Banner Portal
Estágio docente em questão
PORTUGUÊS
ENGLISH

Palavras-chave

Estágio docente
Ensino superior
Expêriencias cooperativas

Como Citar

CONTE, Elaine; GUTIERRE, Liliane dos Santos. Estágio docente em questão: formação e implicações . Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 8, n. 00, p. e022002, 2021. DOI: 10.20396/riesup.v8i00.8656631. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8656631. Acesso em: 25 maio. 2024.

Resumo

O trabalho docente e a própria prática educativa no ensino superior, seguidamente traz dualidades entre formação e atuação, posições invertidas, opostas ou divisões simplificadoras entre aquele que ensina (supervisor) e o outro que aprende (estagiário). O estudo, com base em experiências de formação à docência, discute a questão do estágio no ensino superior como uma condição de possibilidade para pensar a educação de uma forma compartilhada, cujos princípios orientadores envolvem uma sensibilidade para com o outro, pelas evidências científico-profissionais relacionadas ao campo da gestão acadêmica e da formação no ensino superior. A investigação objetivou monitorar os avanços científicos abordados pela academia, por meio de experiências registradas em relatórios documentados, no sentido de lançar luz à temática do estágio docente para a formação contemporânea e à realidade dos desafios atuais do engajamento no ensino superior. Na verdade, tal preocupação exige uma reviravolta formativa para superar as posições maniqueístas, promover o intercâmbio de estudos e práticas pedagógicas, desenvolvendo o pensar reflexivo do estudante com o docente em uma variedade de situações interdisciplinares, reveladas na circularidade do planejar, avaliar e compreender a própria constituição conjunta da organização didática, que envolve a apreciação de experiências cooperativas e democráticas como marca da presença solidária do agir docente.

https://doi.org/10.20396/riesup.v8i00.8656631
PORTUGUÊS
ENGLISH

Referências

ALVES, Larissa Roberta et al. Reflections on graduate professor training. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 23, n. 3, e20180366, 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2018-0366

ARROIO, Agnaldo; RODRIGUES FILHO, Ubirajara Pereira; SILVA, Albérico Borges Ferreira da. A formação do pós-graduando em química para a docência em nível superior. Química Nova, São Paulo, v. 29, n. 6, p. 1387-1392, nov./dez. 2006. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-40422006000600040

AZAMBUJA, Paula Lima; CONTE, Elaine; HABOWSKI, Adilson Cristiano. O Planejamento Docente na Educação Infantil: metamorfoses e sentidos ao aprender. Pesquisa em Foco, São Luís, v. 22, n. 2, p. 157- 178, jul./dez. 2017. DOI: http://doi.org/10.18817/pef.v22i2.1503

ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. Tradução de Wolfgang Leo Maar. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

ALVES, Rubem. Conversas sobre educação. Campinas, SP: Verus Editora, 2003.

ALVES, Rubem. Por uma educação romântica. Campinas, SP: Papirus, 2000.

BAROLLI, Elisabeth; NASCIMENTO, Wilson Elmer. Retratos sociológicos e desenvolvimento profissional docente. In: MASSI, Luciana; LIMA JUNIOR, Paulo; BAROLLI, Elisabeth. Retratos da docência: contextos, saberes e trajetórias. Araraquara: Letraria, 2018. p. 410-435.

BARTHES, Roland. Aula: Aula inaugural da cadeira de Semiologia Literária do Colégio de França, pronunciada dia 7 de janeiro de 1977. São Paulo: Cultrix, 2007.

BECKER, Fernando. Fernando Becker: o mito da aprendizagem; a propósito do Ensino Médio. ZH opinião [on-line]. Publicado em 27/09/2016. Disponível em: http://zh.clicrbs.com.br/rs/opiniao/noticia/2016/09/fernando-becker-o-mito-da-aprendizagem-a-proposito-do-ensino-medio-7592779.html Acesso em: 30 set. 2017.

CALDERANO, Maria da Assunção. O estágio Curricular e a docência compartilhada: na perspectiva do realismo. Curitiba: Appris, 2017.

CENCI, Angelo Vitório; DALBOSCO, Cláudio Almir; MÜHL, Eldon Henrique (Org.). Sobre filosofia e educação: racionalidade, reconhecimento e experiência formativa. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2013.

CONTE, Elaine et al. A observação do cotidiano escolar na práxis formativa. Revista Eletrônica de Educação, ahead of print, p. 1-17, set. 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.14244/198271992787

DEWEY, John. Experiência e Educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1971.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GADAMER, Hans-Georg. La educación es educarse. Barcelona: Paidós, 2000.

HABERMAS, Jürgen. A Inclusão do Outro – estudos de teoria política. São Paulo, SP: Loyola, 2002.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Tradução de Luiz Repa. São Paulo: Ed. 34, 2003.

KANT, Emmanuel. Sobre a Pedagogia. Trad. Francisco Fontanella. Piracicaba: Ed. Unimep, 1996.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 6. ed. São Paulo: Cortez, 1994.

MAGALHÃES, Rita de Cássia Barbosa Paiva et al. Formação docente na Pós-Graduação stricto sensu: experiências na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Revista Brasileira de Pós-Graduação (RBPG), Brasília, v.13, n. 31, mai/ago. 2016.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Aprendizagem da Docência: Professores Formadores. Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 1, n. 1, dez./jul. 2005-2006.

NÓVOA, Antônio. Devolver a formação de professores aos professores. Cadernos de Pesquisa em Educação, Vitória, v. 9, v. 18, n. 35, p. 11-22, jan./jun. 2012.

NÖRMBERG, Marta; OURIQUE, Maiane Liane Hatschbach. Por que a docência? Marcadores sociopedagógicos do desenvolvimento profissional de aspirantes à carreira docente. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 13, n. 2, p. 348-364, maio/ago. 2018.

PANIAGO, Rosenilde Nogueira; SARMENTO, Teresa Jacinto; ALBUQUERQUE, Simone da Rocha de. O Estágio Curricular Supervisionado e o Programa Brasileiro de Iniciação à Docência: convergências, tensões e contributos. Rev. Port. de Educação, Braga, v. 30, n. 2, p. 33-58, dez. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.21814/rpe.10228

PAZ, Octavio. Miscelánea I. Primeros Escritos. México: Fondo de Cultura Económica, 1999.

PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999.

PONTALIS, Jean-Bertrand. O amor dos começos. Rio de Janeiro: Globo, 1988.

RODRIGUES, Rodrigo S. et al. O Estágio de Docência na Formação dos Pós-Graduandos do Instituto de Botânica, SP, Brasil. Hoehnea, São Paulo, v. 45, n. 4, p. 591-601, dec. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2236-8906-76/2017

SIBILIA, Paula. Redes ou paredes: a escola em tempos de dispersão. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

UFRN. Resolução Nº 041/2019 - CONSEPE. Estabelece normas e regulamenta as atividades de Assistência à Docência na Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, 2010. Disponível em: http://www.ppged.ufrn.br/arquivos/resolucoes/resol_041_2019_consepe.pdf. Acesso em: 03 jun. 2019.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org.). Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. 22. ed. Campinas, SP: Papirus, 2006.

VERHINE, Robert Evan; DANTAS, Lys Maria Vinhaes. Estágio de docência: conciliando o desenvolvimento da tese com a prática em sala de aula. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 4, n. 8, p. 171-191, dez. 2007.

ZUTIÃO, Patricia; COSTA, Carolina Severino Lopes da; LESSA, Tatiane Cristina Rodrigues. Habilidades Sociais em Universitários com Diferentes Experiências de Preparação para o Trabalho. Rev. bras. educ. espec., Bauru, v. 24, n. 2, p. 261-276, apr. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s1413-65382418000200008

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Revista Internacional de Educação Superior

Downloads

Não há dados estatísticos.