Banner Portal
O que é que se sente diante de σοφία? amor cristão, amor pagão, amores avulsos
O Número temático intitulado “A Epistemologia da Educação na América Latina e no Caribe: desafios e perspectivas” pretende documentar, compartilhar reflexões, resultados de pesquisas e experiências pedagógicas, que contribuam justamente para dinamizar o tema proposto, e identificar problemática em que poderíamos cooperar para colocar a Epistemologia da Educação a serviço das discussões das agendas curriculares e das reformas educacionais nos países da região que visem impacto social e educacional de forma inclusiva.
PDF

Palavras-chave

Amor
Cristianismo
Filosofia antiga

Como Citar

MENTOR, Pedro; BENSUSAN, Hilan Nissior. O que é que se sente diante de σοφία? amor cristão, amor pagão, amores avulsos. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 14, n. 3, p. 141–161, 2024. DOI: 10.20396/rfe.v14i3.8671180. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8671180. Acesso em: 25 maio. 2024.

Resumo

O seguinte ensaio escrito em texto corrido é uma breve apresentação da Filosofia do Amor no Cristianismo e na Antiguidade Clássica. Partimos do pressuposto que a palavra ‘filosofia’ tem uma dívida não apenas etimológica, mas conceitual com as definições de Amor, de forma que se faz pertinente uma investigação mais detida sobre o assunto. Começamos então com a interpretação cristã de C.S. Lewis sobre a Afeição, Amizade, Eros e Caridade para em seguida introduzir a visão pagã greco-romana. Concluímos com a indagação sobre o amor ser outra coisa que uma definição estanque ou indeterminação abstrata.

https://doi.org/10.20396/rfe.v14i3.8671180
PDF

Referências

μανία. WIKCIONÁRIO o dicionário livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2022. Disponível em: <https://en.wiktionary.org/wiki/%CE%BC%CE%B1%CE%BD%CE%AF%CE%B1#Ancient_Greek>. Acesso em: 00.00. 0000.

AQUINO, G. E. de. A amizade nas cartas a Lucílio de Sêneca. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2016. (Dissertação de Mestrado). Disponível em: <https://repositorio.ufc.br/handle/riufc/20112>. Acesso em: 07.10.2022.

BOMBASSARO, L. C.. Giordano Bruno, ‘philautia’ e poder para criar e desfazer vínculos. ANPOF — Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia. Disponível em: <https://www.anpof.org.br/forum/avaliacao-capes-2018/giordano-bruno-philautia-e-poder-para-criar-e-desfazer-vinculos>. Acesso em: 07.10.2022.

COSTA, O. B. R.. A Sabedoria do Povo Hebreu em Oposição à Sophia Grega. Uma Analise do Impacto da Cultura Helênica sobre a Cultura do Povo Hebreu. Páginas de Filosofia, v. 7, p. 99–126, 2015. Disponível em: <https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/PF/article/view/6364>. Acesso em: 07.10.2022.

FOUR GREEK WORDS FOR “LOVE” — ADAPTED FROM PRECEPT MINISTRIES INTERNATIONAL. Disponível em: <https://docslib.org/doc/2955773/four-greek-words-for-love-adapted-from-precept-ministries-international-multiply-1>. Acesso em: 07.10.2022.

HADOT, P.. O que é filosofia antiga?. 6 ed. Trad.:. São Paulo: Edições Loyola Jesuítas. 2014.

HELM, B.. Love. Stanford Encyclopedia of Philosophy. Publicação: 08.08.2005 com revisões em 01.09.2021. Disponível em: <https://plato.stanford.edu/entries/love/>. Acesso em: 07.10.2022.

JAEGER, W.. Cristianismo primitivo e paideia grega. Trad.: Daniel da Costa. Santo André: Academia cristã, 2014.

LEMOS, T. C. Entre os Fios da Urdidura: a tecelagem como linguagem frente ao silenciamento feminino. Brasília: Universidade de Brasília, Brasília, 2020. (Monografia de Licenciatura )

LEWIS, C. S. Os quatro amores. Tradução: Estevan Kirschner. 1 ed. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2017.

LIDDELL and SCOTT. Greek-english Lexicon. 7. ed. Nova Iorque: Oxford, 2001.

LIRA, D. P. de. O argumento das artes mânticas no ‘Corpus Hermeticum’. Griot: Revista de Filosofia, v. 17, n. 1, p. 283–303, 2018. Disponível em: <https://www.ssoar.info/ssoar/handle/document/60347>. Acesso em: 07.10.2022.

LOPES, E. S.. O desejo dos anjos. Educação e Filosofia, v. 27, p. 503–524, 2013. Disponível em: <https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/13769>. Acesso em: 07.10.2022.

LUDUS. In: WIKCIONÁRIO o dicionário livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2022. Disponível em: <https://en.wiktionary.org/wiki/ludus>. Acesso em: 07.10.2022.

MARINOFF, L.. Classical Greek Love: Eros, Philos, and Agape. Lectures Bureau. Publicação sem data informada. Disponível em: <https://www.lecturesbureau.gr/1/classical-greek-love-eros-philos-and-agape-1464/?lang=en>. Acesso em: 07.10.2022.

MARTINS-SILVA, P. de O.; TRINDADE, Z. A.; SILVA JUNIOR, A. da. Teorias sobre o amor no campo da Psicologia Social. Psicologia: ciência e profissão, v. 33, p. 16–31, 2013. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/pcp/a/5JMDBw5ZhbQx7yddL4nb7tS/abstract/?lang=pt>. Acesso em: 07.10.2022.

MORAES, G. L. de. Os demônios de Santo Agostinho. Revista de Estudos Filosóficos e Históricos da Antiguidade, v. 21, n. 30, 2017. Disponível em: <https://ojs.ifch.unicamp.br/index.php/cpa/article/view/2685>. Acesso em: 07.10.2022.

NEPOMUCENO, B. A.. A gargalhada dionisíaca: os sentidos do riso e do cômico na filosofia de Nietzsche. Ouro Preto: Universidade Federal de Ouro Preto, 2017 (Dissertação de Mestrado). Disponível em: <https://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/8718>. Acesso em: 07.10.2022.

OLIVEIRA, L. O amor como estado da alma (páthos) em Plotino. Revista Archai, n. 10, p. 85, 2013. Disponível em: <https://periodicos.unb.br/index.php/archai/article/view/8367>. Acesso em: 07.10.2022.

OLIVEIRA, T. A. F. de; SCHILLER, S.. As relações entre a filosofia e o cristianismo nos primeiros séculos. Helleniká — Revista Cultural, v.2., n. 2, jan/dez, 2020. Disponível em: <https://fasbam.edu.br/pesquisa/periodicos/index.php/hellenika/article/view/214>. Acesso em: 07.10.2022.

ONFRAY, M.. O cristianismo hedonista. Trad.: Monica Stahel. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2008. (Contra-história da filosofia; v. II)

PHILAUTIA. In: LEXICO. OXFORD: Oxford University Press, 2022. Disponível em: <https://www.lexico.com/definition/philautia>. Acesso em: 07.10.2022.

PLATÃO. Banquete, Fédon, Sofista e Político. Trad.: José Cavalcante de Souza, Jorge Paleikat e João Cruz Costa. 2 ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991. (Coleção Os Pensadores)

POTTER, B.. The Odyssey: Be Our Guest with Xenia. Classical Wisdom. Publicação: 19.04.2013. Disponível em: https://classicalwisdom.com/culture/literature/the-odyssey-be-our-guest-with-xenia/. Acesso em: 07.10.2022.

RAUEN, M. G. Paidia e Ludus: tipos e graus de interatividade na cena. CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRALIC. 2008. Disponível em: <https://abralic.org.br/eventos/cong2008/AnaisOnline/simposios/pdf/023/MARGARIDA_RAUEN.pdf>. Acesso em: 07.10.2022

SERRANITO, F. A. M. O fenómeno da Manía no Fedro de Platão. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa, 2008 (Dissertação de mestrado). Disponível em: <https://run.unl.pt/handle/10362/34851>. Acesso em: 07.10.2022

SOMET, Y.. A África e a filosofia. Revista Sísifo, v. 1, nº 4, 2016. Disponível em: <https://filosofia-africana.weebly.com/uploads/1/3/2/1/13213792/yoporeka_somet_-_a_África_e_a_filosofia.pdf>. Acesso em: 07.10.2022

SOUZA, O. M. de. O cristianismo primitivo e a cultura clássica: a formação do homem cristão. Maringá: Universidade Estadual de Maringá, 2004 (Dissertação de Mestrado). Disponível em: <http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/5995>. Acesso em: 07.10.2022.

Storge. In: COLLINS, Collins English Dictionary. Glasgow: HarperCollins, 2022. Disponível em: <https://www.collinsdictionary.com/dictionary/english/storge>. Acesso em: 07.10.2022.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Filosofia e Educação

Downloads

Não há dados estatísticos.