Charges e cultura visual

um olhar sobre a problemática da cidade brasileira através da revista arquitetura, 1961-1968

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/urbana.v11i2.8648735

Palavras-chave:

Charges. Cultura visual. Revista Arquitetura IAB. Urbanismo. Habitação social.

Resumo

Inicialmente, o artigo caracteriza o conceito de “Cultura Visual” como a atribuição de significados a imagens partindo de uma perspectiva cultural e relaciona-o com charges e caricaturas. Em seguida, parte-se para uma análise mais específica tendo como estudo de caso a revista Arquitetura, órgão oficial do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e publicada entre 1961 e 1968. O uso desse tipo de linguagem pode ser entendido como forma de conscientizar os profissionais a respeito de sua função social, levantando questões e elaborando críticas pertinentes sobre urbanismo, planejamento urbano e habitação social - dentre muitos outros temas. A análise das charges de Arquitetura revela-nos um olhar atento e crítico dessa agremiação sobre as transformações das cidades brasileiras e, ainda, permite-nos refletir sobre como muitas questões apontadas cinquenta anos atrás ainda são vigentes em nossas cidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Carlos Huapaya Espinoza, Universidade Federal da Bahia

Peruano, formado em Lima, em 2003, pela Universidad Nacional de Ingeniería (FAUA-UNI). Possui Mestrado (2007) e Doutorado (2012) pela Universidade Federal da Bahia. Vem realizando diversas pesquisas sobre a constituição da arquitetura, do urbanismo, do planejamento urbano e da circulação do ideário moderno na América Latina com ênfase nos casos peruano e brasileiro.

Eder Luís Villarpando, Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia

Estudante de Gradução na FAUFBA.

Referências

ALMANDOZ, Arturo. Mudanças políticas e institucionais para o planejamento latino-americano do segundo pós-guerra. In: GOMES, M. A. A. F. (Org.). Urbanismo na América do Sul: circulação de ideias e constituição do campo, 1920-1960. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 231-259.

ALMEIDA, Eneida de. O "construir no construído" na produção contemporânea: relações entre teoria e prática. 2010. 236 f. Tese (Doutorado), Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, USP, São Paulo, 2010. Cap. 2. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16133/tde-26042010-150955/pt-br.php>. Acesso em: 27 mar. 2017.

AMADO, Antonio. Las caricaturas de los arquitectos. Ega - Revista de Expresión Gráfica Arquitectónica, Valência, n. 21, p.96-107, 2013. Disponível em: <https://polipapers.upv.es/index.php/EGA/article/viewFile/1527/1833>. Acesso em: 01 mar. 2017.

BAXANDALL, Michael et al. Visual Culture Questionnaire. October, Cambridge-MA, v. 77, p. 25-70, 1996. Disponível em: <http://faculty.georgetown.edu/irvinem/theory/VisualCultureQuestionnaire-October-77-1996.pdf>. Acesso em: 15 fev. 2017.

BONDUKI, Nabil; KOURY, Ana Paula. Das reformas de base ao BNH. As propostas do Seminário de Habitação e Reforma Urbana. Vitruvius, São Paulo, n. 120.02, a. 10, maio 2010. Disponível em: <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/%2010.120/3432>. Acesso em: 09 abr. 2017.

CERNA, Horacio Ramos. Destrucción y reinvención de la Plaza de Armas: Estilo neocolonial y modernización urbana en Lima, 1924-1954. 2014. 172 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Maestría en Historia del Arte, Pontificia Universidad Católica de Perú, Lima, 2014. Disponível em: <http://tesis.pucp.edu.pe/repositorio/handle/123456789/5551>. Acesso em: 25 mar. 2017.

CISNEROS, Marta. La ciudad de Lima bajo la mirada de Héctor Velarde. Textos Arte, Lima, v. 3, p.173-194, nov. 2015. Disponível em: <http://facultad.pucp.edu.pe/arte/files/2016/07/

TEXTOS-ARTE-2015.pdf>. Acesso em: 28 mar. 2017.

CODEBÓ, Agnese. La oposición a un régimen represivo a través de la sátira, la caricatura y la historieta: la revista ‘Humor’ y la dictadura argentina (1976-1983). In Actas VI Encuentro Interdisciplinario de Ciencias Sociales y Humanas, Facultad de filosofía y humanidades, Universidad Nacional de Córdoba, Córdoba, 2009.

COLEÇÃO revista Arquitetura (dez. 1962 - dez. 1968).

COLEÇÃO revista Guanabara (ago. 1961 - mar./abr. 1962).

D’ATHAYDE, E. M. Entre o dizer e o não-dizer: a charge política e a relação com o silêncio. 2010. 111 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Letras. Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Católica de Pelotas-RS, Pelotas, 2010.

EDITORIAL. Guanabara, Rio de Janeiro, n.6, dez. 1962, p.3.

EXISTE uma luta. Guanabara, Rio de Janeiro, n.1, ago. 1961, p.8.

FERNANDES, Ana; SAMPAIO, Heliodório; GOMES, Marco Aurélio. A constituição do urbanismo moderno na Bahia (1900-1950): construção institucional, formação profissional e realizações. In: CARDOSO, Luiz Antônio Fernandes; OLIVEIRA, Olívia Fernandes de (Org.). (Re)Discutindo o Modernismo. Universalidade e diversidade do Movimento Moderno em Arquitetura e Urbanismo no Brasil. Salvador: Mestrado em Arquitetura e Urbanismo da UFBA, 1997. p. 201-213.

FERREIRA, Renato Fonseca. A Charge como Ferramenta da Arte-Comunicação. Panorama, Goiás, v. 2, p.74-81, nov. 2011. Disponível em: <http://seer.ucg.br/index.php/panorama/article/viewFile/1866/1166>. Acesso em: 21 fev. 2017.

HUAPAYA ESPINOZA, José Carlos. Fernando Belaunde Terry y el ideario moderno. Arquitectura y urbanismo en el Perú entre 1936 y 1968 / Fernando Belaunde Terry e o ideario moderno. Arquitetura e urbanismo no Peru entre 1936 e 1968. Lima: EDUNI/EDIFAUA/PPGAU-UFBA, 2014.

HUAPAYA ESPINOZA, José Carlos. Reflexões sobre a forma urbana latino-americana. O aporte dos Congressos Pan-Americanos de Arquitetos e da Sociedad Interamericana de Planificación, 1920-1976. Urbana - Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos da Cidade, Campinas, v. 7, p. 63-88, 2015.

IAB-BA. Quem somos. Disponível em: http://www.iab-ba.org.br/iab/quem-somos/. Acesso em: 15 fev. 2017.

KNAUSS, Paulo. O desafio de fazer História com imagens: Arte e cultura visual. ArtCultura, Uberlândia, v. 8, n. 12, p. 97-115, 2006.

MAGALHÃES, Marcelo de Souza. Crônicas da vida na cidade: o cotidiano da política nas charges da Revista Ilustrada. Urbana: Dossiê: Cidade, Imagem, História e Interdisciplinaridade, Campinas, v. 2, 2007. Disponível em: <http://www.ifch.unicamp.br/

ojs/index.php/urbana/article/view/1014>. Acesso em: 15 fev. 2017.

MARQUES DE MELO, José. A opinião no jornalismo brasileiro. Petrópolis: Vozes, 1994.

MARTINS, Raimundo. Porque falamos e como falamos da cultura visual? Visualidades, Gôiania, v. 4, n. 1 e 2, p. 65-79, jan./dez., 2006.

MENDES, Izabel Cristina Reis. Programa favela-bairro: uma inovação estratégica? Estudo do programa favela-bairro no contexto do plano estratégico da cidade do Rio de Janeiro. 2006. 203 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Arquitetura e Urbanismo, Usp, São Paulo, 2006.

MIRZOEFF, Nicholas. How to see the world. New York: Pelican, 2015.

MITCHELL, WJT. Picture theory: essays on verbal and visual representation. Chicago/London: The University of Chicago Press, 1994.

PHAIDON (Org.). Le Corbusier. Le Grand. New York: Phaidon, 2008.

VELARDE, Héctor. Obras Completas. Tomo II. Lima: Francisco Moncloa Editores S. A., 1966.

VICTORIO CÁNOVAS, Emma Patricia. La ‘Agrupación Espacio’ y la prensa (1947-1950). Pacarina del Sur, Ciudad de México, n. 17, 2013. Disponível em: <https://pacarinadelsur.comindex.php?option=com_content&view=article&id=823&catid=5&Itemid=9>. Acesso em: 12 mar. 2017.

Downloads

Publicado

2020-02-01

Como Citar

ESPINOZA, J. C. H.; VILLARPANDO, E. L. Charges e cultura visual: um olhar sobre a problemática da cidade brasileira através da revista arquitetura, 1961-1968. URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Campinas, SP, v. 11, n. 2, p. 335–363, 2020. DOI: 10.20396/urbana.v11i2.8648735. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/urbana/article/view/8648735. Acesso em: 30 jan. 2023.