Localizando performances: territorialidade e os estudos antropológicos de gênero e sexualidade

  • Marcos Aurélio da Silva Universidade Federal de Mato Grosso
Palavras-chave: Territorialidade. Gênero. Performance.

Resumo

O artigo apresenta algumas possibilidades que conceitos e metáforas espaciais oferecem para as ciências humanas e sociais, nos estudos de gênero e sexualidade, passando por questões como identidade e imagem no contemporâneo. Partindo do feminismo pós-colonial e de dois campos etnográficos distintos, como um carnaval gay e um festival de cinema da diversidade sexual, o autor se utiliza do conceito de territorialidade como uma alternativa a enfoques que correm o risco de gerar certos essencialismos em temas como identidade ou cultura, uma preocupação em voga na antropologia contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Aurélio da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso
Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de Mato Grosso. Bolsista PNPD/Capes.

Referências

ALCOFF, Linda M. “The Identity Crisis in Feminist Theory”. In:Visible Identities: Race, Gender, and the Self. New York: Oxford University Press, 2006. pp. 133-150.

AUMONT, Jacques. 2006. (org.) A Estética do Filme. 2ª ed. Campinas: Papirus Ed.

BARBOSA DA SILVA. José Fábio. 1959. Aspectos Sociológicos do Homossexualismo em São Paulo. Sociologia, 21(4). out. São Paulo: FESPSP. pp. 350-60.

BESSA, Karla. 2007. Os festivais GLBT de cinema e as mudanças estético-políticas na constituição da subjetividade. Cadernos Pagu (28), janeiro-junho. pp. 257-283.

BOURDIEU, Pierre. [1979]. 2007. A Distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp/Zouk.

BUTLER, Judith. [1990] 2003. Problemas de Gênero. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

BUTLER, Judith. 1993. Bodies that matter: on the discursive limits of “sex”. Nova York e Londres: Routledge.

CÓRDOVA, Luiz Fernando Neves. 2006. Trajetórias de Homossexuais na Ilha de Santa Catarina: Temporalidades e Espaços. Tese de Doutorado. Florianópolis: Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas/UFSC.

DE CERTEAU, Michel. 1998. A Invenção do Cotidiano: artes de fazer. 3ª ed. Petrópo-lis: Vozes.

DEAN, James Joseph. 2007. Gays and Queers: from the centering to the decentering of homosexuality in American films. Sexualities, 10(3): 363-386.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix 1993. O que é a Filosofia? São Paulo: Editora 34.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. [1980] 1995. “Introdução: Rizoma”. In: Mil Platôs. Vol. 1. Rio de Janeiro: Editora 34.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. 1976. O Anti-Édipo : capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Imago Editora.

DUMONT, Louis. Cap. I: Gênese I. Do indivíduo-fora-do-mundo ao indivíduo-no-mundo In: O individualismo. Uma perspectiva antropológica da ideologia moderna. Rio, Rocco, 1985; pp. 33-68.

ELIAS, N. (1939). A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994, 11- 59.

ERDMANN, Regina. 1981. Reis e Rainhas no Desterro - um estudo de caso. Disserta-ção de Mestrado. Florianópolis: Programa de Pós-Graduação em Ciências Soci-ais/UFSC.

FOLHA DE SÃO PAULO. 2013. "Já são mais de 4 milhões", brinca organização da Parada Gay sobre público. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/06/1288638-ja-sao-mais-de-4-milhoes-brinca-organizacao-da-parada-gay-sobre-publico.shtml. Capturado em 30 de novembro de 2015.

FOUCAULT, Michel. [1976] 2006. História da Sexualidade I: a vontade de saber. 17ª edição. Rio de Janeiro: Graal.

FRANÇA, Isadora Lins. 2006. Cercas e pontes: o movimento GLBT e o mercado GLS na cidade de São Paulo. (Dissertação de Mestrado). São Paulo: PPGAS/USP.

FRANÇA, Isadora Lins. 2007. Identidades Coletivas, Consumo e Política: a aproxima-ção entre mercado GLS e movimento GLBT em São Paulo. Horizontes Antropológicos, 13 (28). Porto Alegre: PPGAS/UFRGS. pp. 289-311.

FRANÇA, Isadora Lins. Identidades Coletivas, Consumo e Política: a aproximação entre mercado GLS e movimento GLBT em São Paulo. Horizontes Antropológicos, 13 (28). Porto Alegre: PPGAS/UFRGS, 2007. p. 289-311.

GAGNON, John. [1975] 2006. “Pesquisa sobre práticas sexuais e mudança social (1975)”. In: Uma Interpretação do Desejo. Rio de Janeiro: Garamond. pp. 65-110.

GEERTZ, Clifford. [1973] 1989. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: LTC.

GREEN, James N. 2000. Além do Carnaval: a homossexualidade masculina no Brasil do século XX. São Paulo, Ed. Unesp.

HALBERSTAM, Judith. 2005. In a Queer Time and Place: Transgender Bodies, Subcultural Lives. New York: New York University Press.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In: TADEU DA SILVA, Tomaz (org.) Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, Vozes, 2000.

HENNING, Carlos Eduardo. 2008. Diferenças na diferença: hierarquia e interseções de geração, gênero, classe, raça e corporalidade em bares e boates GLS de Florianópolis. Dissertação de Mestrado. Florianópolis: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/UFSC.

INGOLD, Tim. 2005a. Jornada ao longo de um caminho de vida – mapas, descobridor-caminho e navegação. Religião e Sociedade, 25(1). Rio de Janeiro: ISER. pp. 76-110.

INGOLD, Tim. 2005b. The eye of the storm: visual perception and the weather. Visual Studies, 20 (2). oct. London: Routledge. pp. 97-104.

INGOLD, Tim. 2007. Lines: a brief history. London: Routledge. 188 p.

JAGGAR, Alison M. “‘Salvando Amina’: Justiça global para mulheres e diálogo intercultural”. In: MINELLA, Luzinete Simões e FUNCK, Susana Borneo (orgs.). Saberes e fazeres de gênero. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2006. p. 13-50.

KAPLAN, E. Ann. 1995. A mulher e o cinema: os dois lados da câmera. Rio de Janeiro: Rocco.

MACEDO, Letícia; DANTAS, Carolina. Parada Gay reúne milhares em SP. G1 São Paulo, publicado em 7 de junho de 2015. Disponível em http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/06/parada-gay-reune-milhares-em-sp.html. Capturado em 30 de novembro de 2015.

MALUF, Sônia Weidner. 2002. Corporalidade e desejo: Tudo sobre minha mãe e o gênero na margem. Revista Estudos Feministas, 10 (1). Florianópolis: CCE/CFH/UFSC.

MOHANTY, Chandra T. “Feminist Encounters: Locating the Politics of Experience”. In: BARRET, Michelle e PHILLIPS, Anne (eds.). Destabilizing Theory. Cambridge: Polity Press, 1992 [1987]. p. 74-92.

MOHANTY, Chandra T. “Under Western Eyes: Feminist Scholarship and Colonial Dis-courses”. In: LEWIS, Reina and MILLS, Sara (eds.). Feminist Postcolonial Theory. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2003 [1988]. p. 49-74.

MULVEY, Laura. [1974] 1983. “Prazer visual e cinema narrativo”. In: XAVIER, Ismail (org.). A experiência do cinema. Rio de Janeiro: Edições Graal/Embrafilme.

ORTNER, Sherry. Subjetividade e crítica cultural. Horizontes Antropológicos, 13 (28). Porto Alegre: UFRGS, jul./dez. 2007. p. 375-405

OSTHOFF, Simone. “Hélio Oiticica’s Parangolés”. In: MIRZOEFF, Nicholas (ed.). Dias-pora and Visual Culture: Representing Africans and Jews. London, New York: Routledge, 1999. p. 224-240.

PARKER, Richard. Abaixo do equador: Culturas do desejo, homossexualidade masculina e comunidade gay no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 2002.

PERLONGHER, Néstor. [1987] 2008. O Negócio do Michê: a prostituição viril em São Paulo. São Paulo: Fundação Perseu Abramo.

PERLONGHER, Néstor. 1986. Trottoir: A Territorialidade itinerante. Desvios, 5. São Paulo: Paz e Terra.

PERLONGHER, Néstor. 1993. Territórios marginais. Saúde Loucura, 4: Grupos e Coletivos. São Paulo: Hucitec.

PERLONGHER, Néstor. O Negócio do Michê: a prostituição viril em São Paulo. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2008 [1987].

PERUCCHI, Juliana. 2001. Eu, tu, elas: investigando os sentidos que mulheres lésbicas atribuem às relações que elas estabelecem em um gueto GLS de Florianópolis. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina.

PUCCINELLI, Bruno. 2010. O Shopping Frei Caneca e a rua gay de São Paulo. (Paper). Seminário Internacional Fazendo Gênero 9 (Anais). Florianópolis: UFSC.

RICH, Adrienne. “La heterosexualidad obligatoria y la existencia lesbiana”. In: NAVA-RRO, Marysa e STIMPSON, Catherine R. Sexualidad, género y roles sexuales. México: Ed. Fondo de Cultura Económica, 2000 [1978]. p. 159-211.

RICH, Adrienne. “Notas para uma política da localização”. In: MACEDO, Ana Gabriela (org.). Gênero, desejo e identidade. Lisboa: Cotovia, 2002 [1984]. p. 15-35.

SACK, Robert David. 1986. Human territorility: it's teory and history. Cambridge: Cambridge University.

SALEM, Tania. 1997. As novas tecnologias reprodutivas: o estatuto do embrião e a noção de pessoa. Mana, 3(1): 75-94.

SANTOS, Milton. 1997. A Natureza do espaço: técnica e tempo. Razão e Emoção. São Paulo: Hucitec.

SEGATO, Rita Laura. 2007. A faccionalização da República e da paisagem religiosa como índice de uma nova territorialidade. Horizontes Antropológicos, 27. Ano 13. Porto Alegre: UFRGS. pp. 99-143.

SHOHAT, Ella; STAM, Robert. 2006. Crítica da Imagem Eurocêntrica. São Paulo: Co-sacNaify.

SILVA, Marcos Aurélio da. 2003. Se manque: uma etnografia do carnaval do pedaço GLS da Ilha de Santa Catarina. Dissertação de Mestrado. Florianópolis: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/UFSC.

SILVA, Marcos Aurélio. A cidade de São Paulo e os territórios do desejo: uma etnografia do Festival Mix Brasil de Cinema e Vídeo da Diversidade Sexual. Revista Eco-Pós, 16 (3). Rio de Janeiro: UFRJ, 2013. p. 19-43.

TURNER, Victor. “Liminal to Liminoid in play, flow, and ritual”. In: From Ritual to Theatre: the human seriousness of play. New York: PAJ, 1982. pp. 20-60.

WINKIN, Ives. 1998. A nova comunicação: da teoria ao trabalho de campo. Campi-nas: Papirus.

YOUNG, Robert. Postcolonialism: a very short introduction. New York: Oxford, 2003.

Publicado
2016-10-31
Como Citar
Silva, M. A. da. (2016). Localizando performances: territorialidade e os estudos antropológicos de gênero e sexualidade. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 7(2), 33-54. https://doi.org/10.20396/urbana.v7i2.8642605