergen como educador oferta aos alunos um tipo de relação que faz com que a própria figura do professor seja eticamente ressignificada nessa sociedade de cultura digital.
https://doi.org/10.20396/rfe.v8i2.8646397
PDF

Referências

ADORNO, Th. W. Tabus a respeito do professor. Trad. Newton Ramos de Oliveira. In: ZUIN, A., PUCCI, B.; RAMOS-DE-OLIVEIRA, N. Adorno: o poder educativo do pensamento crítico. 5.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

BOURDIEU, P. Contrafogo: táticas para enfrentar a invasão neoliberal. Trad. Lucy Magalhães. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

CAMBI, F. História da pedagogia. Trad. Álvaro Lorencini. São Paulo: ed. UNESP, 1999.

COSTA, Belarmino César G., Estética da Violência, Jornalismo e Produção de Sentidos. Campinas, SP: Autores Associados; Piracicaba, SP: ed. Unimep, 2002.

COMÊNIO, J. A. Didactica Magna. Lisboa: Calouste Gulbenkian. Trad. Joaquim Ferreira Gomes, 1985.

FREUD, S. “Algumas reflexões sobre a psicologia escolar”. In: Edição eletrônica brasileira das obras completas de Sigmund Freud, v. XIII (1913-1914). Rio de Janeiro: Imago, 1969.

GOERGEN, P. Educação para a responsabilidade social: pontos de partida para uma nova ética. In: SEVERINO, Francisca Eleodora Santos (org.). Ética e formação de professores: política, responsabilidade e autoridade em questão. São Paulo: Cortez, 2011.

HERBART, J. F. Pedagogia geral. Trad. Ludwig Scheidl. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2003.

KANT, I. Sobre a pedagogia. Trad. Francisco Cock Fontanella. Piracicaba, SP: ed. Unimep, 1996.

LEGRAS, B. Violence ou douceur. Les normes éducatives dans les sociétés grecque et romaine. In: VERGER, Jacques. Historie de L’education. Paris: Institut National de Recherche Pédagogique, n. 118, Avril-Juin, p. 11-35, 2008.

MANACORDA, M. A. História da educação: da antiguidade aos nossos dias. Trad. Gaetano Lo Mônaco. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1989.

MENCHEN, D. Aluna é suspensa após postar lições no Facebook. In: Folha de São Paulo. Caderno Ribeirão, p. 11, 14/06/2011.

ROUSSEAU, J-J. Emílio ou da educação. Trad. Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992.

TÜRCKE, C. Sociedade excitada: filosofia da sensação. Trad. Antônio Zuin, Fabio Durão, Francisco Fontanella e Mario Frungillo. Campinas: ed. Unicamp, 2010.

VERNANT, J. P. Entre mito e política. Tradução de Cristina Murachco. São Paulo: Edusp, 2002.

ZUIN, Antonio A. S. Indústria Cultural e Educação – O Novo Canto da Sereia. Campinas: Autores Associados, 1999.

O periódico Filosofia e Educaçãoutiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.