A percepção dos estudantes cotistas sobre os currículos dos cursos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul com maior densidade entre vagas e inscritos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/riesup.v9i00.8664095

Palavras-chave:

Ações afirmativas, Currículo, Cotistas

Resumo

O artigo se inscreve nas discussões sobre as ações afirmativas nas Instituições de Ensino Superior (IES). Tendo como universo de estudo a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o objetivo é analisar de que modo o estudante cotista percebe o currículo dos cursos com maior densidade entre vagas e inscritos. No estudo, entende-se o currículo como um elemento construído historicamente como um mecanismo institucional de reprodução social. Por outro lado, a percepção dos estudantes cotistas está relacionada ao seu habitus, que é constituído por variáveis econômicas, sociais e culturais. Utiliza-se o estudo de caso como abordagem metodológica. Mediante entrevistas aprofundadas, entrevistaram-se 5 estudantes dos cursos com maior densidade da UFRGS. Três razões nortearam a análise sobre a percepção curricular: a densidade do currículo, a composição deste e a avaliação. Por mesclarem uma rotina de trabalho e estudos devido à situação socioeconômica, os cotistas entrevistados percebem o currículo como denso. As variáveis educacionais, por outra via, influenciam as avaliações, que geram dificuldades, principalmente, no início do curso. Por fim, a composição curricular é resultado de uma seleção, que exclui algumas vivências do público cotista. Embora essas razões levem à identificação de mecanismos de reprodução, por meio do ingresso do público cotista, há conflitos que permitem a possibilidade de mudança institucional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thalles Ricardo de Melo Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestre em sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Integrante do Grupo de Estudos sobre Universidade da Universidade Federal de Santa Maria e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Lizandro Lui, Fundação Getúlio Vargas

Professor da Escola de Políticas Públicas e Governo da Fundação Getúlio Vargas. Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Referências

ANHAIA, Bruna Cruz de. A “lei de cotas” no ensino superior brasileiro: reflexões sobre a política pública e as Universidades Federais. Tese de doutorado: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2019.

ANHAIA, B. C. Educação Superior e Inclusão Social- Um Estudo Comparado de Duas Ações Afirmativas no Brasil: Dos Debates à Prática. Dissertação de mestrado: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2013.

APPLE, Michael W. Ideologia e currículo. Artmed Editora, 2016.

BARROS, Clarissa Fernandes do Rêgo. As Ações Afirmativas na UERJ: Trajetórias Sociais e Perspectivas dos Estudantes Cotistas no Desafio do Acesso à Universidade. Dissertação de mestrado, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2009.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Senado, 1996.

BRASI. Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Diário Oficial da União, v. 149, n. 169, 2012.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2007a.

BOURDIEU, Pierre. Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 2007b

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

BOURDIEU, Pierre. Razões práticas: sobre a teoria da ação. São Paulo: Papirus, 2008.

BOURDIEU, Pierre. The forms of capital. Cultural theory: An anthology, v. 1, p. 81-93, 2011.

BOURDIEU, Pierre, PASSERON, Jean Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora, 1992.

BUENO, Rita de Cássia Soares de Souza. Políticas Públicas na educação superior – as ações de permanência para estudantes cotistas no programa de ações afirmativas. Dissertação de mestrado: UFRGS, 2015.

CAPELLA, Ana Cláudia Niedhardt; BRASIL, Felipe Gonçalves. Prioridades em políticas públicas: Mensagens ao Congresso Nacional na agenda governamental 1991/2020. Revista de Sociologia e Política [online]. 2022, v. 30 [Acessado 20 Agosto 2022] , e017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1678-98732230e017

CARRIERI, Sandra; ESPÍNDOLA, Corina Martins. Sistema de Cotas Para Pessoas Com Deficiência: Ação Afirmativa Para Promoção do Acesso à Universidade. In: XII Colóquio Internacional sobre Gestão Universitária nas Américas, 2012.

DUARTE, Jorge. Entrevista em profundidade. Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, v. 1, p. 62-83, 2005.

FLORES, Sharon Rigazzo. A democratização do ensino superior no Brasil, uma breve história: da Colônia a República. Revista Internacional de Educação Superior, v. 3, n. 2, p. 401-416, 2017.

GRISA, Gregório Duirlo. As ações afirmativas na UFRGS: uma análise do processo de implantação. Dissertação de mestrado: UFRGS, 2009.

KERN, Maria Cristina Lunardi. Universidade pública e inclusão social: as cotas para autodeclarados negros na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Dissertação de mestrado: FEEVALE, 2011.

LAHIRE, Bernard. Retratos sociológicos: Disposições e variações individuais. Porto Alegre: Artmed, 2004.

LIMA, Luciana Leite; AGUIAR, Rafael Barbosa de; LUI, Lizandro. Conectando problemas, soluções e expectativas: mapeando a literatura sobre análise do desenho de políticas públicas. Revista Brasileira de Ciência Política [online]. 2021, n. 36 [Acessado 20 Agosto 2022] , e246779. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-3352.2021.36.246779.

LOPES, Alice Casimiro. Teorias de currículo. Cortez Editora, 2014.

MARTINS, Alcir Luciany Lopes. A Expansão Universitária e As Ações Afirmativas: A Experiência das Cotas Afro na Universidade Federal de Santa Maria. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Santa Maria, 2014.

MORCHE, Bruno; NEVES, Clarissa Eckert Baeta. As transformações recentes no ensino superior brasileiro: acesso, diversificação e inclusão. In: LASA2015 – XV International Congress Latin American Studies Association. San Juan, Puerto Rico Caribe Hilton: May 27 – 30, 2015.

MORCHE, Bruno; NEVES, Clarissa Eckert Baeta. A questão racial no acesso ao ensino superior: políticas afirmativas e equidade. In: Seminário Fazendo Gênero. Florianópolis, 2010.

OLIVEN, Arabela Campos. Ações afirmativas, relações raciais e política de cotas nas universidades: uma comparação entre os Estados Unidos e o Brasil. In: Educação. Porto Alegre: v. 30, n. 1, 2007.

NEVES, C. E. B. Diversity in higher education in Brazil: Practices and challenges. In: Diversity and inclusion in higher education: Emerging perspectives on institutional transformation, p. 102-127, 2014.

NEVES, C. E. B. Trajetórias escolares, famílias e políticas de inclusão social no ensino superior brasileiro. In: Romanelli, G.; Nogueira, M.A.; Zago, N.. (Org.). Família & Escola: Novas perspectivas de análise? Petrópolis: Vozes, 2013, v. 1, p. 278-31.

NEVES, C. E. B.; ANHAIA, B. C.. Políticas de Inclusão Social no ensino superior no Brasil:políticas de redistribuição de oportunidades? Reflexões a partir das experiencias em IES do Rio Grande do Sul.. In: Maria Ligia de Oliveira Barbosa. (Org.). Ensino Superior: expansão e democratização. Rio de janeiro: Letras, 2014, v. , p. 371-401

NEVES, C. E. B; RAIZER, Leandro; FACHINETTO, Rochele Felline. Acesso, expansão e eqüidade na educação superior: novos desafios para a política educacional brasileira. Sociologias. Porto Alegre. Vol. 9, n. 17 (jan./jun. 2007), p. 124-157, 2007.

SANTOS, Sales Augusto. Movimentos Negros, Educação e ações afirmativas. Tese de Doutorado: UNB, 2007.

SCHLESENER, Anita Helena; PEREIRA, Maria de Fátima Rodrigues. Expansão do ensino superior: notas sobres seus limites e possibilidades. Revista Internacional de Educação Superior, v. 2, n. 3, p. 518-531, 2016.

SILVA, Thalles Ricardo de Melo. Da posição social à inserção na universidade: a percepção do estudante cotista plural sobre o ambiente universitário. Dissertação de mestrado: UFRGS, 2019.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

VEIGA-NETO, Alfredo. Cultura e currículo. Revista Contrapontos, v. 2, n. 1, p. 43-51, 2002.

Publicado

2022-09-23

Como Citar

SILVA, T. R. de M.; LUI, L. A percepção dos estudantes cotistas sobre os currículos dos cursos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul com maior densidade entre vagas e inscritos. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 9, n. 00, p. e023038, 2022. DOI: 10.20396/riesup.v9i00.8664095. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8664095. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos