A presença da diferença negra e indígena na educação superior e o processo de ressignificação da universidade brasileira

  • José Bonifácio Alves da Silva Secretaria Estadual de Educação
  • José Licínio Backes Universidade Católica Dom Bosco
Palavras-chave: Educação superior e diversidade racial. Processo de ressignificação e universidade. Diferença negra e indígena

Resumo

O artigo traz uma discussão acerca das tensas relações de poder entre diferentes culturas na universidade. A academia e a ciência tornam-se alvos de problematização, pois são questionadas, sobretudo pela presença ativa de negros e indígenas em seu interior, enquanto invenções eurocentradas que concebiam/concebem as culturas brancas como as  únicas fontes  e identificações válidas para a produção do conhecimento e da verdade. Focalizamos, primeiramente, os elementos socioculturais constituintes da universidade e, posteriormente, mostramos os impactos da presença de negros e indígenas reivindicando espaços nas universidades. Essa presença como argumentaremos, ressignifica a universidade, pois os saberes/poderes dos grupos negros e indígenas infiltram-se nos saberes hegemônicos, colocando a hegemonia branca em xeque.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Bonifácio Alves da Silva, Secretaria Estadual de Educação

Mestre e doutor em Entomologia pela Universidade de São Paulo. Coordenador pedagógico do ensino médio - Secretaria Estadual de Educação.

José Licínio Backes, Universidade Católica Dom Bosco
Mestre e doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1999). Professor da Universidade Católica Dom Bosco. Bolsista Produtividade – CNPq.
Publicado
2016-01-18
Como Citar
Silva, J. B. A. da, & Backes, J. L. (2016). A presença da diferença negra e indígena na educação superior e o processo de ressignificação da universidade brasileira. Revista Internacional De Educação Superior, 1(2), 120-135. https://doi.org/10.22348/riesup.v1i2.7428
Seção
Artigos