Paulista aberta: significados da avenida símbolo da cidade de São Paulo

Palavras-chave: Avenida Paulista. Espaço público. Discurso.

Resumo

O artigo aborda as transformações que a Avenida Paulista, na cidade de São Paulo, sofreu ao longo de seus 125 anos e objetiva identificar quais as lógicas que embasam os novos significados que estão ali sendo construídos. Para isso, observamos os discursos dos sujeitos políticos que atuaram em sua última grande transformação: a abertura da Avenida Paulista para pedestres e modais ativos em 2015 e fechamento para o tráfego de veículos automotores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Fagner da Silva Bastos, Universidade Federal de Pernambuco
Mestre em Administração pelo PROPAD/UFPE. Áreas de interesse: Administração; Administração Pública; Política e Planejamento Governamentais; Política Urbana. Temas de interesse: Mobilidade Urbana; Ciclomobilidade; Traffic Calming; Espaço Público; Transporte Ativo.
Sérgio Carvalho Benício de Mello, Universidade Federal de Pernambuco
Tem formação na área de Administração de Empresas e Filosofia, tendo alcançado o título de Doutor pela City, University of London, Reino Unido (1997). É professor associado da Universidade Federal de Pernambuco e bolsista de produtividade em pesquisa nível 1D do CNPq.

Referências

BATISTA, M. M.; SILVA, C. C. G.; MELLO, S. C. B. Da teoria à análise política e social. In: MELLO, S. C. B. (Org.). Construção Social da Tecnologia e Teoria do Discurso. Recife: Editora UFPE, 2014.

BRASIL. Lei n. 12.587, de 3 de janeiro de 2012. Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 04 jan. 2012 Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12587.htm. Acesso em: 11 jan. 2016.

BRAY, P. M. The New Urbanism: celebrating the city. Places, v. 8, n. 4, 1993.

CÂMARA DE SÃO PAULO. Fechamento de ruas para automóveis volta a ser discutido em São Paulo. Câmara Municipal de São Paulo. 05 out. 2015. Disponível em: <http://www.camara.sp.gov.br/blog/fechamento-de-ruas-para-automoveis-volta-a-ser-discutido-em-sao-paulo>. Acesso em: 22 nov. 2015.

CASTELLS, M. Space of flows, space od places: materials for a theory of urbanism in the information age. In: Graham (ed.). The cyber cities reader. Nova Iorque: Routledge, 2004.

CIDADEAPÉ. Avenida Paulista para as pessoas: uma demanda da sociedade civil. CidadeaPé. 28 ago. 2015. Disponível em: http://cidadeape.org/2015/08/28/avenida-paulista-para-as-pessoas-uma-demanda-da-sociedade-civil/. Acesso em: 11 fev. 2016.

GEHL, J. Cidade para Pessoas. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2013.

GEHL, J. Life between buildings: Using public spaces. Washington, DC: Island Press, 2011.

GLYNOS, J.; HOWARTH, D. Logics of Critical Explanation in Social and Political Theory. London/New York: Routledge, 2007.

GLYNOS, J.; KLIMECKI, R.; WILLMOTT, H. Logics in policy and practice: a critical nodal analysis of the UK banking reform process. Critical Policy Studies, v. 171, p. 1-23, jun. 2015

GONÇALVEZ. L. F. O estudo do lugar sob o enfoque da geografia humanística: um lugar chamado avenida paulista. 2010. 266 f. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana), FFLCH/USP, São Paulo, 2010.

KELBAUGH, D. Three paradigms: New urbanism, everyday urbanism, post-urbanism. Bulletin of Science, Technology & Society, v. 20, n. 4, p. 285–289, 2000.

LACLAU, E.; MOUFFE, C. Hegemonia e estratégia socialista: Por uma política democrática radical. São Paulo: Intermeios, 2015.

MENDONÇA, D. A teoria da hegemonia de Ernesto Laclau e a análise política brasileira. Ciência Sociais Unisinos, v. 43, n. 3, set./dez. 2007.

MORAES, F. L. M. B. Estudo crítico e histórico da Avenida Paulista. 1995. 281 f. Dissertação (Mestrado em História), IFCH/UNICAMP, Campinas, 1995.

OLIVEIRA, M. A. N. Avenida Paulista: a produção contemporânea de uma paisagem de poder. 1998. 296 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – UNICAMP, São Paulo, 1998.

PROJECT FOR PUBLIC SPACES. Streets as Place: Using Streets to Rebuild Communities. Nova Iorque: PPS, 2008.

ROLNIK, R. 2015: o começo do fim? Yahoo Notícias. 11 jan. 2016. Disponível em: https://br.noticias.yahoo.com/2015-o-come-o-do-fim-1340823393206326.html Acesso em: 17 jan. 2016.

SHIBAKI, V. V. Avenida Paulista: da formação à consolidação de um ícone da metrópole de São Paulo. 2007. 211 f. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana), FFLCH/USP, São Paulo, 2007.

SP-IN-FOCO. A nova Paulista e o calçadão que não deu certo. São Paulo in Foco. 28 jan. 2016. Disponível em: http://www.saopauloinfoco.com.br/a-nova-paulista-e-o-calcadao-que-nao-deu-certo/. Acesso em: 12 fev. 2016.

TEIXEIRA, M. C. C. Avenida Paulista: a produção do espaço através do tempo. Revista do Departamento de Geografia, FFLCH/USP, São Paulo, n. 3, p. 81-94, 1984.

Publicado
2018-07-14
Como Citar
Bastos, A. F. da S., & Mello, S. C. B. de. (2018). Paulista aberta: significados da avenida símbolo da cidade de São Paulo. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 9(3), 521-539. https://doi.org/10.20396/urbana.v9i3.8649610