Banner Portal
Intervenção urbana não urbanística: o teatro de rua e demais personagens que tematizam o urbano na praça Santos Andrade localizada em Curitiba
PDF

Palavras-chave

Artes. Teatro de rua.

Como Citar

SUGAYAMA, Soraya. Intervenção urbana não urbanística: o teatro de rua e demais personagens que tematizam o urbano na praça Santos Andrade localizada em Curitiba. URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Campinas, SP, v. 4, n. 1, p. 84–104, 2012. DOI: 10.20396/urbana.v4i1.8635152. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/urbana/article/view/8635152. Acesso em: 23 jun. 2024.

Resumo

Através deste artigo pretendemos lançar um olhar sobre as personagens que, assim como arquitetos e engenheiros, também abordam a cidade como tema e atuam na mesma, com a diferença de que não constroem planejadamente infraestruturas urbanas, mas sim, compõem a paisagem urbana como um acontecimento atrativo e inesperado, através de sua arquitetura efêmera e imaginativa. Por meio do teatro de rua o presente artigo reflete sobre a relação entre os aparentemente não-eruditos e a cidade, pensando no conceito de lugar e espaço ligado à urbanidade, mais precisamente ao entorno do prédio histórico da Universidade Federal do Paraná, no centro da cidade de Curitiba e aborda brevemente os subconceitos derivados da cultura: cultura popular e cultura erudita.
https://doi.org/10.20396/urbana.v4i1.8635152
PDF

Referências

BACHELARD, Gaston (2005). A Poética do Espaço. 7a edição. São Paulo: Martins Fontes.

BENATTON, Pedro Diniz. Deslocamento e Invasão: Estratégias para a construção de situações de intervenção urbana. 2009. 158 f. Dissertação (Mestrado em Teatro) – Programa de Pós-graduação em Teatro, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

BRAIT, Beth (2010). Bakhtin: conceitos-chave. 4a edição. São Paulo: Contexto.

BURKE, Peter (2009). O Que É História Cultural? 2a edição. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

CALVINO, Ítalo (2002). As Cidades Invisíveis. 18a reimpressão. São Paulo: Companhia das Letras.

CERTEAU, Michel de (2009). A Invenção do Cotidiano: 1. Artes de fazer. 16a edição. Petrópolis: Vozes.

FIORIN, José Luiz (2008). Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Ática.

FUÃO, Fernando Freitas (1999). Arquiteturas Fantásticas. 1a edição. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS.

FUÃO, Fernando Freitas (2001). Cidades Fantasmas. Revista ARQTEXTO do Programa de pós-graduação e pesquisa em arquitetura – PROPAR da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, no1. Disponível em: http://www.ufrgs.br/propar/publicacoes/ARQtextos/PDFs_revista_1/1_Fuão.pdf Acesso em: 24 de janeiro de 2011.

JACOBS, Jane (2009). Morte e Vida de Grandes Cidades. 2a edição. São Paulo: Martins Fontes.

LINSINGEN, Irlan Von (2007). Perspectiva educacional CTS: aspectos de um campo em consolidação na América Latina. In: Ciência & Ensino, número especial. não paginado, Vol.1. Disponível em: http://www.ige.unicamp.br/ojs/index.php/cienciaeensino/article/view/150/108. Acesso em: 23 setembro de 2010.

NÓBREGA, Ariana Perazzo da (2007). A música no Movimento Armorial. In: XVII CONGRESSO DA ANPPOM, São Paulo, 2007. Anais eletrônicos - Musicologia. Disponível em: http://www.anppom.com.br/anais/anaiscongresso_anppom_2007/musicol.html . Acesso em: 03 de agosto de 2011.

OBA, Leonardo Tossiaki (1998). Os marcos urbanos e a construção da cidade: a identidade de Curitiba. São Paulo: FAUUSP, tese de doutorado.

POMBO, Olga (2004). Interdisciplinaridade: ambições e limites. Lisboa: Relógio d'Água.

URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.