A cidade industrial brasileira e a política habitacional na era vargas (1930-1954)

  • Nilce Cristina Aravecchia Botas Universidade de São Paulo
  • Ana Paula Koury Universidade São Judas Tadeu.
Palavras-chave: História da habitação. Urbanização brasileira. Desenvolvimento urbano.

Resumo

A relação entre habitação e cidade é um dos temas mais caros à literatura que se dedicou à crítica do planejamento urbano como instrumento tecnocrático do Estado autoritário no Brasil. Originada entre as décadas de setenta e oitenta, seus autores estruturaram uma nova agenda, participativa para a política urbana brasileira e atuaram como importantes agentes de mobilização social no processo de redemocratização na década de 1980. As mais importantes conquistas recentes da política urbana brasileira são, de certo modo,tributárias desta agenda.Este trabalho pretende realizar um balanço do tema à luz do estudo da produção habitacional na era Varguista e de sua contribuição no processo de urbanização brasileiro, reconhecendo os avanços do debate nas últimas décadas bem como as “pistas falsas” deixadas por ele.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nilce Cristina Aravecchia Botas, Universidade de São Paulo
Docente do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Doutora pela FAU-USP e Mestre pelo IAUSC-USP. Linhas de pesquisa: história da habitação; habitação, arquitetura e planejamento.
Ana Paula Koury, Universidade São Judas Tadeu.
Professora do Curso de Graduação (desde 2003) e do Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade São Judas Tadeu. Atualmente desenvolve na condição de coordenadora assistente o projeto Pioneiros da Habitação Social no Brasil inventário e análise da produção habitacional no Brasil entre 1930 e 1964, com coordenação principal de Nabil Bonduki. A dissertação de mestrado sobre a contribuição dos arquitetos Sérgio Ferro, Flávio Império e Rodrigo Lefèvre foi publicada em 2003 (Grupo Arquitetura Nova, Romano Guerra, Edusp, Fapesp, 2003).

Referências

A VEZ dos subúrbios. Boletim O Construtor. Rio de Janeiro, 03 de Dezembro, 1943.

ABREU, Maurício. (2006). Evolução Urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Urbanismo – SMU, Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passo – IPP.

ALMEIDA, R. (1952). “Carta ao Vice-Presidente da Comissão Nacional de Bem-Estar Social encaminhando sugestões da Subcomissão de Habitação e Favelas para solucionar o problema de habitação popular”. Rio de Janeiro: CPDOC Arquivo: Getúlio Vargas. Classificação: GV c 1952.12.23. Data:23/12/1953.

ARAÚJO FILHO, J. R. (1958). “A população paulistana”. In AZEVEDO, A (org.) A Cidade de São Paulo, estudos de geografia urbana. São Paulo: Companhia Editora Nacional, vol. III, p. 180.

AZEVEDO, A (Org.) (1958). A Cidade de São Paulo, estudos de geografia urbana. Vols I a IV. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

BARBOSA, A. F (Coord.)(2012). “Rômulo Almeida e as bases econômicas e institucionais para o desenvolvimento da nação”. Relatório de pesquisa do Programa Cátedras IPEA/CAPES para o Desenvolvimento.

BONDUKI, N. (1998). Origens da habitação social no Brasil: arquitetura moderna, Lei do Inquilinato e difusão da casa própria. São Paulo: FAPESP, Estação Liberdade.

BOTAS, N. C. A. (2011). Entre o progresso técnico e a ordem política: arquitetura e urbanismo na ação habitacional do IAPI. São Paulo: Tese de Doutorado, FAU-USP.

BRITTO, A.; GUIMARÃES, A. P.; SERRAN, J. R. (1985). Habitação popular: inventário da ação governamental. São Paulo: FINEP, Projeto.

CHATEUBRIAND, Assis. (1939). “Contra o urbanismo artificial”. Revista do IAPC. Rio de Janeiro: IAPC; jan. p. 33.

COHN, A. (1981). Previdência social e processo político no Brasil. São Paulo: Editora Moderna.

CONNIFF, Michael L. (2006). Política urbana no Brasil: a ascensão do populismo 1995-1945. Rio de Janeiro: Relume Dumará.

ENGELS, F. [1887] (1974). El problema de la vivienda y las grandes ciudades. Barcelona: Gustavo Gili.

FERNANDES, F. [1974] (2006). A Revolução Burguesa no Brasil: Ensaio de Interpretação Sociológica. 3a. Edição. Rio de Janeiro: Editora Guanabara.

FREITAS Fo., Almir Pita de. (2002). “O desenvolvimento industrial no rio de janeiro na primeira metade do século xx: transformações urbanas e a indústria da construção civil”. Anais do X Encontro Regional de História – ANPUH/RJ. História e Biografias. Rio de Janeiro: UERJ. (Também disponível em: http://www.rj.anpuh.org).

FREITAS, M. L. e KOURY, A. P.(2010). “Habitação Social, cidade jardim e standard. A busca por um ideário pitoresco e racional construtivo”. In: XI Seminário de História da Cidade e do Urbanismo, Vitória.

INAUGURAÇÃO de casas proletárias. Boletim O Construtor. Rio de Janeiro, 21 de Agosto, 1942.

KOURY, A P. (2005). Proposições para a produção material da arquitetura contemporânea no Brasil. São Paulo: Tese de doutorado, FAU – USP.

MANOEL, S. K. (2004). Fundação da Casa Popular: projeto frustrado de construção de uma política habitacional no Brasil. São Carlos: Dissertação de mestrado. EESC - USP.

MATOS, Dirceu Lino de. (1958). “O parque industrial paulistano”. In AZEVEDO, Aroldo (Org.). A cidade de São Paulo: Estudos de Geografia Urbana. São Paulo: São Paulo Editora S.A. Vol III. pp. 41-42.

OLIVEIRA, F. [1972] (2003). Crítica à razão dualista: o ornitorrinco. São Paulo: Boitempo editorial.

OS SUBÚRBIOS e as obras públicas. Boletim O Construtor. Rio de Janeiro, 26 de Novembro, 1943.

PETRONE, Pasquale. “São Paulo no Século XX”. In AZEVEDO, Aroldo. A cidade de São Paulo: Estudos de Geografia Urbana. São Paulo: São Paulo Editora S.A, 1958. Vol III, p. 149.

REIS FILHO, N. G.(1968). Contribuição ao estudo da evolução urbana do Brasil (1500 a 1720). São Paulo: Pioneira.

RESENDE, Vera F. (2002). “Planos e regulação urbanística: a dimensão narrativa das intervenções na cidade do Rio de Janeiro”. In: OLIVEIRA, Lucia Lippi. CIDADE: história e desafios (Org.). Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas.

RIBEIRO, L. C. de Q.; PECHMAN, R. M. O. (1985). O que é questão da moradia. São Paulo: Nova Cultural, Brasiliense.

ROCHA, Antônio. (1958). “Os subúrbios de S. Paulo e suas funções”. In AZEVEDO, Aroldo. (Org.). A cidade de São Paulo: Estudos de Geografia Urbana. São Paulo: São Paulo Editora S.A. Vol IV, p. 7.

SANTOS, W. G. (2006). O Ex-Leviatã Brasileiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

SILVA, Zélia Lopes da. (1983). A Face Oculta da Reprodução. Um estudo sobre os trabalhadores rurais em São Paulo: 1930/34. Dissertação de Mestrado. Campinas: IFCH/UNICAMP.

SINGER, P. (1968) Desenvolvimento econômico e evolução urbana. São Paulo: Editora Nacional.

IBGE. Situação demográfica, estado da população do Brasil na data do recenseamento geral de 1940. Distribuição, segundo os municípios, IBGE Estatísticas do Século XX. (disponível em www.ibge.com.br. Acesso em 18/04/2013).

UNITED NATION (1969). Growth of the world's urban and rural population. Department of Economic and Social Affairs. Population Studies, No. 44. New York: United Nations.

Publicado
2014-08-28
Como Citar
Botas, N. C. A., & Koury, A. P. (2014). A cidade industrial brasileira e a política habitacional na era vargas (1930-1954). URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 6(1), 144-165. https://doi.org/10.20396/urbana.v6i1.8635296