As cidades da ditadura militar brasileira:

continuidades, rupturas e uma agenda contemporânea de direito à memória

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/urbana.v12i0.8646240

Palavras-chave:

Ditadura Civil Militar, Cidades, memória

Resumo

O presente ensaio pretende analisar as permanências e continuidades, os conflitos e a reinvindicação por justiça e direito à memória em torno de lugares de memória referidos à Ditadura Civil-Militar Brasileira (1964-1985) nas cidades. O artigo tem com objeto de análise as ações de determinados grupos sociais que se constituem para denunciar a permanência de elementos do regime de exceção na vida corrente das cidades mesmo em um período em que vigoram as instituições de um sistema político formalmente democrático. Nesse sentido apresento uma cartografia da memória política recente nas cidades brasileiras, tomando como exemplo, principalmente, a cidade do Rio de Janeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Henrique Campello Torres, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Historiador, Mestre em Planejamento Urbano e Regional pelo IPPUR/UFRJ. Doutorando pela PUC-Rio, bolsista CAPES, com período sanduíche na Princeton University, nos Estados Unidos.  

Referências

ABREU, Maurício de Almeida. Sobre a memória das cidades. Revista TERRITÓRIO, ano III, n 4, jan./jun. p.5-26, 1998.

ACSERALD, H. Sinais de fumaça na cidade. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015

A LUTA continua. Tortura Nunca Mais – órgão informativo do grupo Tortura Nunca mais. Rio de Janeiro, n. 2, maio 1986

A NOSSA história oficial. Tortura Nunca Mais – órgão informativo do grupo Tortura Nunca mais. Rio de Janeiro, n. 2, maio 1986

ASCHER, F. Métapolis ou l’avenir des villes. Paris: Ed. Odile Jacob, 1995.

BRASIL NUNCA MAIS. Editora Vozes, Petrópolis. 1985.

BRASIL. Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Comissão Especial sobre mortos e desaparecidos políticos. Direito à memória e à verdade. Brasília: SEDH, 2007.

BRITO, Ana Paula. Escrachos aos torturadores da Ditadura. São Paulo: Editora Expressão Popular, 2017.

BRITO, Ana Paula. Rompiendo el silencio institucionalizado en Brasil: los memoriales sobre la dictadura y las políticas públicas de memoria. Aletheia, 8 (16). En Memoria Académica, 2018. Disponible en: http://www.memoria.fahce.unlp.edu.ar/art_revistas/pr.8708/pr.8708.pdf

BOLTANSKI, LUC. La Denonciation. In: Actes de la recherche en sciences sociales vol 51, mars 1984.

CARVALHO, Maria Alice Rezende de. Sobre “tudo que está aí”. Boletim CEDES – Agosto-Dezembro 2015.

CUYA, Esteban. La "Operación Condor": el terrorismo de Estado de alcance transnacional. Em Debate, Florianópolis, n. 3, p. 44-55, jan. 2007.

DESAPARECIDOS políticos dão nomes a ruas. Tortura Nunca Mais – órgão informativo do grupo Tortura Nunca mais. Rio de Janeiro, ano 2, n. 8, p. 2, nov. - dez. De 1988 e jan. de 1989.

DIAS, Reginaldo Benedito. Sentidos políticos da toponímia urbana: ruas com nomes de mortos e desaparecidos políticos da ditadura militar brasileira. Revista Patrimônio e Memória São Paulo, Unesp, v. 8, n.1, p. 155-181, janeiro-junho, 2012

FICO, Carlos. História do Tempo Presente, eventos traumáticos e documentos sensíveis o caso brasileiro. VARIA HISTORIA, Belo Horizonte, vol. 28, nº 47, p.43-59, jan/jun 2012.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Rio de Janeiro: Centauro, 2006.

LE GOFF, Jacques. Por amor às cidades. São Paulo: UNESP, 1998.

Memorias en La ciudad – Señales Del terrorismo de estado en Buenos Aires. Eudeba, 2009.

MIRANDA, Nilmário; TIBÚRCIO, Carlos. Dos filhos deste solo: mortos e desaparecidos políticos durante a ditadura militar: a responsabilidade do Estado. 2. ed. São Paulo: Boitempo-Perseu Abramo, 2008.

NARCISO, Carla Alexandra Filipe. Espaço público: ação politica e práticas de apropriação. Conceito e procedências, Revista Estudos e Pesquisas em Psicologia, vol. 9 n. 2, UERJ, Rio de Janeiro, 2009.

NORA, P. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo, n.10, p.07-28, 1993.

SEVCENKO, Nicolau. A corrida para o século XXI. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2001.

TORRES, Pedro Henrique Campello. Memória dos anos de chumbo nas cidades brasileiras. Estud. sociol. Araraquara v.20 n.39 p.381-398 jul.-dez. 2015

TORRES, Pedro Henrique Campello. “Avenida Brasil - Tudo Passa Quem Não Viu?”: formação e ocupação do subúrbio rodoviário no Rio de Janeiro (1930-1960) | REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS, v. 20, p. 287, 2018.

UNICAMP. Moradores resistem a trocar nomes da ditadura. 25 de fevereiro de 2014. http://www.unicamp.br/unicamp/clipping/2014/02/25/moradores-resistem-trocar-nomes-da-ditadura

Downloads

Publicado

2020-07-30

Como Citar

TORRES, P. H. C. As cidades da ditadura militar brasileira: : continuidades, rupturas e uma agenda contemporânea de direito à memória. URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Campinas, SP, v. 12, p. e020001, 2020. DOI: 10.20396/urbana.v12i0.8646240. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/urbana/article/view/8646240. Acesso em: 6 jul. 2022.