A Reforma de Córdoba e a educação superior

institucionalização da extensão universitária no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/riesup.v5i0.8653655

Palavras-chave:

Reforma de Córdoba, Manifestação estudantil, Extensão universitária, Reforma do ensino superior, Pedagogia da educação superior.

Resumo

A Reforma de Córdoba (1918) estabeleceu um marco para as universidades latino-americanas constituindo-se como uma referência para suas reformas universitárias. Entre os princípios que nortearam essa manifestação estudantil, está a extensão universitária, entendida como compromisso social da universidade. Nessa perspectiva, objetiva-se analisar os reflexos da Reforma de Córdoba com relação à extensão universitária no contexto brasileiro. A abordagem metodológica está embasada na pesquisa bibliográfica, análise documental e análise de conteúdo como forma de tratamento dos dados. Como resultado observou-se que que as influências da Reforma de Córdoba sobre as reformas universitárias e movimentos estudantis na América Latina são indicativos para a compreensão das políticas e práticas atuais extensionistas, bem como a compreensão do processo de creditação da extensão na pedagogia universitária. Diante disso, verifica-se que o Brasil possui algumas políticas extensionistas, porém com pouco apoio financeiro e valorização da extensão na pedagogia universitária, o que dificulta o engajamento da comunidade acadêmica. Portanto, espera-se que o Plano Nacional de Educação, por meio da meta que propõe a inserção curricular da extensão nos cursos de graduação, possa contribuir para tornar a extensão indissociável à pesquisa e ao ensino nas Universidades Brasileiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone da Rosa Messina Gomez, Universidade Federal de Santa Maria

Diretora do Gabinete de Projetos do Centro de Artes e Letras. Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria.

         

Marilene Gabriel Dalla Corte, Universidade Federal de Santa Maria

Pós-Doutora em Educação - PUCRS. Professora Adjunta da Universidade Federal de Santa Maria.

Gabriela Paim Rosso, Universidade Federal de Santa Maria

Mestranda em Educação da Universidade Federal de Santa Maria. Professora substituta do Instituto Federal Farroupilha (RS).

Referências

AZEVEDO, Mário Luiz Nunes de; BRAGGIO, Ana Karine; CATANI, Afrânio Mendes. A Reforma Universitária de Córdoba de 1918 e sua influência no Brasil: um foco no movimento estudantil antes do golpe de 1964. Revista Latinoamericana de Educación Comparada, ano 9, n. 13, p. 37-51. Junio 2018 - Octubre 2018. ISSN 18533744. Disponível em: http://www.saece.com.ar/relec/revistas/13/art4.pdf. Acesso em: 19 set. 2018.

BARROS, Enrique et. al. La juventude argentina de Córdoba a los hombres libres de Sud América: Manifiesto de La Federación Universitaria de Córdoba. La comisión directiva de la Federación Universitaria de Córdoba. Museo Casa de La Reforma Universitária. Córdoba. Disponível em: http://www.reformadel18.unc.edu.ar/manifiesto.htm. Acesso em 02 out. 2018.

BEMVENUTI, Vera Lúcia. Da Intenção ao Gesto: a Extensão Universitária como Prática Acadêmica na Perspectiva da Construção do Conhecimento Novo. Dissertação de Mestrado. Porto Alegre. UFRGS. 2002. Disponível em: http://www.reitoria.uri.br/~vivencias/Numero%20002/artigos/area_comunicacao/area_comunicacao_01.htm. Acesso em: 15 set. 2018.

BRASIL. Constituição (1988). Capítulo III, seção 1, artigo 207. Senado Federal, Brasília, DF, 1988. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf. Acesso em: 19 set. 2018.

BRASIL. Lei nº 13.005 de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2014/lei-13005-25-junho-2014-778970-publicacaooriginal-144468-pl.html. Acesso em: 19 set. 2018.

BRASIL. Lei nº 5.540 de 28 de novembro de 1968. Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média, e dá outras providências. Disponível em: www.jusbrasil.com.br/legislacao. Acesso em: 19 set. 2018.

BRASIL. Lei n° 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Institui as Diretrizes da Educação Nacional. Brasília: Senado Federal, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 18 set. 2018.

CALDERÓN, Adolfo Ignacio; SANTOS, Sonia Regina Mendes dos; SARMENTO, Dirléia Fanfa (org). Extensão universitária: uma questão em aberto. São Paulo: Ed Xamã, 2011. 151 p. ISBN 978-85-7587-066-2. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/16236/1/Extract%20llivro_extensao%20universitaria_105-123.pdf. Acesso em: 20 set. 2018.

DALBEN, Ângela Imaculada; VIANNA, Paula Cambraia de Mendonça. Gestão e avaliação da Extensão Universitária: a construção de indicadores de qualidade. Revista Interagir: pensando a Extensão, Rio de Janeiro, n. 13, p. 31-39, jan./dez. 2008. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/interagir/article/view/1669. Acesso em: 21 jan. 2018.

DALMOLIN, Antônio Marcos Teixeira. Unipampa Campus Alegrete: Extensão Universitária e articulação universidade-comunidade. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/7112/DALMOLIN%2c%20ANTONIO%20MARCOS%20TEIXEIRA.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 20 ago. 2018.

DOMINGUES, Eron da Silva Domingues. Extensão universitária na UFSM: Propostas para um instrumento de avaliação. 2016. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/9628/DOMINGUES%2c%20ERON%20DA%20SILVA.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 20 ago. 2018.

FERRARO, Alceu Ravanello; KREIDLO, Daniel. Analfabetismo no Brasil: configuração e gênese das desigualdades regionais. Revista Educação & Realidade. UFRGS: FACED. v. 29, n. 2, 2004. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/25401/14733. Acesso em: 20 de set. 2018.

FÓRUM NACIONAL DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS (FORPROEX). I Encontro Nacional FORPROEX 1987. Brasília: UnB, 1987. p. 11-18. Disponível em: https://www.ufmg.br/proex/renex/images/documentos/1987-I-Encontro-Nacional-do-FORPROEX.pdf. Acesso em: 05 out. 2018.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS (FORPROEX). Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus: UFMG, 2012. 41 p. Disponível em: https://www.ufmg.br/proex/renex/images/documentos/2012-07-13-Politica-Nacional-de-Extensao.pdf. Acesso em: 05 out. 2018.

GADOTTI, Moacir. Extensão universitária: para quê?. Instituto Paulo Freire, São Paulo, 15 fev. 2017. Disponível em: http://www.paulofreire.org/noticias/557-extensao-universitaria-para-que. Acesso em: 02 set. 2018.

GERMANO, José Willington. As quarenta horas de Angicos. Educação e Sociedade. v.18 n.59, Campinas, SP: Scielo ago. 1997. p. 389-393. Print version: ISSN 01017330, On- line version: ISSN 16784626. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73301997000200009. Acesso em: 20 set. 2018.

GOMEZ, Simone da Rosa Messina. Gestão universitária e qualidade na educação superior: Institucionalização de cursos de línguas estrangeiras na UFSM. 2018. Dissertação. (Mestrado em Políticas Públicas e Gestão Educacional). Santa Maria, 2018.

GURGEL, Roberto Mauro. Extensão Universitária: comunicação ou domesticação. São Paulo: Cortez, Autores Associados: Universidade Federal do Ceará, 1986.

IMPERATORE, Simone Loureiro Brum; PEDDE, Valdir. “Curricularização” da Extensão Universitária no Brasil: questões estruturais e conjunturais de uma política pública. In: XIII CONGRESO LATINOAMERICANO DE EXTENSIÓN UNIVERSITARIA. 2015, Havana. Anais. 10 p. Disponível em: http://curricularizacaodaextensao.ifsc.edu.br/files/2016/06/1_Artigo_Curricularizaca_da_Extensao_Universitaria_no_Brasil.pdf. Acesso em: 1 de out. 2018.

LIMA FILHO, Humberto Correia. Análise da adequação das Instituições de Ensino Superior localizadas na região metropolitana de Fortaleza ao plano nacional de Extensão Universitária. 2014. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/10494. Acesso em: 15 set. 2018.

MANIFESTO DE CÓRDOBA: UM GRITO QUE RESISTE ENTRE NÓS. Jornal da Universidade: UFRGS, Porto Alegre, 6 jan. 2018. Disponível em: https://www.ufrgs.br/jornal/2018/06/01/manifesto-de-cordoba-um-grito-que-resiste-entre-nos/. Acesso em: 12 set. 2018.

PAIVA, Vanilda. Educação Popular e educação de adultos. 5. ed. São Paulo: Loyola, 1987.

POENER, Arthur José. Saiba a história do movimento estudantil. Metanoia: movimento estudantil em evidência, 2013. Disponível em: http://www.unicap.br/webjornalismo/metanoia/?p=74. Acesso em: 19 de set. 2018.

RODRIGUES, Valéria Maria. O programa de Extensão Universitária PROEXT no contexto das políticas educacionais no período de 2003 a 2012: uma análise a partir da experiência da Universidade Federal de Uberlândia. 2014. Dissertação (mestrado em educação. Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/13999/1/ProgramaExtensaoUniversitariaProex.pdf. Acesso em: 15 out. 2018.

OLIVEIRA, Dalila Andrade; AZEVEDO, Mário Luiz Neves. A atualidade dos ensinamentos da Reforma de Córdoba (1918). In: SADER, Emir; GENTILI, Pablo; ABOITES, Hugo. (orgs.) La reforma universitaria: desafíos y perspectivas noventa años después. Buenos Aires: CLACSO, 2008, 300 p. ISBN 9789871543052 Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/gt/20101109062939/sader.pdf. Acesso em: 20 set. 2018.

UNIÓN DE UNIVERSIDADES DE AMÉRICA LATINA (UDUAL). Primeiro Congresso De Extensão Universitária Latino-Americana, Guatemala, 1949. Disponível em: http://132.247.171.154:8080/handle/Rep-UDUAL/695. Acesso em: 12 set. 2018.

UNIÓN DE UNIVERSIDADES DE AMÉRICA LATINA (UDUAL). I Conferencia Latinoamericana de Difusión Cultural y Extensión Universitaria. UDUAL/UNAM. Chile, 1949. Disponível em: http://campus-oei.org/guiauniv/red010.htm. Acesso em: 12 set. 2018.

UNIÓN DE UNIVERSIDADES DE AMÉRICA LATINA (UDUAL). II Conferencia Latinoamericana de Difusión Cultural y Extensión Universitaria. UDUAL/UNAM. México, 1972. Disponível em: https://www.academia.edu/32883869/La_II_Conferencia_Latinoamericana_de_Difusi%C3%B3n_Cultural_y_Extensi%C3%B3n_Universitaria_1972_Un_debate_vigente. Acesso em: 12 set. 2018.

SOUSA, Ana Luiza Lima. A história da Extensão Universitária. Campinas, SP: Editora Alínea, 2010, 2ª ed. 140 p. ISBN: 9788575164280.

SOUZA, Lenilda Alves Pereira. Extensão Universitária: Institucionalidade e compromisso social. 2013. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas). Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2013. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/PUC_GO_f59fd9ae62864fccce5ba37f5f418b3b. Acesso em: 20 set. 2018.

TEIXEIRA, Carine. A Gestão dos processos da Extensão Universitária em uma IES Pública. 2014. Dissertação (Mestrado em Engenharia da Produção). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/handle/1/8317. Acesso: 15 set. 2018.

Publicado

2019-05-01

Como Citar

GOMEZ, S. da R. M. .; CORTE, M. G. D.; ROSSO, G. P. A Reforma de Córdoba e a educação superior: institucionalização da extensão universitária no Brasil. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 5, p. e019020, 2019. DOI: 10.20396/riesup.v5i0.8653655. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8653655. Acesso em: 29 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos