Momentos da modernidade no centro tradicional de Florianópolis: a dimensão contra-hegemônica do espaço contemporâneo

  • Renata Rogowski Pozzo Universidade do Estado de Santa Catarina
Palavras-chave: Centro tradicional de Florianópolis. Modernidade. Centralidade urbana.

Resumo

Neste ensaio, buscamos apreender as especificidades da formação do Centro e a configuração da centralidade urbana em Florianópolis, compreendendo a marcha das continuidades e descontinuidades de sua história e como estas se arranjaram espacialmente dentro do processo de transição para a modernidade capitalista da cidade. Dentro deste longo processo de transição, que se origina a partir da segunda metade do século XIX, objetivamos demonstrar como o Centro tradicional adquire, a cada período, um significado novo em relação à cidade: do Centro moderno, ao Centro decadente para o Centro contra-hegemônico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Rogowski Pozzo, Universidade do Estado de Santa Catarina
Geógrafa, Doutora em Desenvolvimento Regional e Urbano (UFSC). Professora do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da UDESC.

Referências

ANDRADE, Maria Martins de Andrade (1978). A Influência da Ponte Hercílio Luz no Desenvolvimento da Ilha de Santa Catarina. Dissertação de Mestrado em História. Universidade Federal de Santa Catarina.

BASTOS, José Messias (2000). Urbanização, comércio e pequena produção mercantil pesqueira na Ilha de Santa Catarina. In: LINS, Hoyêdo Nunes et al. Ensaios sobre Santa Catarina. Florianópolis:Letras Contemporâneas.

BAUDELAIRE, Charles (2009). Pequenos poemas em prosa. São Paulo: Hedra.

BENJAMIN, Walter (2006). Passagens. Belo Horizonte, Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial.

BERMAN, Marschal. (1986). Tudo que e sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São Paulo: Companhia das Letras.

BOLLE, Willi (2000). Fisiognomia da Metrópole Moderna: representações da história em Walter Benjamin. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

BRESCIANI, Maria Stella (2011). A cidade: objeto de estudo e experiência vivenciada. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, n. 6. Disponível em: http://unuhospedagem.com.br/revista/rbeur/index.php/rbeur/article/view/113. Acesso em: 29 Nov. 2014.

CHALAS, Yves (2007). Cidades Contemporâneas. Revista Grifos. N. 22/23 – junho/dezembro.

COELHO, Mário César (1997). Moderna Ponte Velha: Imagem e Memória da Ponte Hercílio Luz. Mestrado em História. Florianópolis: UFSC.

DIAS, Wilmar (1948). Florianópolis, Ensaio de Geografia Urbana. Boletim Geográfico. Estado de Santa Catarina: Departamento de Geografia e Cartografia. IBGE, Ano 1, n 1; Ano 1, n 2; Ano 2, n1.

ENGELS, Friedrich (2010). A Situação da Classe Trabalhadores na Inglaterra. São Paulo: Boitempo.

GOMES, Paulo Cesar da Costa (2002). A condição urbana: ensaios de geopolítica da cidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

GRAMSCI, Antônio (2000). Cadernos do cárcere. V. 5 - Rissorgimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

JACOBS, Jane (2009). Morte e Vida de Grandes Cidades. São Paulo: Martins Fontes.

LEFEBVRE, Henry (1991). O Direito à Cidade. São Paulo: Editora Moraes.

LOHN, Reinaldo Lindolfo (2007). Limites da Utopia: cidade e modernização no Brasil desenvolvimentista (Florianópolis, décade de 1950). Revista Brasileira de História. Vol 27, nº 53. São Paulo. Retirado de http://www.scielo.br, acesso em fevereiro de 2009.

LUCÁKS, Gyorgy (1981). Sociologia. São Paulo: Ática.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich (1998). O Manifesto Comunista. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

NOTÍCIAS DO DIA (2010). Prefeitura quer cercar praça 15. Florianópolis, 25 fev.

PELUSO JUNIOR, Victor Antonio (1991). Estudos de geografia urbana de Santa Catarina. Florianópolis: Secretaria de Estado da Cultura e do Esporte; Ed. da UFSC.

SANTOS, André Luiz (2009). Do mar ao morro: a geografia histórica da pobreza urbana em Florianópolis. Tese de Doutorado em Geografia. Universidade Federal de Santa Catarina.

SANTOS, Milton (1959). O Centro da Cidade de Salvador: um estudo de geografia urbana. Salvador: Publicações da Universidade da Bahia.

SANTOS, Milton (1977). Sociedade e Espaço: a Formação Social como teoria e como método. Boletim Paulista de Geografia nº 54.

SANTOS, Milton (1982). Desenvolvimento econômico e urbanização em países subdesenvolvidos: os dois sistemas de fluxo da economia urbana e suas implicações espaciais. In: Espaço e Sociedade. Petrópolis: Vozes.

SANTOS, Milton (1996). A Natureza do Espaço. São Paulo: Hucitec.

SCHORSKE, Carl (2000). Pensando com a História: indagações na passagem para o modernismo. São Paulo, Companhia das Letras.

SENNETT, Richard (1998). Declínio do homem público: as tiranias da identidade. São Paulo: Cia das Letras.

SILVA, Marcos Aurélio (2003). Geografia e Marxismo: questões de método e notas de pesquisa. Revista Ciência Geográfica, Ano IX – Vol. IX, Bauru-SP.

SWEEZY, Paul et al. (1977). A transição do Feudalismo para o Capitalismo. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

VARZEA, Virgilio (1985). Santa Catarina: A Ilha. Florianópolis: Lunardeli.

VAZ, Nelson Popini (1991). O Centro Histórico de Florianópolis: espaço público do ritual. Florianópolis: FCC Ed. / EdUFSC.

VEIGA, Eliane Veras da (1993). Florianópolis: memória urbana. Florianópolis: UFSC.

VILLAÇA, Flávio (2001). Espaço Intra-urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel; FAPESP; Lincoln Institute.

Publicado
2016-12-05
Como Citar
Pozzo, R. R. (2016). Momentos da modernidade no centro tradicional de Florianópolis: a dimensão contra-hegemônica do espaço contemporâneo. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 8(1), 137-162. https://doi.org/10.20396/urbana.v8i1.8642579