História urbana. A configuração de um campo conceitual

  • Amilcar Torrão Filho Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Palavras-chave: Editorial - História urbana

Resumo

Ao definir o espaço de constituição do capitalismo e da modernidade, Fernand Braudel, em seu clássico Civilização Material, Economia e Capitalismo, não hesita em afirmar a cidade como o lócus de construção histórica desta modernidade. As cidades são, para este autor, como transformadores elétricos: elas aumentam as tensões, precipitam as trocas, removem a vida dos homens. São nascidas da mais revolucionária divisão do trabalho: campo de um lado, atividades urbanas do outro. A cidade é cesura, ruptura, destino do mundo. Ao surgir com a escritura ela abre as portas para a história; quando renasce na Europa no séc. XI a ascensão do continente começa, quando ela floresce na Itália, é o Renascimento. Tão importante quanto seu conceito de longa duração, muitas vezes referenciado entre historiadores e cientistas sociais, Braudel ao dar tamanha importância ao espaço e à cidade também pensou num conceito que desse conta da dinâmica que envolve a cidade e a história, a pouco citada longa dimensão. A vida da cidade está associada a um espaço de longa dimensão, de onde vêm seus homens, onde estão suas relações comerciais, cidades, vilas e mercados que aceitam os seus pesos e medidas ou suas moedas, ou que falam a sua língua dialetal (s.d.: 560-1). De onde ela imperiosa, imperial e imperativamente tira seu sustento, sua mão-de-obra, seu exército industrial de reserva, seu poder. “No Ocidente, capitalismo e cidades, no fundo, são a mesma coisa”, afirma o historiador francês (s.d.: 586).

Biografia do Autor

Amilcar Torrão Filho, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Possui graduação em História pela Universidade de São Paulo (1992), mestrado em História pela Universidade Estadual de Campinas (2004) e doutorado pela mesma universidade (2008). Realizou estágio de doutorado-sanduíche na École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris (2006-2007) e estágio pós-doutoral na Universitat Politècnica de Catalunya (2013-2014). Tem pós doutorado na Universitat Politècnica da Catalunya (2014-2015). Atualmente é professor de História do Brasil, Teoria da História e História Moderna na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, professor da pós-graduação Lato Sensu e Stricto Sensu, além membro do conselho editorial da revista Urbana. Revista Eletrônica do CIEC, Revista Projeto História e Revista Iberoamericana de Urbanismo.Revista Iberoamericana de Urbanismo Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Colônia, História do Brasil Império, Teoria da História e Historiografia, atuando principalmente nos seguintes temas: urbanismo, cidades e vilas, história urbana, São Paulo, Literatura de Viagem, história colonial e história do Império. É coordenador do Núcleo de Estudos da Alteridade com Karen Macknow Lisboa.

Referências

BRAUDEL, Fernand. Civilisation matérielle, économie et capitalisme. XVe-XVIIIe siècle. V. 1. Les structures du quotidien: le possible et l’impossible. Paris: Armand Colin, s.d.

BRESCIANI, Maria Stella Martins. Metrópoles: as faces do monstro urbano (as cidades no século XIX). Revista Brasileira de História. São Paulo: ANPUH. 5(8/9): 35-68, set./abr., 1984-1985.

CALDEIRA, Tereza Pires do Rio. Cidade de muros. Crime, segregação e cidadania em São Paulo. Trad. port. 2. ed. São Paulo: Edusp, 34, 2003.

CALVINO, Italo, As cidades invisíveis. Trad. port. Diogo Mainardi. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

CERTEAU, Michel de. L’invention du quotidien, v. 1, Arts de Faire. Paris: Gallimard, 1990.

CHOAY, Françoise. O Reino do Urbano e a Morte da Cidade. Projeto História. Trad. port. Eveline Bouteiller Kavakama. São Paulo: Educ, 18: 67-89, maio, 1999.

LEPETIT, Bernard. Tentons l’expérience. Annales ESC. Paris, 6: 1317-1323, nov./dec., 1989.

LEPETIT, Bernard. Por uma nova história urbana. Org. Heliana Angotti Salgueiro. Trad. port. Cely Arena. São Paulo: Edusp, 2001.

ROSSI, Aldo. A Arquitetura da Cidade. Trad. port. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

SENNET, Richard. Carne e Pedra. O Corpo e a Cidade na Civilização Ocidental. 4. Ed. Rio de Janeiro: Record, 2006.

SOJA, Edward. Postmetropolis. Critical Studies of Cities and Regions. Oxford, UK: Blackwell, 2000, pp. 233-321.

VIRILIO, Paul. O Espaço Crítico e as Perspectivas do Tempo Real. Trad. port. São Paulo: 34, 2005.

WEBER, Melvin. La Era Postciudad. In: VV. AA. Lo Urbano en 20 Autores Contemporáneos. Barcelona: ETSAB, UPC, 2004, pp. 13-23.

Publicado
2015-12-23
Como Citar
Torrão Filho, A. (2015). História urbana. A configuração de um campo conceitual. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 7(1), 1-9. https://doi.org/10.20396/urbana.v7i1.8642546