Tempo e história no plano de avenidas

  • Marisa Varanda Teixeira Carpintero Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: história, urbanismo, São Paulo

Resumo

Ao percorrermos a leitura de diferentes Planos urbanísticos apresentados ao longo dos últimos séculos, constatamos de que forma a história se coloca como um aspecto importante para a legitimidade dos discursos. Além disso, como a arquitetura, ao longo desses anos foi capaz de materializar através de seus projetos a releitura da história e em alguns casos em descompasso conceitual, com o próprio discurso urbanista. Esse artigo tem como objetivo descortinar essas discussões tomando como análise o Plano de Avenidas, elaborado na década de 30, pelo engenheiro Francisco Prestes Maia para a cidade de São Paulo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marisa Varanda Teixeira Carpintero, Universidade Estadual de Campinas
Possui graduação em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Campinas (1984), mestrado em História pela Universidade Estadual de Campinas (1990) e doutorado em História pela Universidade Estadual de Campinas (1998). Atualmente é pós-doutoranda em História pela Universidade Estadual de Campinas (2008-2014). Atuou como professora, diretora e coordenadora do curso de arquitetura e urbanismo da Universidade Metodista de Piracicaba(1994-2007).Pesquisadora e colaboradora do Centro Interdisciplinar de Estudos da Cidade do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas, membro da rede de pesquisa Les Mots de La Ville (UNESCO/ CNRS, 1997-2009) e do Projeto Temático(FAPESP / 2007-2011) - "Saberes Eruditos e Técnicos na Configuração e Reconfiguração do Espaço Urbano - Estado de São Paulo,séculos XIX e XX", coordenado pela Profª. Drª.Maria Stella Bresciani. Membro do Núcleo de História e Linguagens Políticas: Razão, Sentimentos e Sensibilidades (CNPq)Autora do livro A construção de um sonho: os engenheiros-arquitetos e a formulação da política habitacional no Brasil 1917-1940), São Paulo, UNICAMP, 1998 e de vários artigos.Experiência na área de História, com ênfase em História Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas:história, projeto, urbanismo, patrimônio,memória,revitalização e cidade. 

Referências

AGACHE, Alfred (1926). Cidade do Rio de Janeiro: extensão e embelezamento. Organizações projectadas pela administração de Antônio Prado Jr. AMD.P.LG-S.F.U, Foyer Brésilien.

AZEVEDO, Haroldo (1958). A cidade de São Paulo. vol. I, II, III, IV. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

BRESCIANI, Maria Stella (1990). Permanência e Ruptura no Estudo das Cidades. In: FERNANDES, Ana e GOMES, Marco Aurélio A. de Filgueiras (Org.) Cidade & História – modernização das cidades brasileiras nos séculos XIX e XX. Salvador: UFBA.

CALVINO, Ítalo (1991). As cidades invisíveis, São Paulo: Companhia das Letras.

CAMPOS, Eudes (1996). Cidade. São Paulo na visão classista de Prestes Maia, Revista do Patrimônio Histórico Secretaria Municipal de Cultura, Ano III.

CARPINTÉRO, Marisa Varanda Teixeira (1998). Em busca da Imagem: a cidade e o seu figurino (São Paulo 1938-1954). Tese (Doutorado em História). Campinas: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas.

CORTESÃO, Jaime (1958). Rapôso Tavares e a Formação Territorial do Brasil. Rio de Janeiro.

LE CORBUSIER (1971). Planejamento Urbano, São Paulo, Perspectiva.

LE CORBUSIER (1992). Urbanismo, São Paulo, Martins Fontes.

LEME, Maria Cristina (1990). “O Plano de Avenidas e a formação do pensamento urbanístico em São Paulo nas três primeiras décadas do século XX”. In GOMES, Marco Aurélio Filgueiras e FERNANDES, Ana (Org.). Cidade & História. UFBA.

LEME, Maria Cristina (1990) Revisão do Plano de Avenidas – Um estudo sobre o Planejamento Urbano, Tese apresentada à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo para obtenção do título de Doutor.

MAIA, Francisco Prestes, (1930) Estudos de um Plano de Avenidas para a cidade de São Paulo, São Paulo, Melhoramentos.

MOBEIG, Pierre (1958). Aspectos Geográficos do Crescimento de São Paulo, Ensaios Paulistas, Editora Anhambi, S/A, São Paulo.

MUNFORD, Lewis (1952) Arte e técnica. São Paulo, Martins Fontes.

SHORSCKE, Carl (1988) Viena Fin-de-siècle, Campinas, Editora Unicamp, São Paulo, Companhia das Letras.

Publicado
2013-04-09
Como Citar
Carpintero, M. V. T. (2013). Tempo e história no plano de avenidas. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 2(1), 1-11. https://doi.org/10.20396/urbana.v2i1.8635241