Banner Portal
Arte e design sob outros critérios
PDF

Palavras-chave

Arte e design
Disciplinas
Discurso

Como Citar

BECCARI, Marcos. Arte e design sob outros critérios: o complexo arte-design-entretenimento. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 13, n. 3, p. 2742–2768, 2022. DOI: 10.20396/rfe.v13i3.8667125. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8667125. Acesso em: 12 abr. 2024.

Resumo

Este ensaio propõe uma reflexão sobre o lugar que a arte e o design ocupam na esfera da visualidade contemporânea. Após contextualizar o certame mediante outros campos e saberes, apresento os contornos gerais do que denomino “complexo arte-design-entretenimento” (CADE) e exponho três possibilidades para sua assimilação disciplinar. Na sequência, lanço mão de uma leitura não disciplinar em torno de um design para não-designers, e de uma arte para não-artistas. Por fim, assinalo o lócus no qual, por meio da indústria do entretenimento, a arte e o design vêm assumindo uma nova dimensão valorativa que passa ao largo do discurso acadêmico-disciplinar.

https://doi.org/10.20396/rfe.v13i3.8667125
PDF

Referências

BEIGUELMAN, Giselle. Da cidade interativa às memórias corrompidas: arte, design e patrimônio histórico na cultura urbana contemporânea. Tese de Livre Docência em Linguagem e Poéticas Visuais. São Paulo: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, 2016.

BENTHAM, Jeremy. “Defense of Usury”. In: STARK, Werner (Ed.). Jeremy Bentham’s Economic Writings — Vol. 1. London: Blackfriars, 1952, p. 121-207.

BURNETT, Bill; EVANS, Dave. Designing Your Life: How to Build a Well-Lived Joyful Life. New York: Knopf, 2016.

BURNETT, Bill; EVANS, Dave. The Designing Your Life Workbook: A Framework for Building a Life You Can Thrive In. New York: Clarkson Potte, 2018.

BURNETT, Bill; EVANS, Dave. Designing Your Work Life: How to Thrive and Change and Find Happiness at Work. New York: Knopf, 2020.

CELESTINO, Luiz. “O que é Concept Art?”. Brushwork Atelier, 23 de maio de 2016. Disponível em: https://brushworkatelier.com/blog/2016/2/3/o-que-conceptart. Acesso em setembro de 2021.

FLEXNER, James. American Painting. New York: Houghton Mifflin, 1950.

FORTY, Adrian. Objetos de desejo: design e sociedade desde 1750. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

FOSTER, Hal. O retorno do real: A vanguarda no final do século XX. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

FOSTER, Hal. O complexo arte-arquitetura. São Paulo: Ubu, 2017.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: Aula inaugural no Collège de France pronunciada em 2 de dezembro de 1970. São Paulo: Loyola, 1996.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: Nascimento da prisão. São Paulo: Vozes, 2004.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade: Curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FOUCAULT, Michel. O Poder Psiquiátrico: Curso dado no Collège de France (1973- 1974). São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FOUCAULT, Michel. “Espaço, saber, poder”. In: Ditos e Escritos VIII: Segurança, penalidade e prisão. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012, p. 206-222.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.

GAIMAN, Neil. Make good art. New York: William Morrow, 2013.

GAIMAN, Neil. Art Matters: Because Your Imagination Can Change the World. New York: William Morrow, 2018.

HENRI, Robert. The Art Spirit. New York: Lippincott, 1960.

KLEON, Austin. Roube como um artista: 10 dicas sobre criatividade. Rio de Janeiro: Rocco, 2013.

KLEON, Austin. Show Your Work! 10 Ways to Share Your Creativity and Get Discovered. New York: Workman, 2014.

KLEON, Austin. The Steal Like an Artist Journal: A Notebook for Creative Kleptomaniacs. New York: Workman, 2015.

KLEON, Austin. Keep Going: 10 Ways to Stay Creative in Good Times and Bad. New York: Workman, 2019.

KRIPPENDORF, Klaus. The semantic turn: a new foundation for design. New York: Taylor & Francis, 2006.

LaROSSA, Brian. “The Architecture of Graphic Design’s Discourse”. Design Observer, 11 de março de 2017, s. p. Disponível em: https://designobserver.com/feature/the-architecture-of-graphic-designsdiscourse/39694. Acesso em setembro de 2021.

LATOUR, Bruno; YANEVA, Albena. “Give me a gun and I will make all buildings move: An ANT’s view of architecture”. In: GEISER, Reto (Ed.). Explorations in Architecture: Teaching, Design, Research. Basel: Birkhäuser, 2008, p. 80-89.

LATOUR, Bruno. “Um Prometeu cauteloso? Alguns passos rumo a uma filosofia do design (com especial atenção a Peter Slotedijk)”. Agitprop: revista brasileira de design, São Paulo, v. 6, n. 58, jul./ago. 2014.

LILLY, Eliott J. Big Bad World of Concept Art for Video Games: An Insider’s Guide for Students. Los Angeles: Design Studio Press, 2015.

LUPTON, Ellen. D.I.Y. — Design It Yourself. New York: Princeton Architectural Press, 2006.

LUPTON, Ellen; MILLER, Abbott. Design escrita pesquisa: a escrita no design gráfico. Porto Alegre: Bookman, 2011.

MIRZOEFF, Nicholas. The right to look: A Counterhistory of Visuality. Durham: Duke University Press, 2011.

NORMAN, Donald. O design do dia-a-dia. São Paulo: Rocco, 2005.

NORMAN, Donald. “Somos todos designers”. In: Design emocional: por que adoramos (ou detestamos) os objetos do dia-a-dia. Rio de Janeiro: Rocco, 2008, p. 243-257.

PEVSNER, Nikolaus. Os pioneiros do desenho moderno: de William Morris a Walter Gropius. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

READ, Herbert. Arte e Industria: Principios do Diseño Industrial. Buenos Aires: Ediciones Infinito, 1961.

SIMON, Herbert. As Ciências do Artificial. São Paulo: Almedina, 1981.

STEINBERG, Leo. Outros critérios: confrontos com a arte do século XX. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

VENTURELLI, Suzete; MELO, Marcilon Almeida de. “O visível do invisível: data art e visualização de dados”. Ars (São Paulo), v. 17, n. 35, p. 203-214, 2019.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Filosofia e Educação

Downloads

Não há dados estatísticos.