Desenho, presença e marca na cidade contemporânea;

  • Antonio Pedro Janeiro Universidade Técnica de Lisboa
  • Myrna de Arruda Nascimento Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Arte. Cidade. Representação. Desenho. Arquitetura.

Resumo

O artigo apresenta uma reflexão sobre a cidade como possibilidade de construção subjetiva amparada pelas experiências pessoais e diversas que o ser humano enfrenta em seu convívio e nas suas interações com o meio urbano. Nos vestígios legados pelas vivências e suas memórias, o indivíduo encontra os sinais capazes de representar a cidade enquanto fenômeno que o justifica e identifica; uma forma de cartografar a cidade através de instantes imaginados (sempre simbólicos, obviamente: porque não há formas senão simbólicas) com aquilo que (d)a cidade mais nos diz. Instantes que o corpo dá forma e segura; “segura”, no sentido em que os agarra e faz deles memória e, portanto, configurações de tempo. Entendimentos a fixar instantes, desenhos, portanto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Pedro Janeiro, Universidade Técnica de Lisboa
Possui graduação em Arquitectura de Design pela Universidade Técnica de Lisboa (1998), mestrado em Cultura Arquitectónica Contemporânea e Construção pela Universidade Técnica de Lisboa (2003) e doutorado em Teoria da Arquitectura pela Universidade Técnica de Lisboa (2008). Atualmente é professor doutor convidado da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, professor doutor - INTERNATIONAL PHD ARCHITECTURE AND URBAN PHENOMENOLOGY e professor doutor da Universidade Técnica de Lisboa.
Myrna de Arruda Nascimento, Universidade de São Paulo
Graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1985), é mestre em Ciências da Comunicação pela Faculdade Cásper Líbero (1994), mestre (1997) e doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (2002). Atualmente é professora e pesquisadora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP) junto ao Departamento de Projeto, lecionando nos cursos de Arquitetura e Design; também é professora e pesquisadora do Centro Universitário SENAC -SP, onde leciona nos cursos de Design Industrial e Arquitetura, nos cursos de Pós-graduação lato-senso de Design de Interiores e Arquitetura Comercial e coordena o grupo de pesquisa em Comunicação, Arquitetura e Design, sendo líder da linha de pesquisa em Arquitetura e Design. 

Referências

CAMUS, A. (1984) A Peste. Rio de Janeiro: Abril Cultural.

CAMUS, A. (1965) Essais. Paris: Gallimard.

CAVENACCI, M. (1997) A cidade polifônica. São Paulo: Nobel.

DEBORD, Guy. (1997) A Sociedade do Espetáculo. São Paulo: Contraponto. (edição 2003: http://www.ebooksbrasil.com/eLibris/socespetaculo.html)

HUSSERL, E. (1992) Conferências de Paris. Lisboa: Edições 70.

LYOTARD, J.F. (1999) A Fenomenologia. Lisboa: Edições 70.

MERLEAU-PONTY, M. (1999) Fenomenologia da Percepção, 2a ed. São Paulo: Martins Fontes.

VALLIER, D. (1986) A Arte Abstrata. Lisboa: Edições 70.

Publicado
2012-12-14
Como Citar
Janeiro, A. P., & Nascimento, M. de A. (2012). Desenho, presença e marca na cidade contemporânea;. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 4(1), 241-250. https://doi.org/10.20396/urbana.v4i1.8635159