Contribuições dos indígenas para a construção de um currículo cosmopolita subalterno

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/riesup.v9i00.8668939

Palavras-chave:

Currículo, Indígenas , Cosmopolitismo subalterno

Resumo

No artigo, analisam-se as contribuições dos indígenas para a construção de um currículo cosmopolita subalterno. A pesquisa de campo envolveu entrevistas semiestruturadas com estudantes indígenas de cursos de licenciaturas de uma universidade brasileira. Pela análise qualitativa efetuada com base nas teorizações curriculares cosmopolitas e no campo da educação indígena, concluiu-se que  os indígenas contribuem para a construção de currículos cosmopolitas subalternos de diferentes formas: luta contra os estereótipos; valorização das línguas maternas; reconhecimento de que a subalternização não se rompe com uma educação que subalterniza; necessária articulação entre conhecimento e contexto cultural; construção de laços de solidariedade com outros grupos subalternizados; e insistência em construir pontes e diálogo, mesmo com quem historicamente não o deseja.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Licínio Backes, Universidade Católica Dom Bosco

Doutor em Educação pela Universidade do Vale dos Sinos. Professor do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. 

Ruth Pavan, Universidade Católica Dom Bosco

Pós-Doutoramento em Educação pela Universidade do Minho (Portugal). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. 

mceclip0-b24fb2f206dea8bfa1c15baa186d3c52.png

  • Reconhecimentos: Não aplicável
  • Financiamento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
  • Conflitos de interesse: Os autores certificam que não têm interesse comercial ou associativo que represente um conflito de interesses em relação ao manuscrito.
  • Aprovação ética: Sim.
  • Disponibilidade de dados e material: Não aplicável.
  • Contribuições dos autores: Conceituação, Investigação, Metodologia, Administração do Projeto e Redação – rascunho original; Supervisão, Metodologia, Administração de projetos, Redação – revisão e edição; Curadoria, Análise formal, Aquisição de financiamento, Recursos, Software, Validação: Backes, J. L.; Pavan, R.

Referências

ANDRADE, Edson Dorneles de. O indígena como usuário da Lei: um estudo etnográfico de como o movimento da literatura indígena entende e usa a Lei nº 11.645/2008. Cadernos Cedes, Campinas, v. 39 n. 109, p. 321-356, set.-dez., 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ccedes/a/JY48whrPwyqKVCmdb9v9Z6f/?lang=pt. Acesso em: 10 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/cc0101-32622019217105

BICALHO, Poliene Soares dos Santos; OLIVEIRA, Fernanda Alves da Silva; MACHADO, Márcia. “Mas Eles São Índios de Verdade?”: representações indígenas na sala de aula. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 43, n. 4, p. 1591-1612, out./dez. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edreal/a/rNFkv6dF3DpRhygnppWPLQb/?format=pdf&lang=pt. Acesso em 10 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-623676388

BECK, Ulrich. Sociedade de risco mundial: em busca da segurança perdida. Lisboa (Portugal). Edições 70, 2015. 448 p. ISBN: 978-9724418575.

BRAZ, Werymehe Alves; VALADARES, Juarez Melgaço. Educação na aldeia e escola indígena de Muã Mimatxi: o tehêy de pescaria de conhecimento. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 47, e236053, 2021. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/ep/v47/1517-9702-ep-47-e236053.pdf. Acesso em: 15 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/s1678-4634202147236053

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. 223 p. ISBN: 9788570413567.

LISBÔA, Flávia Marinho; NEVES, Ivânia dos Santos. Sobre alunos indígenas na universidade: dispositivos e produção de subjetividades. Educação & Sociedade, Campinas, v.40, e0219239, 2019. Diponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/FQQTxZ4FNgMCtXS9TTSmxZk/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 20 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/es0101-73302019219239

NASCIMENTO, Adir Casaro; VIEIRA, Calos Magno Naglis; LANDA, Beatriz dos Santos. Experiências interculturais na universidade: a presença dos indígenas e as contribuições à Lei n° 11.645/08. Cadernos Cedes, Campinas, v. 39 n. 109, p. 397-416, set.-dez., 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ccedes/a/5KTZZqkpwkdPkgLCFySyktt/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 20 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/cc0101-32622019216671

PACHECO, José Augusto. Currículo, aprendizagem e avaliação. In: MORGADO, José Carlos; QUITEMBO, Alberto Domingos. Currículo, avaliação e inovação em Angola: perspectivas e desafios. Benguela (Angola): Ondjiri, 2014. 136 p. ISBN: 9899912816.

PACHECO, J. A. Para a noção de transformação curricular. Revista Cadernos de Pesquisa, São Paulo, Fundação Carlos Chagas, v.46, n.159, p.64-77, mar. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/xNRqdsZNCHt3dBBv69gjWGn/?format=pdf&lang=pt Acesso em: 20 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/198053143510

PINAR, William. A reconceptualização dos estudos curriculares. In: PARASKEVA, João M. (Org.). Discursos curriculares contemporâneos. Mangualde (Portugal): Edições Pedago, 2007a. 227 p. ISBN 978-972-8980-31-3.

PINAR, William. Introdução. In: PARASKEVA, João M. (Org.). Discursos curriculares contemporâneos. Mangualde (Portugal): Edições Pedago, 2007b. 227 p. ISBN 978-972-8980-31-3.

PINAR, William. O que é a teoria do currículo. Porto (Portugal): Porto editora. 2007c. 432 p. ISBN: 978-972-0-34825-8.

RODRIGUES, Walace; ALBUQUERQUE, Francisco Edviges; MILLER, Micho.

Decolonizando o Ensino de Língua Inglesa para Populações Indígenas Brasileiras. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 44, n. 2, e81725, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edreal/a/43bj8bSQDpQYPjQTX9jK9jb/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 02 mar. 2022.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A filosofia à venda, a douta ignorância e a aposta de Pascal. Revista de Ciências Sociais, n. 80, p. 11-43, março, 2008a. Disponível em: https://www.ces.uc.pt/bss/documentos/A_filosofia_a_venda_RCCS80_Marco2008.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020. DOI: https://doi.org/10.4000/rccs.691

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2008b. 511p. ISBN: 978-85-249-1242-9.

SANTOS, Boaventura de Sousa. As bifurcações da ordem: revolução, cidade, campo e indignação. Coimbra: Almedina, 2017. 408 p. ISBN: 978-8524925016.

SANTOS, B. S. Direitos humanos, democracia e desenvolvimento. In: SANTOS, B. S.; MARTINS, B. S. (orgs.). O pluriverso dos direitos humanos: a diversidade das lutas pela dignidade. Coimbra: Edições 70, 2019. 584 p. ISBN: 9789724419695.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos Estudos – CEPRAP, n. 79, p. 71-94, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/nec/a/ytPjkXXYbTRxnJ7THFDBrgc/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 02 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-33002007000300004

SANTOS, Boaventura de Sousa. Uma concepção multicultural de direitos humanos. São Paulo: Lua Nova: Revista de Cultura e Política, n. 39, p. 105-201, jan-abr., 1997. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ln/a/gVYtTs3QQ33f63sjRR8ZDgp/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 mar. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-64451997000100007

SOUSA, E. L. A. Entrevistar. In: FONSECA, T. M. G.; NASCIMENTO, M. L.; MARASCHIN, C. Pesquisar na diferença: um abecedário. Porto Alegre: Sulina, 2015. 263 p. ISBN: 978-8520506462.

Publicado

2022-09-28

Como Citar

BACKES, J. L.; PAVAN, R. Contribuições dos indígenas para a construção de um currículo cosmopolita subalterno . Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 9, n. 00, p. e023050, 2022. DOI: 10.20396/riesup.v9i00.8668939. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668939. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos

Dados de financiamento