Ouro Preto e as primeiras representações da cidade histórica

  • Caion Meneguello Natal Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Palavras-chave: Urbanismo.

Resumo

Este artigo trata da cidade de Ouro Preto nos anos subseqüentes à perda de seu status de capital, isto é, fins do século XIX e primeira década do século seguinte. Este período marca os primeiros discursos que irão valorizar a antiga sede de Minas Gerais segundo seus traços históricos. A partir da transferência da sede política mineira, que saía de Ouro Preto para estabelecer-se em Belo Horizonte (dezembro de 1897), inicia-se um processo de construção da imagem histórica concernente à cidade em questão. Portanto, o presente trabalho busca mapear as vozes pioneiras que significaram Ouro Preto do ponto de vista de seu valor histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caion Meneguello Natal, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Possui graduação em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (2003), mestrado em História pela Universidade Estadual de Campinas (2007) e doutorado em História, também pela Unicamp (2013). Possui estágio doutoral na École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris, EHESS, onde passou um ano, entre março de 2011 e março de 2012, participando do Centre de Recherches sur le Brésil Contemporain, CRBC, sob orientação de Mônica Raisa Schpun. Tem experiência na área de pesquisa em História, com ênfase em História do Brasil República, cultura material e história do patrimônio histórico e artístico. 

Referências

ALCÂNTARA, Antônio Pedro Gomes de. A aparência das coisas. In: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico nacional no29. Brasília: IPHAN, 2001.

ARANTES, Otília. Urbanismo em fim de linha e outros estudos sobre o colapso da modernização arquitetônica. 2a Ed. São Paulo: EDUSP, 2001.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Trad. Roberto Raposo. !0. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

ARGAN, Giulio Carlo. História da Arte como História da Cidade. Tradução de Píer Luigi Cabra. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BANN, Stephen. As Invenções da História: ensaios sobre a representação do passado. Trad. Flávia Villas-Boas. São Paulo: EDUNESP, 1994.

BARBOSA, Lauro Sérgio Versiani, DORNELAS, Humberto (orgs.). Memórias de Ouro Preto. Ouro Preto: Editora UFOP, 1993.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 2a edição. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1986.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar. Trad. Carlos Felipe Moisés e Ana Maria L. Loriatti. São Paulo: Cia. das Letras, 1986.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembrança de velhos. 3a edição. São Paulo: Cia. das Letras, 1994.

BRESCIANI, Maria Stella. Cidade e História. In: OLIVEIRA, Lúcia Lippi (org). Cidade: história e desafios. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2002.

CASCO, Ana Carmem Amorim Jara. Reinventando a cidade: um diálogo entre Marco Polo e o Imperador. In: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no29. Brasília: IPHAN, 2001.

CATROGA, Fernando. Memória, História e Historiografia. Coimbra: Ed. Quarteto, 2001.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. Tradução de Luciano Vieira Machado. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

DE DECCA, Edgar Salvadori. Memória e cidadania. IN: O direito à memória: patrimônio histórico e cidadania. São Paulo: Secretaria Municipal de Cultura, Departamento do patrimônio Histórico, 1992.

FONSECA, Janete Flor de Maio. Tradição e Modernidade: a resistência de Ouro Preto à mudança da capital. Belo Horizonte: UFMG/Departamento de História, 1998. (Dissertação de Mestrado)

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. 8a edição. Trad. Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GINZBURG, Carlo. Relações de força: história, retórica, prova. Trad. Jonatas Batista Neto. São Paulo: Cia. das Letras, 2002.

GOMES, Ângela de Castro (org.). Minas e os fundamentos do Brasil moderno. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos. A retórica da perda: os discursos do patrimônio cultural no Brasil. Rio de janeiro: Editora UFRJ; IPHAN, 1996.

HALWACHS, Maurice. Memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

HOBSBAWM, Eric, RANGER, Terence. A invenção das tradições. 2a edição.Trad. Celina Cardim Cavalcante. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

MENICONI, Rodrigo Otávio de Marco. A construção de uma cidade monumento: o caso de Ouro Preto. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, 1999. (Dissertação de Mestrado)

MOTTA, Lia. A SPHAN em Ouro Preto: uma história de conceitos e critérios. In: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no22. Rio de Janeiro: IPHAN, 1987.

MOTTA, Lia. Cidades mineiras e o IPHAN. In: OLIVEIRA, Lúcia Lippi (org). Cidade: história e desafios. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2002.

NORA, Pierre. “General Introduction: Between Memory and History” in Nora, Pierre (org) Realms of Memory: rethinking the French past (vol.1: conflicts and divisions). Columbia University Press, 1996.

OLIVEIRA, Melissa ramos da Silva. Gestão patrimonial em Ouro Preto: alcances e limites das políticas públicas preservacionistas. Dissertação de Mestrado apresentada ao Instituto de Geociências. Pós-graduação em Geografia. Análise ambiental e dinâmica territorial. Campinas: Unicamp, 2005.

PESAVENTO, Sandra. O Imaginário da Cidade: visões literárias do urbano - Paris, Rio de Janeiro, Porto Alegre. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 1999.

SCHIAVO, Cléa, ZETTEL, Jayme (orgs). Memória, cidade e cultura. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1997.

SENNETT, Richard. O declínio do homem público: as tiranias da intimidade. Trad. Lygia Arauj Watanabe. São Paulo: Cia. das Letras, 1998.

SITTE, Camillo. A construção da cidade segundo seus princípios artísticos. Tradução de Ricardo Ferreira Henrique. São Paulo: Ática, 1992.

SÔLHA, Hélio Lemos. A construção dos olhares: imagem e antropologia visual. Campinas: Unicamp, 1998. (Dissertação de Mestrado)

VERNANT, Jean-Pierre. Mito e pensamento entre os gregos. Tradução de Haiganuch Sarian. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1990.

Publicado
2013-04-03
Como Citar
Natal, C. M. (2013). Ouro Preto e as primeiras representações da cidade histórica. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 1(1), 1-20. https://doi.org/10.20396/urbana.v1i1.8635117