Formação e envolvimento pedagógico entre docentes do ensino superior em saúde

uma análise dos cursos médicos

Palavras-chave: Capacitação de professores, Educação superior, Educação médica

Resumo

O ensino superior brasileiro passou por expansão significativa nos últimos anos. A combinação de políticas públicas e desenvolvimento socioeconômico do país proporcionou um aumento substancial do número de instituições, de vagas, de regiões atendidas por cursos de Medicina e, consequentemente, no número de professores. Apesar de majoritariamente pós-graduados, esses professores têm treinamento técnico na área específica da Saúde sem, em geral, desenvolverem competências pedagógicas. Dada a importância da Medicina na assistência à saúde brasileira, a formação dos estudantes é tópico fundamental de estudo e de constante melhoria. Avaliar a capacitação do professor, um dos principais atores envolvidos nesse processo, é, portanto, fundamental. O objetivo deste estudo foi avaliar o grau de envolvimento pedagógico dos professores de graduação em Medicina da cidade de Salvador, Bahia.  Cento e oitenta professores registrados e atuantes em cursos de graduação de Medicina em instituições de ensino superior da cidade receberam acesso virtual a um questionário estruturado com perguntas referentes à formação e atuação profissional no magistério superior, além de questões de cunho sócio demográficos. Os professores de Medicina, apesar de majoritariamente relatarem conhecer as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso, em geral não têm a atividade docente como principal ofício. Além disso, parcela considerável jamais fez nenhum tipo de capacitação pedagógica e baseia sua atuação docente exclusivamente pela experiência prática no seu campo de atuação. Conclusão: O presente estudo demonstra que há muito a ser desenvolvido no âmbito do desenvolvimento docente no ensino médico e propõe maior investimento na capacitação didático-pedagógica desses profissionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Quintanilha, Universidade Salvador

Doutorado em Ciências (UFRJ) e pós-doutorado na Yamaguchi University, Japão. Atualmente, é professor do programa de pós-graduação em desenvolvimento regional e urbano da Universidade Salvador (UNIFACS).

Cassiana Santos da Silva Farias, Universidade Salvador

Possui graduação em Administração pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Estudante do Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade Salvador (UNIFACS).

 

 

Bruno Bezerril Andrade, Fundação Oswaldo Cruz

Doutor em Patologia Humana pela Fundação Oswaldo Cruz e pós-doutorado no National Institute of Allergy and Infectious Diseases, National Institutes of Health. Atualmente, é pesquisador do Instituto Gonçalo Moniz, Fundação Oswaldo Cruz, em Salvador, Bahia, além de professor de cursos de Medicina na UniFTC, UNIFACS e da pós-graduação da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP).

Referências

ALMEIDA, Maria Tereza Carvalho; MAIA, Fernanda Alves; BATISTA, Nildo Alves. Gestão nas escolas médicas e sustentabilidade dos programas de desenvolvimento docente. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Sorocaba, SP, v. 18, n. 2, p. 299–310, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s1414-40772013000200004. Acesso em: 29 mai. 2020

BALZAN, Newton Cesar; WANDERCIL, Marco. Formando médicos: a qualidade em questão Training doctors: the quality in question. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Sorocaba, SP, v. 24, n. 3, p. 744–765, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-40772019000300010. Acesso em: 9 abr. 2020

BARROS, Aparecida da Silva Xavier. Expansão da educação superior no Brasil: limites e possibilidades. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 36, p. 361–390, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v36n131/1678-4626-es-36-131-00361.pdf. Acesso em: 16 abr. 2019.

BARROS, Manoel Joaquim Fernandes; BOAVENTURA, Edvaldo Machado. A tensão entre o público e o provado na educação superior brasileira. Gestão & Planejamento, Salvador, BA, v. 12, p. 42–52, 2005. Disponível em: https://revistas.unifacs.br/index.php/rgb/article/view/216. Acesso em: 9 abr. 2020.

BATISTA, Sylvia Helena et al. Professores iniciantes e professores experientes em currículos inovadores na graduação em saúde: um estudo sobre formação e docência. Interfaces da Educação, Paranaíba, MS, v. 6, n. 17, p. 09–25, 2015. Disponível em: https://periodicosonline.uems.br/index.php/interfaces/article/view/743. Acesso em: 10 abr. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Censo da Educação Superior 2018: notas estatísticas. Brasília, 2019. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2019/censo_da_educacao_superior_2018-notas_estatisticas.pdf. Acesso em: 09 abr. 2020.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Conselho Nacional de Educação. Resolução Nº 1, de 8 de junho de 2007: Estabelece normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação lato sensu, em nível de especialização. Brasília, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces001_07.pdf. Acesso em: 11 abr. 2020.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Conselho Nacional de Educação. Resolução Nº 3, de 20 de junho de 2014: Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina e dá outras providências. Brasília, 2014. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15874-rces003-14&category_slug=junho-2014-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 07 abr. 2020.

CEZAR, Pedro Henrique Netto et al. Transição Paradigmática na Educação Médica: Um Olhar Construtivista Dirigido à Aprendizagem Baseada em Problemas. Revista Brasileira de Educação Médica, Brasília, DF, v. 34, n. 2, p. 298–303, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v34n2/a15v34n2. Acesso em: 27 maio. 2018.

COSTA, Nilce Maria da Silva Campos. Docência no ensino médico: por que é tão difícil mudar? Revista Brasileira de Educação Médica, Brasília, DF, v. 31, n. 1, p. 21–30, 2007. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0100-55022007000100004

DURAN, Cinthya Cosme Gutierrez et al. Medical teachers in the 21st Century: reflections from Paulo Freire and Theodor Adorno. O mundo da saúde, São Paulo, SP, v. 37, n. 1, p. 65–69, 2013. Disponível em: http://www.revistamundodasaude.com.br/assets/artigos/2013/101/6.pdf. Acesso em: 16 abr. 2019.

GOMES, Andréia de Fátima Araujo et al. A complexidade do professor e sua desvalorização na comtemporaniedade. Educere - Revista da Educação da UNIPAR, Umuarama, PR, v. 13, n. 2, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.25110/EDUCERE.V13I2.2013.5229

GOMES, Romeu et al. Aprendizagem Baseada em Problemas na formação médica e o currículo tradicional de Medicina: uma revisão bibliográfica. Revista brasileira de educação médica, Brasília, DF, v. 33, n. 3, p. 444–451, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v33n3/14.pdf. Acesso em: 16 abr. 2019.

MACHADO, Maria das Mercês Borém Correa et al. Reflexões e significados sobre competências docentes no ensino médico. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Sorocaba, SP, v. 22, n. 1, p. 85–104, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-40772017000100005. Acesso em: 9 abr. 2020.

MANCEBO, Deise; DO VALE, Andrea Araujo; MARTINS, Tanis Barbosa. Políticas de expansão da educação superior no Brasil. Revista brasileira de educação, Rio de Janeiro, RJ, v. 20, n. 60, p. 31–50, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782015206003. Acesso em: 16 abr. 2019.

MANTOVANI, Isabel Cristina de Almeida; CANAN, Silvia Regina. Política de formação para professores do ensino superior e qualidade de ensino: um estudo sobre o programa pedagogia universitária como possibilidade de qualificação docente na perspectiva pedagógico-didática. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 1, n. 2, p. 136–148, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.22348/riesup.v1i2.7427. Acesso em: 29 mai. 2020.

MEDEIROS, Régis Nunes. Professores-profissionais e profissionais-professores a construção de um Professor. Revista Linhas, Florianópolis, SC, v. 5, n. 2, p. 1–19, 2004. Disponível em: http://www.periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1220. Acesso em: 9 abr. 2020.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; GUALHANO, Luiza. Pesquisas sobre o Programa Mais Médicos: análises e perspectivas. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, RJ, v. 21, n. 9, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232016011000001&script=sci_arttext_pr&tlng=pt. Acesso em: 16 abr. 2020.

OLIVEIRA, Bruno Luciano Carneiro Alves de et al. Evolução, distribuição e expansão dos cursos de Medicina no Brasil (1808-2018). Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, RJ, v. 17, n. 1, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00183. Acesso em: 16 abr. 2020.

PERIM, Gianna Lepre et al. Desenvolvimento Docente e a Formação de Médicos. Revista Brasileira de Educação Médica, Brasília, DF, v. 33, n. 1, p. 70–82, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v33s1/a08v33s1.pdf. Acesso em: 16 abr. 2020.

QUINTANILHA, Luiz Fernando. Inovação pedagógica universitária mediada pelo Facebook e YouTube: uma experiência de ensino-aprendizagem direcionado à geração-Z. Educar em Revista, Curitiba, PR, n. 65, p. 249–263, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0104-4060.50027. Acesso em 16 de abril de 2020.

QUINTANILHA, Luiz Fernando; COSTA, Gustavo Nunes; COUTINHO, Marcio Ramos. Medical student perceptions about active methodologies in the study of physiology in medical schools in Salvador, Brazil. Advances in Physiology Education, Rockville, MD, v. 42, n. 4, p. 693–696, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1152/advan.00105.2018. Acesso em: 27 nov. 2019.

ROBINSON, John. Likert Scale. In: Encyclopedia of Quality of Life and Well-Being Research. Dordrecht: Springer Netherlands, 2014. p. 3620–3621. E-book. Disponível em: https://doi.org/10.1007/978-94-007-0753-5_1654. Acesso em: 29 mai. 2020.

SCHEFFER, Mário César et al. A feminização da medicina no Brasil. Revista Bioetica, Brasília, DF, v. 21, n. 2, p. 268–277, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1983-80422013000200010. Acesso em: 7 jan. 2020.

SILVA, Rinaldo Henrique Aguilar. Educação Interprofissional na Graduação em Saúde: aspectos avaliativos da implantação na Faculdade de Medicina de Marília. Educar em Revista, Curitiba, PR, v. 39, p. 159–175, 2011. Disponível em: https://doi.org/https://doi.org/10.1590/S0104-40602011000100011. Acesso em: 9 abr. 2020.

SOUZA, Nathália Cristina Amorim Tamaio de; PASSALACQUA, Flávia Graziela Moreira. O processo de construção da profissionalidade docente. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 5, p. e019018, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.20396/riesup.v5i0.8653296. Acesso em: 29 mai. 2020.

VARGAS, Hustana Maria. Sem perder a majestade: “profissões imperiais” no Brasil. Estudos de Sociologia, Araraquara, SP, v. 15, n. 28, p. 107–124, 2010. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/view/2553/2173. Acesso em: 11 abr. 2020.

Publicado
2020-07-18
Como Citar
Quintanilha, L. F., Farias, C. S. da S., & Andrade, B. B. (2020). Formação e envolvimento pedagógico entre docentes do ensino superior em saúde. Revista Internacional De Educação Superior, 7, e021026. https://doi.org/10.20396/riesup.v7i0.8659850
Seção
Artigos