Banner Portal
Desafios e dificuldades de docentes universitários iniciantes na área de Ciências da Natureza e o potencial formativo do estágio de docência
Imagem: Universidade de Nápoles Federico II, fundada em 1224. - Google / Licença Creative Commons.
PORTUGUÊS
ENGLISH (English)
ÁUDIO
VÍDEO

Palavras-chave

Docência universitária
Estágio de docência
Saberes docentes
Identidade profissional

Como Citar

CORTELA, Beatriz Salemme Corrêa; GEBARA, Gabriela Oldane; FERRARI, Tarso Bortolucci. Desafios e dificuldades de docentes universitários iniciantes na área de Ciências da Natureza e o potencial formativo do estágio de docência. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 10, n. 00, p. e024006, 2022. DOI: 10.20396/riesup.v10i00.8663758. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8663758. Acesso em: 17 jun. 2024.

Resumo

Introdução: O processo de preparação de docentes para o ensino superior é algo complexo e pouco explorado. Apresentam-se, aqui, resultados de investigação realizada com docentes universitários (iniciantes), atuando como formadores de professores num curso de Ciências Biológicas de uma universidade pública brasileira. Objetivo: Visa apresentar suas representações no que diz respeito às dificuldades/desafios em relação ao ensino. Metodologia: Trata-se de um estudo de caso, de cunho quali-quantitativo, uma pesquisa exploratória, fundamentada na legislação que normatiza os estágios de docência em cursos de Pós-Graduação stricto sensu e no que dizem alguns autores de renome a respeito deste espaço formativo. A partir de um questionário misto, as representações sociais dos participantes foram levantadas e analisadas por meio da técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. Resultados: As principais dificuldades/desafios enfrentados e suas sugestões visando minimizá-las/saná-las, podem ser resumidas às de ordem: pedagógicas, referentes ao planejamento e execução de aulas; burocráticas, como preenchimento de documentos e atendimento de normativas; falta de apoio/orientação por parte de coordenadores, baixos salários; e preocupações de ordem pessoal, relacionadas com a qualidade do ensino oferecido e com o comportamento desinteressado de alunos, entre outros. Conclusões: Embora não possam ser generalizados, os resultados apontam que a preparação à docência, que deveria ser realizada durante a pós-graduação, ainda não se apresenta como lugar formativo, apesar das intenções dos proponentes.

https://doi.org/10.20396/riesup.v10i00.8663758
PORTUGUÊS
ENGLISH (English)
ÁUDIO
VÍDEO

Referências

ALMEIDA, Maria Isabel de. Formação do professor do ensino superior: desafios e políticas institucionais. SP: Cortez, 2012.

BOURDIEU, Pierre. Homo academicus. Florianópolis: EdUFSC, v. 1, p. 13-20, 2011.

BRASIL. Portaria nº. 52/CAPES. Regulamenta o Estágio de Docência na Graduação. Brasília. Recuperado de: https://bityli.com/8cm9a. 2002.

BRASIL. Ofício Circular nº. 028/1999/PR/CAPES. Regulamenta o Estágio de Docência na Graduação. Coord. de Aperf. de Pessoal de Nível Superior. 1999.

BRASIL. Lei 9.394 de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Institui as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília. 1996.

CAMPOS, Vanessa Therezinha Bueno. Formar ou Preparar para a Docência no Ensino Superior? Eis a questão. Anais da 35ª Reunião Anual da Anpe. Recuperado de: http://www.anped.org.br/biblioteca/item/formar-ou-preparar-para-docencia-no-ensino-superior-eis-questao. 2012.

CHIZZOTTI, Antonio. A pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais: evolução e desafios. Revista portuguesa de educação, v. 16, n. 2, p. 221-236, 2003. Recuperado de: https://www.redalyc.org/pdf/374/37416210.pdf

CORTELA, Beatriz S. C; Nardi, Roberto. Expectativas de docentes formadores frente a um processo de reestruturação curricular num curso de licenciatura em Física. In: NARDI, R.; CORTELA, B.S.C (Orgs.) Formação inicial de professores de Física em universidades públicas: estudos realizados a partir de reestruturações curriculares. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2015.

COSTA, Daiene de Cássia Souza da. Docência universitária e formação pedagógica: o estágio de docência na pós-graduação stricto sensu. (Dissertação de mestrado em Educação). Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2015.

CUNHA, Maria Isabel da. O professor universitário na transição de paradigmas. Araraquara, SP: Junqueira & Martins, 1998.

CUNHA, Maria Isabel da. Pedagogia universitária: energias emancipatórias em tempos neoliberais. Junqueira & Marin Editores, 2006.

CUNHA, Maria Isabel da. Trajetórias e lugares de formação da docência universitária: da perspectiva individual ao espaço institucional. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2010.

DELIZOICOV NETO, Demétrio. Docência no ensino superior e a potencialização da pesquisa em educação em ciências. In: GARCIA, N. M. D. [et al.]. A pesquisa em ensino de Física e a sala de aula: articulações necessárias. São Paulo, Editora da SBF, 2010, p.227-238.

FEITOSA, Judith. Construindo o estágio de docência da pós-graduação em química. Química Nova, v. 25, n. 1, p. 153-158, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-40422002000100024

GARCÍA, Carlos Marcelo. A identidade docente: constantes e desafios. Formação Docente, 1 (1), 109-131, 2009. Recuperado de: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/8

GARCÍA, Carlos Marcelo. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto, Portugal: Porto Editora, 1999.

GARCIA, Maria Manuela Alves.; HYPOLITO, Álvaro Moreira.; VIEIRA, Jarbas Santos. As identidades docentes como fabricação da docência. Educação e Pesquisa, 31(1), 45-56, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000100004

GAUTHIER, Clermont. et al. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: Editora UNIJUÍ, 1998.

HOFFMANN, Marilisa Bialvo.; DELIZOICOV NETO, Demétrio. Formação pedagógica dos Docentes do Ensino Superior: uma análise curricular dos Programas de Pós-Graduação de Ciências Biológicas. Anais do X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Águas de Lindóia, SP: ABRAPEC. 2015. Recuperado de: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/resumos/R0452-1.PDF

HOFFMANN, Marilisa Bialvo.; DELIZOICOV NETO, Demétrio. Estágio de Docência: espaço formativo do docente do Ensino Superior na área de Ciências da Natureza. Anais do XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Florianópolis-SC: ABRAPEC. 2017. Recuperado de: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/anais/resumos/R0930-1.pdf

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, António (Eds.). Vidas de professores (pp. 31-60). Porto: Porto Editora, 1992.

LEFEVRE, Fernando.; LEFEVRE, Ana Maria Cavalcanti. Discurso do Sujeito Coletivo: Representações Sociais e Intervenções Comunicativas. Revista Texto Contexto Enfermagem, 23(2), 502-507, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-07072014000000014

LEFEVRE, Fernando.; LEFEVRE, Ana Maria Cavalcanti. Pesquisa de representação social: um enfoque qualiquantitivo: a metodologia do Discurso do Sujeito Coletivo. Brasília: Liber Livro Editora, 2012.

MARTINS, Maria Márcia Melo de Castro. Estágio de docência na pós-graduação stricto sensu: uma perspectiva de formação pedagógica. 2013. (Dissertação de mestrado do Programa de Pós-graduação em Educação). Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2013.

MASETTO, Marcos Tarciso. Competência Pedagógica do Professor Universitário. São Paulo: Summus, 2003.

MOREIRA, Marco Antônio. Metodologias de Pesquisa em Ensino. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2011.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigação em psicologia social. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

OLIVEIRA, Cláudia Chueire de.; VASCONCELLOS, Maura Maria Morita. Estágio de Docência na promoção da formação do docente da Educação Superior. Anais da Reunião Científica Regional da ANPED: Educação, Movimentos sociais e Políticas governamentais. UFPR: Curitiba, 2016. Recuperado de: http://www.anpedsul2016.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2015/11/EIXO6_CL%C3%81UDIA-CHUEIRE-DE-OLIVEIRA-MAURA-MARIA-MORITA-VASCONCELLOS.pdf

PASSOS, Laurizete Ferragut et al. Professores iniciantes em cursos de licenciatura: corrosão ou constituição de novas profissionalidades? Revista de Educação PUC-Campinas, 22(2), 221-237, 2017. DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v22n2a3657

PENIN, Sonia.; MARTÍNEZ, Miquel.; ARANTES, Valéria Amorim. Profissão docente: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2009.

PIMENTA, Selma Garrido.; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência no ensino superior. São Paulo, Cortez, 2002.

QUADROS, Ana Luiza de. et al. A formação do professor universitário no percurso de pós-graduação em Química. Ciência & Educação, 18(2), 309-321, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-73132012000200005

SOARES, Sandra Regina; CUNHA, Maria Isabel da. Programas de pós-graduação em educação: lugar de formação da docência universitária? Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 7, n. 14, 2010. DOI: https://doi.org/10.21713/2358-2332.2010.v7.18

SOUZA, Janice Aparecida Janissek de., et al. Concepções de universidade no Brasil: uma análise a partir da missão das universidades públicas federais brasileiras e dos modelos de universidade. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, v. 6, n. 4, p. 216-233, 2013. DOI: https://doi.org/10.5007/1983-4535.2013v6n4p216

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 7ª. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

ZABALZA, Miguel Ángel. Competencias docentes. In: Conferencia en la Pontificia Universidad Javeriana de Cali). Colombia. 2005.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Beatriz Salemme Corrêa Cortela, Gabriela Oldane Gebara, Tarso Bortolucci Ferrari

Downloads

Não há dados estatísticos.