Cidade e habitação na américa latina (1890-1945): uma perspectiva foucaultiana.

  • Joel Outtes Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Foucault. Urbanismo. Bio-poder.

Resumo

Este trabalho trata da gênese de um discurso sobre urbanismo no Brasil e na Argentina entre 1890 e 1945 usando as ideias de Michel Foucault sobre disciplina e seu conceito de bio-poder. O padrão demográfico das maiores cidades a partir dos anos 1890 e a renovação do centro das cidades também são discutidos. Outras sessões são dedicadas aos planos propostos para as mesmas cidades nos anos 1920 e às representações do urbano. O trabalho discute ainda a oposição dos urbanistas às eleições, quando argumentavam que eram os únicos qualificados para lidarem com os problemas urbanos e deveriam ser empregados no aparelho de Estado. Eu arguo que, o urbanismo seria uma forma de criar uma cultura industrial, disciplinando a sociedade através da cidade, ainda que o proletariado industrial nunca tenha sido a maioria da população nos dois países. Mesmo se aspectos dos planos propostos para ambos os países não foram implementados, o discurso dos urbanistas pode ser visto como uma vontade de disciplinar a sociedade através da cidade, afetando a liberdade de movimento dos corpos, sendo abordado através dos conceitos Foucaultianos de bio-poder e disciplina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joel Outtes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Joel Outtes é professor universitário desde os 22 anos de idade, sendo Professor Associado da UFRGS- Universidade Federal do Rio Grande do Sul e líder do seu GEST- Grupo de Estudos sobre o Sistema-Mundo, com atuação nas áreas de Planejamento Urbano, Geografia, Urbanismo, Desenvolvimento Regional, História Urbana e Arquitetura. Lecionou em universidades do mundo todo, Estados Unidos (DePaul, Rowan, Eastern Illinois), Inglaterra (Institute of Latin American Studies, Institute of Advanced Studies, University of London; Open University) e Brasil. Fez conferências em universidades do Brasil e exterior, como Princeton, Chicago, Columbia, Illinois at Urbana-Champaign, Wisconsin-Madison, York (Toronto), Ohio State, UQAM (Québec à Montreal), Illinois at Chicago, Georgetown, Kentucky, Arizona, Chicago State, DePaul, Helsinki, Museu da Aarhus Universitetet, USP-Universidade de São Paulo e UFPE. Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo (UFPE, 1986), Mestrado em Desenvolvimento Urbano e Regional (UFPE, 1991), DEA (Diplome d'Etudes Approfondies, atual Master 2) em Territórios Urbanos (EHESS - École des Hautes Etudes en Sciences Sociales, Paris, 1993), e DPhil (Doutorado) em Geografia Humana na University of Oxford (1993-2000), tendo realizado pós-Doutorado na School of Planning da Oxford Brookes University (2000-2001), tendo trabalhado com Steve Ward. Sua produção intelectual versa sobre questões histórico-geográficas como o urbanismo, a habitação e a Internacional Urbana, alem do sistema-mundo a partir da perspectiva de um intelectual-cangaceiro. Na EHESS foi aluno de Bernard Lepetit (história urbana), Marcel Roncayolo (geografia urbana) e Christian Topalov (as ciências sociais e a cidade), mentor a quem muito deve intelectualmente. No DPhil cursou cadeiras do Mestrado em História Econômico-Social com Avner Offer (All Souls College) e Richard Smith (Cambridge), e História do Brasil (Leslie Bethell). Admira a obra histórico-geográfica de David Harvey, um de seus orientadores no Doutorado em Oxford. Desenvolveu parte do seu Doutorado ligado ao Departamento de História da Universidade de Estocolmo, quando aceito em Ciência Política na de Uppsala, ambas na Suécia, frequentou curso sobre welfare state (Estado de bem-estar social) do Mestrado em Estudos Suecos e Escandinavos em Estocolmo. 

Referências

ABREU, M. A. Evolução Urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IPLANRIO-Jorge Zahar Editor, 1988, 2a ed.

AGACHE, D. A. H. Cidade do Rio de Janeiro: extensão, remodelação, embellezamento. Paris: Foyer Brésilien, 1930.

ANÔNIMO. O plano da cidade. Urbanismo e Viação, Rio de Janeiro, v. 3, n. 8, p. 237, Abril de 1940.

ANÔNIMO. Um pintor chamado Prestes Maia. Cidade, São Paulo, v. 3, n. 4, p. 60-75, 1996.

BENCHIMOL, J. L. Pereira Passos: um Haussmann Tropical, as transformações urbanas do Rio de Janeiro no inicio do século XX. Rio de Janeiro: Dissertação de Mestrado, COPPE-UFRJ, 1982.

BODSTEIN, R. C. A. Práticas sanitárias e classes populares do Rio de Janeiro. Revista Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, v. 1, p. 4, p. 33-43, 1986.

BRAGOS, O. El urbanismo Francés en América Latina: D. A. Agache en Río de Janeiro, J. C. N. Forestier en Buenos Aires. Cuadernos del CURDIUR, n. 54, 1991.

BRITO, F. R. S. Saneamento do Recife. Recife: Typographia da Imprensa Official, 1917, 2 vols.

CAFFERATA, J. In: ANÔNIMO. 1o Congresso Pan-Americano da Vivenda Popular. Urbanismo e Viação, v. 2, n. 6, p. 161-165, Dezembro de 1939.

CAMPELLO, J. Entregue à municipalidade o plano definitivo de reforma do bairro de Santo Antônio. As solenidades de hontem no Theatro Santa Isabel. Os discursos do Interventor Federal, Prefeito da Capital e Jornalista José Campello. Folha da Manhã, Recife, 24 de Abril de 1938, p. 1, 3, 5, 7 & 8, p. 3.

CAMPOS, E. São Paulo na visão classi[ci]sta de Prestes Maia. Cidade, São Paulo, v. 3, n. 4, p. 42-45, 1996.

CARVALHO, R. C. M. Urban Planning in Rio de Janeiro: A Study of the Urban Redevelopment Plan During the Passos Administration (1902-1906). Ithaca, NY: Master’s thesis, Cornell University, 1984.

CARVALHO, R. C. M. The Search for a Modern City: The Urban Renewal Plan for Rio de Janeiro, 1902-1906. Colloqui: A Journal of Planning and Urban Issues, Ithaca, NY, pp. 8-17 Primavera de 1988.

CAVALCANTI, J. O Plano de remodelação de Belém. Urbanismo e Viação, Rio de Janeiro, v. 6, n. 26, p. 33-34, Abril-Maio de 1943.

CHANOURDIE, E. La transformación edilícia de Buenos Aires. Arquitectura, Buenos Aires, v. 3, n. 39, p. 95-103, 1906-1907.

COMMISSÃO DE MELHORAMENTOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO; JARDIM, J. R. M & SILVA, M. R. Primeiro relatório da Commissão de Melhoramentos da Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1875.

COMMISSÃO DE MELHORAMENTOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO; JARDIM, J. R. M & SILVA, M. R. Segundo relatório da Commissão de Melhoramentos da Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1876.

DESPLAT, M. Mejoras urbanas. Buenos Aires: Talleres Gráficos de la Penitenciaria Nacional, 1906.

DÓRIA, H. Sugestões para a solução dos problemas das casas operárias. In:INSTITUTO DE ENGENHARIA DE SAO PAULO. Annaes do 1o Congresso de

Habitação. São Paulo: Escolas Profissionaes do Lyceu Coração de Jesus, p. 51-54, 1931.

DRIVER, F. Bodies in Space: Foucault’s Account of Disciplinary Power. In: JONES, C. & PORTER, R. (Eds.) Re-Assessing Foucault, reimpresso em DEREK, G. & BARNES, T. (Eds.) Reading Human Geography: The Poetics and Politics of Enquiry. London: Arnold, 1997 (1994), p. 279-289.

ELEY, G. & NIELD, K. Starting Over: The Present, the Post-Modern and the Moment of Social History. Social History, v. 20, n. 3, p. 355-365, 1995.

ESCOBAR, A. Culture Sits in Places: Reflections on Globalism and Subaltern Strategies of Localization. Political Geography, v. 20, n. 2, p. 139-174, 2001.

ESTELITA, J. Os parques Norte-Americanos e o problema da criminalidade, Revista da Directoria de Engenharia, Rio de Janeiro, v. 2, n. 17, p. 424-426, 1935.

ESTELITA, J. Fala á ‘Urbanismo e Viação’ o Representante de Pernambuco. Urbanismo e Viação, v. 4, n. 13, p. 44, Março de 1941.

FICHER, S. Ensino e profissão: o curso de engenheiro-arquiteto da Escola Politécnica de São Paulo. São Paulo: Tese de Doutorado, Departamento de História, Universidade de São Paulo, 1989, 2 vols.,

FOUCAULT, M. Politics and the study of discourse. In: GORDON, C.; MILLER, P. & BURCHELL, G. The Foucault Effect: Studies in Governmentality, with Two Lectures by and an Interview with Michel Foucault. Wheatsheaf: Havester, 1991 (1968), pp. 53-72.

FOUCAULT, M. Nietzche, la génealogie, l'histoire. In: Hommage à Jean Hyppolite. Paris: Presse Universitaire de France, 1971, traduzido por CATAN, M. como Nietzche, a genealogia e a história. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979, 9a ed., 1990, p. 15-38.

FOUCAULT, M. O nascimento da medicina social. In: FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979, 9a ed., p. 79-98.

FOUCAULT, M. Surveiller et Punir: naissance de la prison. Paris: Gallimard, 1975a.

FOUCAULT, M. Entretiens sur la prision: le livre et sa méthode. Magazine Littéraire, n. 101, 1975b, traduzido por DAMIÃO, M. M. como Sobre a prisão. In: FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979, 9a ed., p. 129-144.

FOUCAULT, M. Verité et pouvoir. L'Arc, Paris, n. 70, p. 1-14, 1977, traduzido por HOLZMEISTER & SOUZA como Verdade e poder, In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder, Rio de Janeiro: Graal, 1977, 9a ed., p. 4-5.

FOUCAULT, M. La poussière et le nuage. In: PERROT, M. (Ed.) L’impossible prison: recherches sur le système pénitentiaire au XIXe siècle. Paris: Editions du seuil, 1980a, p. 29-39

FOUCAULT, Table ronde du 20 mai 1978. In: PERROT, M. (Ed.) L’impossible prison: recherches sur le système pénitentiaire au XIXe siècle. Paris: Editions du seuil, 1980b, p. 40-58

FREIRE, V. S. Melhoramentos de São Paulo. Revista Polytechnica, São Paulo, n. 33, p. 91-145, 1911.

GANTOS, M. C. Progresso e crise urbana: a Comissão de Melhoramentos da Cidade do Rio de Janeiro (1870-1876). Niterói: Dissertação de Mestrado, Departamento de História, UFF, 1993.

GODOY, A. A. Algumas idéias sobre a remodelação das cidades. In: SOCIEDADE BRASILEIRA DE HYGIENE Annaes do Primeiro Congresso Brasileiro de Hygiene. Rio de Janeiro, p. 39-47, 1923.

HARDOY, J. E. Theory and Practice of Urban Planning in Europe (1850-1930): Its Transfer to Latin America. In: HARDOY, J. E. & MORSE, R. (Eds.) Rethinking the Latin American City. London & Baltimore: JHUP, p. 20-49, 1992.

HARDOY, J. F. et allí. Evolución de Buenos Aires en el tiempo y en el espacio. Revista de Arquitectura, Buenos Aires, v. 40, n. 375, p. 25-84 & n. 376-377, p. 25-125, 1955.

KESSEL, M. I. Crescimento urbano e reforma urbana em metrópole não industrial: o caso do Rio de Janeiro no período 1870-1920. São Paulo: Dissertação de Mestrado, DCS-PUC, 1983.

LÉONARD, J. L’historien et le philosophe: à propos de Surveiller et Punir; naissance de la prison. In: PERROT, M. (Ed.) L’impossible prison: recherches sur le système pénitentiaire au XIXe siècle. Paris: Editions du seuil, 1980, p. 9-28

LUBAMBO, C. W. Do Corpo Santo ao Marco Zero: O Bairro do Recife no inicio do século, uma experiência de modernização urbana. Recife: Massangana, 1988 (1991).

MAIA, F. P. Estudo de um Plano de Avenidas para a cidade de São Paulo. São Paulo: Companhia Melhoramentos, 1930.

MAIA, F. P. A remodelação de São Paulo. Revista do Club de Engenharia, Rio de Janeiro, 2F, v. 7, n. 72, p. 3-16, 1941.

MAIA, F. P. Os melhoramentos de São Paulo. São Paulo: Prefeitura Municipal de São Paulo, 1945.

MARIANNO FILHO, J. A technica do mocambo. Urbanismo e Viação, v. 2, n. 6, p. 169-170, Dezembro de 1939.

MCDOWALL, D. The Light: Brazilian Traction, Light and Power Company Limited. Toronto: University of Toronto Press, 1988.

MEADE, T. ‘Civilizing Rio’: Reform and Resistance in a Brazilian City (1889-1930). University Park, PA: Pennsylvania State University Press, 1997.

MENDONÇA, M. T. C. Casas populares: cidades jardins. In: INSTITUTO DE ENGENHARIA DE SÃO PAULO Annaes do 1o Congresso de Habitação. São Paulo: Escolas Profissionais do Lyceu Coração de Jesus, 1931, p. 139-147, p. 141.

MOTA, A. No tempo do bonde elétrico. Recife: Celpe, 1985, 2a ed.

NEEDELL, J. F. Rio de Janeiro at the Turn of the Century: Modernization and the Parisian Ideal. Journal of Interamerican Studies and World Affairs, v. 25, n. 1, p. 83-103, 1983.

NEEDELL, J. F. A Tropical Belle Époque: Elite Culture and Society in Turn-of-The-Century Rio de Janeiro. Cambridge: CUP, 1987.

NEEDELL, J. F. Rio de Janeiro and Buenos Aires: Public Spaces and Public Consciousness in Fin-de-Siècle Latin America. Comparative Studies in Society and History, v. 37, n. 3, p. 519-540. Julho de 1995.

NOIRIEL, G. Foucault and History: The Lessons of a Disillusion. Journal of Modern History, v. 66, p. 547-568, 1994.

NOVICK, A. Tecnicos locales y extranjeros en la genesis del urbanismo Argentino, Buenos Aires, 1880-1940. Buenos Aires: manuscrito não publicado, 1990.

NOVICK, A. Tecnicos locales y extranjeros en la genesis del urbanismo porteño, Buenos Aires, 1880-1940. Area, Buenos Aires e Lausanne, n. 1, p. 29-51, Revista de Investigaciones, Facultad de Arquitectura, Diseño y Urbanismo, FADU-UBA- Ecole Polytechnique Fédérale de Lausanne, diciembre de 1992.

NUNES, L. A. P. Prestes Maia na História do Planejamento de Santos. In: MACHADO, D. B. P. (Ed.) Anais do IV Seminário de História da Cidade e do Urbanismo. Rio de Janeiro, 1996, p. 86-97.

OLIVEIRA, F. B. La casa proletária. Urbanismo e Viação, Rio de Janeiro, v. 3, n. 7, p. 187-197, Janeiro de 1940a, p. 187.

OLIVEIRA, F. B. O estado actual da vivenda popular na América. Urbanismo e Viação, Rio de Janeiro, v. 3, n. 7, p. 199-208, Janeiro de 1940b.

OLIVEIRA, F. B. A casa popular e o aspecto urbanístico das cidades. Urbanismo e Viação, Rio de Janeiro, v. 3, n. 7, p. 209-214, Janeiro de 1940c.

OSELLO, M. A. Planejamento urbano em São Paulo (1889-1961): Introdução ao estudo dos planos e realizações. São Paulo: Dissertação de Mestrado, EAESP-FGV, 1983.

OUTTES, J. O Recife pregado à cruz das grandes avenidas: contribuição à história do urbanismo (1927-1945). Recife: Dissertação de Mestrado, MDU-UFPE, 1991.

OUTTES, J. La ville: lieu de la dégénérescence? urbanisme et représentations sociales au Brésil et en Argentine (1920-1945). Paris: Mémoire de DEA, Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales-Centre de Sociologie Urbaine, CNRS, 1993.

OUTTES, J. O Recife: gênese do urbanismo. Recife: Massangana, 1997, p. 67-70.

OUTTES, J. Disciplining Society through the City? The Birth of Urbanismo (City Planning) in Brazil (1916-1941). Oxford: DPhil Thesis, Oriel College & School of Geography and Environment, 1999.

PALMER, B. D. Descent into Discourse: The Reification of Language and the Writing of Social History. Philadelphia: Temple University Press, 1990.

DELLA PAOLERA, C. M. In: CONTINENTINO, L. Urbanismo - o plano de Belo Horizonte: impressões de uma viagem recente à Argentina. Arquitetura e Urbanismo, Rio de Janeiro, v. 5, n. 4, p. 222-225, 1940.

PECHMANN, S. Reformas urbanas e classes dominantes no Rio de Janeiro na virada do século: Algumas anotações sobre o debate recente. Águas de São Pedro-MG: Trabalho apresentado no VII Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais, 16 a 28 de Outubro de 1983.

PECHMANN, S. & FRITSCH, L. A reforma urbana e o seu avesso: Algumas considerações a propósito da modernização do Distrito Federal na virada do século. Revista Brasileira de História, Rio de Janeiro, v. 5, n. 8-9, p. 139-195, Setembro de 1984-abril de 1985.

PEREIRA, S. G. A reforma urbana de Pereira Passos e a construção da identidade Carioca. Rio de Janeiro: Tese de Doutourado, ECO, UFRJ, 1992 (1996).

PONTES, J. A. O. V. Francisco Prestes Maia: o político que não gostava de política. Cidade, São Paulo, v. 3,n. 4, p. 4-9, 1996.

POSTER, M. Foucault and History. Social Research, v. 49, n. 1, p. 116-142, 1982.

PRADO, R. Urbanismo e a criança. Urbanismo e Viação, Rio de Janeiro, v. 4, n. 13, p. 42-43 & 72, Março de 1941.

SAN VICENTE, I. M. Planes y proyectos para Rosario 1890-1910. Documentos de Arquitectura Nacional y Americana, n. 21, p. 89-95, 1986.

SARGENT, C. S. The Spatial Evolution of Greater Buenos Aires, Argentina, 1870-1930. Tempe: Arizona State University, 1974.

SCOBIE, J. R. Argentina: A City and a Nation. New York: Oxford University Press, 1971, p. 260-261.

SCOBIE, J. R. Buenos Aires: From Plaza to Suburb (1870-1910). New York: Oxford University Press, 1974.

SIMÕES, J. G. O setor de obras publicas e as origens do urbanismo na cidade de São Paulo. São Paulo: Dissertação de Mestrado, EAESP-FGV, 1990.

SOUTO, L. R. V. Melhoramentos da Cidade do Rio de Janeiro: Crítica dos trabalhos da respectiva commissão. Rio de Janeiro: Lino Teixeira, 1875.

SOUTO, L. R. V. Melhoramentos da Cidade do Rio de Janeiro: refutação da resposta à crítica dos trabalhos da respectiva segunda commissão. Rio de Janeiro: Lino Teixeira, 1986.

STEPAN, N. ‘The Hour of Eugenics’: Race, Gender and Nation in Latin America. Ithaca, NY: Cornell University Press, 1991.

SUFFRITI, C. Estudios sobre urbanismo. In: OBRAS SANITÁRIAS DE LA NACIÓN. Primer Congreso Argentino de Urbanismo realizado en Buenos Aires los días 11 al 19 de octubre de 1935: Contribución de Obras Sanitarias de la Nación. Buenos Aires: Imprenta Mercatali, 1935 (1937), pp. 131-138.

TOLEDO, B. L. Prestes Maia e as origens do urbanismo moderno em São Paulo. São Paulo: Empresa das Artes, 1996.

ZAIDAN, N. O Recife nos trilhos dos bondes de burro (1871-1914). Recife: Dissertação de Mestrado, MDU-UFPE, 1991.

ZMITROWICZ, W. O sonho e a realidade do “Plano de Avenidas”. Cidade, São Paulo, v. 3, n. 4, p. 28-35.

Publicado
2014-04-01
Como Citar
Outtes, J. (2014). Cidade e habitação na américa latina (1890-1945): uma perspectiva foucaultiana. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 6(1), 716-739. https://doi.org/10.20396/urbana.v6i1.8635322