A gestão dos cursos EAD em Moçambique

Palavras-chave: Modelos de governo, Gestão universitária, Instituição de ensino superior, Educação a distância, Moçambique.

Resumo

O objetivo deste artigo é o de apresentar como a EaD se tornou um objetivo nacional do governo moçambicano para assegurar o acesso à educação a um número cada vez maior de cidadãos e de melhorar a qualidade dos serviços prestados em todos os níveis e tipos de ensino. A partir da metodologia do estudo de caso, a pesquisa apresenta como principais resultados o fato de que a Educação a Distância é considerada uma das alternativas para atender as diferentes necessidades de formação superior face às evidentes dificuldades pelas quais Moçambique enfrenta no quesito formação em nível superior. O Instituto Superior de Ciências e Educação à Distância (ISCED) contribui para esse processo de elaboração de cursos a distância, cujos cursos se traduzem no desenvolvimento de um ambiente para suporte ao processo ensino/aprendizagem apoiado pelas novas tecnologias de informação e de comunicação, pressupondo um cuidadoso planejamento, que aponta para a necessidade de um enfoque sistêmico na produção de cursos, envolvendo uma equipe multidisciplinar, com habilidades e conhecimentos especializados. Conclui-se que o enfoque sistêmico de concepção, produção e implementação de programas à distância estão garantindo a realização do objetivo nacional do governo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Estrela Brito, Universidade Eduardo Mondlane

Assistente de Ensino à Distância, Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique). Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela UFSC (Brasil).

                   
Marcos Ferasso, Unochapecó

Possui Pós-doutoramento pelo Centre d'Expertise Santé, Innovation, Bien-Etre et Politiques Publiques da KEDGE Business School, Marselha, França (2019). Professor na Unochapecó (Brasil).

         
Sandra Manuel Periedes Pereira Lopoes Estrela Brito, Universidade Eduardo Mondlane

Professora na Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique). Doutora em Engenharia de Produção pela UFSC (Brasil).

         

Referências

ANDRADE, Rui Otavio Bernardes; TACHIZAWA, Takeshy. Gestão de instituições de ensino. São Paulo: FGV, 2002.

BUENDÍA GÓMEZ, M. Educação moçambicana: história de um processo: 1962-1984. Maputo (Mz): Livraria Universitária, 1999.

COSTA, K. C. O.; SALM, J. F. A percepção do professor estadual como funcionário público: cumpridor de regras, empreendedor ou servidor público? In: ENCONTRO ANUAL DA ANPAD, 30, 2006, Salvador. Anais. Salvador: ANPAD, 2006.

DENHARDT, J. V.; DENHARDT, R. B. The new public service: serving rather than steering. New York: M. E. Sharpe, 2007.

FISCHER, Tânia. O futuro da gestão. Pensamento nacional. HSM Management, V. 64, setembro-outubro 2007.

FLEURY, S. Reforma del estado. Revista de Administra¬ção Pública, Rio de Janeiro, v. 35, n. 5, p. 7-48, 2001.

IMPRENSA NACIONAL DE MOÇAMBIQUE - INM. Conselho de Ministros: Decreto n. 41/2014. Disponível em: http://bronline.inm.gov.mz/pt-pt/conselho-de-ministros-decreto-n%C2%BA-412014. Acesso em: 17 jul. 2015.

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - ISCED. Disponível em: www.isced.ac.mz. Acesso em: jun. 2015.

MÁRIO, Mouzinho; NANDJA, Débora. A alfabetização em Moçambique: desafios da educação para todos. 2005.

MARQUES, Marcelo. Administração pública: uma abordagem prática. Rio de Janeiro: Ferreira, 2008.

MATOS, Narciso; MOSCA, João. Desafios do ensino superior. In: BRITO, Luís de; CASTEL-BRANCO, Carlos Nuno; CHICHAVA, Sérgio; FRANCISCO, Antônio (Orgs.). Desafios para Moçambique 2010. Maputo (Mz): IESE, 2009.

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito administrativo brasileiro. 32. ed. São Paulo: Malheiros, 2006.

MINED/UEM. Plano Estratégico do Ensino Superior 2012-2020. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2015.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO HUMANO DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE. Ensino superior. 2015. Disponível em: http://www.mec.gov.mz/EDUCA/Pages/Ensino-Superior.aspx. Acesso em: 21 jun. 2015.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO HUMANO DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE. Colectânea de Legislação do Ensino Superior. 2012. Disponível em: http://www.mined.gov.mz/DN/DICE/Documents/Colect%C3%A2nea%20de%20Legislacao%20dop%20Ensino%20Superior.pdf . Acesso em: 21 jun. 2015.

MOREIRA, Cristiane Hoffmann; MOREIRA, Victória Hoffmann; PALMEIRA, Eduardo Mauch. Instituições de Ensino Superior enquanto Organização. Cuadernos de Educación y Desarrollo. Vol.1, n. 7. Setembro 2009. Disponível em: http://www.eumed.net/rev/ced/07/mmp.htm. Acesso em: 19 jun. 2015.

PORTAL DO GOVERNO DE MOÇAMBIQUE. Disponível em: http://www.portaldogoverno.gov.mz/Legisla/legisSectores/edu_leg/reajusteSNE.pdf. Acesso em: jun. 2015.

ROSÁRIO. Lourenço Joaquim da Costa. Universidades moçambicanas e o futuro de Moçambique. Revista Ensino Superior nº 10 (julho-setembro). 2013. Disponível em: https://www.revistaensinosuperior.gr.unicamp.br/artigos/universidades-mocambicanas-e-o-futuro-de-mocambique. Acesso em: 22 jun. 2015.

SALM, J. F.; MENEGASSO, M. E. Os modelos de administração pública como estratégias complementares para a co-produção do bem público. In: ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E GOVERNANÇA. 2006. São Paulo. Anais. São Paulo: ANPAD, 2006.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Da idéia de Universidade à Universidade de idéias. In: Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

TENÓRIO, Fernando Guilherme. (Re)Visitando o conceito de gestão social. In: SILVA J. et al. (Orgs.). Gestão social: práticas em debate, teorias em construção. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2008.

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE. Relatório de atividades da UEM. 2014.

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE. 2015. Disponível em: http://www.uem.mz/. Acesso em: jun. 2015.

Publicado
2019-12-27
Como Citar
Brito, C. E., Ferasso, M., & Brito, S. M. P. P. L. E. (2019). A gestão dos cursos EAD em Moçambique. Revista Internacional De Educação Superior, 6, e020036. https://doi.org/10.20396/riesup.v6i0.8657395
Seção
Pesquisas