A imaginação da cidade na história e nas ciências sociais: da leitura institucional às abordagens complexas

  • José D’Assunção Barros Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Cidade. História urbana. Imagem.

Resumo

Das análises da Cidade de uma perspectiva institucional às análises do fenômeno urbano como complexidade histórico-social, inúmeras foram as contribuições de historiadores e cientistas sociais para a compreensão das questões urbanas no decorrer dos séculos XIX e XX. Este artigo busca discutir a história da reflexão sobre Cidade como uma forma específica de organização social, atentando para a elaboração de uma visão panorâmica que remonta ao surgimento de um pensamento científico mais específico sobre a cidade como forma social desde o século XIX e que, particularmente, adquire especial desenvolvimento no século XX. Em um segundo momento, discute-se o uso das imagens na construção do conhecimento sobre a Cidade, e, em relação a este aspecto, o objetivo do texto é elaborar uma análise dos vários modelos de cidade ao longo da reflexão urbanística do século XX nas Ciências Sociais e Humanas, incluindo a Sociologia, a Antropologia e mais particularmente a História.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José D’Assunção Barros, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Possui doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense (1999), mestrado em História pela Universidade Federal Fluminense (1994), graduação em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1993), graduação em Música (Composição Musical) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989). Professor Adjunto da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Na área de História, tem atuado principalmente com temáticas ligadas às seguintes áreas: Historiografia, Teoria da História, Metodologia da História, História Cultural, História da Arte, Cinema-História. Na área de Música, tem desenvolvido pesquisas na área de Musicologia Histórica e História da Música. Publicou 15 livros e cerca de cem artigos, vinte e dois dos quais em revistas internacionais. Entre os livros publicados, destacam-se: "O Campo da História", "Cidade e História ", "O Projeto de Pesquisa em História", "Raízes da Música Brasileira", "Teoria da História", em cinco volumes, e "A Construção Social da Cor" (os dois primeiros foram traduzidos para o Espanhol e publicados no exterior). 

Referências

ALEXANDER, Christopher. “Une ville n’est pas un arbre” In. Architecture, Mouvement et Continuité, nov., 1967.

ARGAN, Giulio C. A História da Arte como História da Cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BACHELARD, Gaston. “O Novo Espírito Científico” In Os Pensadores, XXXVIII, São Paulo: Abril Cultural, 1974.

BAHRTHES, Roland. “Semiótica e Urbanismo” In. A Aventura Semiológica. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BAUDOUIN, Psychanalyse de Victor Hugo. Genève: Mt-Blanc, 1944.

BRAUDEL, Fernando. “As Cidades” In Civilização Material, Economia e Capitalismo –séculos XV-XVIII. Vol. I. As estruturas do cotidiano. São Paulo: Martins Fontes, 1977. p.439-514.

BOGUE, D. J. The Structure of the Metropolitan Comunity: A Study of Dominance and Subdominance. Michigan, Ann Arbol: 1949.

BURGESS, E. W.; PARK, E.; McKENZIE, R.D. The City. Chicago: University of Chicago Press, 1925.

CASTORIADIS, Cornelius. A Instituição Imaginária da Sociedade, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano: A Arte de Fazer, Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

CHILDE, V. G CHILDE, V. Gordon. “The Urban Revolution” In Town Planning Review. Londres: abril de 1950.

DESOILLE, R. L’Exploration de l’activité subconsciente par la méthode du rêve éveillé. Paris: D’Artrey, 1938.

DICKINSON, R. E. “City and Region” In DICKINSON, ELIA, et alli. Sociologia Urbana. Turim: 1971

DURKHEIM. Émile. La Division du Travail Social. Paris : PUF, 1962.

DUMÉZIL, Georges. Essai de philologie comparative indo-européenne. Les Mythes romains, III. Paris: Gallimard, 1947.

DURAND, Gilbert. As Estruturas Antropológicas do Imaginário. Lisboa: Presença, 1989.

DURAND, Gilbert. “Les Trois Niveaux de formation du symbolisme”. Cahiers internationaux de symbolisme. Bruxelles: 1973.

DURKHEIM, Émile. A Divisão Social do Trabalho. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FEYERABEND, Paul. Contra o Método. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1989.

GARNIER, T., Une cité industrielle. Étude pour la construction des villes, Paris : s.ed, 1917.

GEDDES, Patrick. Cidades em Evolução. São Paulo: Papirus, 1994.

GUIRAUD, P. Index du vocabulaire du symbolisme. Paris: Klincksieck, 1953.

HOWARD, Ebenezer. A Peaceful Path to Real Reform. London: 1904.

ISARD, W. “transport development and building cicles” In Quartely Journal of Economicy, 57(1), 90-112, November, 1942.

MARX, Karl e ENGELS, Firedrich. A Ideologia Alemã. São Paulo: Martins Fontes, 2000 (original: 1845).

MARX, Karl. Formações Econômicas Pré-Capitalistas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986 (5a edição).

MARX, Karl. Para a Crítica da Economia Política (Prefácio). In: Marx (org: J. A. Giannotti, seleção dos textos), São Paulo: Abril Cultural, 1983. p.27-32

LYNCH, Kevin. A Imagem da Cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1994. (The Image of City. Cambridge Mass: MIT Press, 1960).

MERCADAL, J. “Peut-on tirer un enseignement des essais français de modelisation du dévelopment spatial urbain?” [1965] In Revue écononique, XXIII. Paris: 1971.

MUMFORD, Lewis. A Cultura das Cidades. Belo Horizonte: Itatiaia, 1961.

MUMFORD, Lewis. A Cidade na História. São Paulo: Martins Fontes, 1991 (The City in History — its origins, its transformations and its prospects. New York, 1961).

MUSIL, Jiril. Sociologia della città. Milão: F. Angeli, 1970.

NIETZSCHE, Friedrich. “Sobre a verdade e a mentira no sentido extra-moral” [1873] In. Os Pensadores. XXXII, São Paulo: Abril Cultural, 1974.

RIBCZYNSKI, Witold. Vida nas cidades: expectativas urbanas no Novo Mundo. Rio de Janeiro: Record, 1995.

RONCAYOLO, Marcel. "Cidade", In Enciclopedia Einaudi. Região. Lisboa: Imp. Nacional, 1986.

SOROKIN e ZIMMERMAN. Principes of Rural-Urban Continuum. Harvard: Harvard Pres, 1929.

PIGANIOL, A. Essai sur les origines de Rome. Paris: Boccard, 1917.

SITTE, Camillo. Der Städtbau nach seinen kunstlerischen Grundsatzen. Viena: s.ed, 1899.

ULLMANN, Walter. The Individual and the Society in the Middle Ages. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1966.

VILAR, Pierre. Iniciação ao vocabulário de Análise Histórica. Lisboa: Sa da Costa, 1985.

Publicado
2012-12-14
Como Citar
Barros, J. D. (2012). A imaginação da cidade na história e nas ciências sociais: da leitura institucional às abordagens complexas. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 4(1), 213-240. https://doi.org/10.20396/urbana.v4i1.8635158