Diálogos públicos interseccionais

arte urbana no recôncavo da Bahia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/urbana.v11i3.8656266

Palavras-chave:

Experiˆência urbana, Narrativas, Arte, Interseccinalidade, Imaginário político

Resumo

Localizada na região do Recôncavo da Bahia, a cidade da Cachoeira possui história singular nas relações de luta pela existência política e imaginária, desde a sua participação decisiva nas lutas pela emancipação política do Brasil à constante resistência da população negra que sobrevive às heranças da escravidão. Desde 2017, temos notado a emergência de graffitis que põem em circulação narrativas e imaginários associados ao reconhecimento das singularidades e potências da mulher, superação da opressão masculina, relações entre o corpo feminino e a natureza e entre o corpo da mulher e diversas ancestralidades ligadas à religiões afro-brasileiras, que também tem tomado as redes sociais digitais ampliando as possibilidades de significação, como é o caso do perfil asparedesdocahlfalam, no instagram. Aqui, buscaremos explorar a dimensão política-comunicativa das expressividades artísticas das práticas de escrita da cidade, relacionando com as condições de possibilidades de invenção, encontro e contextos históricos culturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milene Migliano, Escola Superior de Propaganda e Marketing (SP)

Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia. Pesquisadora do Juvenalia da , Escola Superior de Propaganda e Marketing (SP). Professora Substituta do Centro de Artes, Humanidades e Letras da UFRB. 

Jessica Santana Bruno, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Doutoranda do programa Pós-Colonialismos e Cidadania Global (Universidade de Coimbra). Membro do Coletivo Ângela Davis (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia). Membro do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Lesbianidades, Gênero, Raça e Sexualidades (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia).

Referências

BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas Vol. I – Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo: Editora Brasiliense, 1996.

BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas Vol. II - Rua de Mão Única. São Paulo: Editora Brasiliense, 1995.

BRAGA, José Luiz. Lugar de fala como conceito metodológico no estudo de produtos culturais e outras falas. In: NETO, Antonio Fausto e PINTO, M. Mídia e Cultura. Rio de Janeiro: Diadorim/Compós, 1997.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes, 1994.

CRENSHAW, Kimberlé Williams. Mapping the Margins: Intersectionality, Identity Politics, and Violence Against Women of Color. Stanford Law Review 43(6), 1991, p. 1241–99.

DAVIS, Angela, Mulheres, raça e classe. tradução Heci Regina Candiani. - 1. ed. - São Paulo : Boitempo, 2016.

MIGLIANO, Milene. Diálogos Públicos no Centro de Belo Horizonte: mapas de sentidos em comunicação urbana. Dissertação defendida maio de 2009 no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Sociabilidade Contemporânea da UFMG.

OLIVEIRA, Rita de Cássia Alves. Lendo a metrópole comunicacional: culturas juvenis, estéticas e práticas políticas. Revista Acadêmica de la Federación Latinoamericana de Facultades de Comunicación Social. Bogotá, 2007.

RIBEIRO, Ana Clara Torres. Outros territórios, outras mapas. En: OSAL: Observatório Social da America Latinha, Ano 6, no. 16, (Junho 2005) Buenos Aires: CLACSO, 2005.

RIBEIRO, Ana Clara Torres. Corpo e imagem, alguns enredamentos urbanos. Cadernos do PPG//AUFAUFBA, número especial “Territórios Urbanos e Políticas Culturais”. Salvador: Editora UFBA, 2007.

Downloads

Publicado

2020-05-07

Como Citar

MIGLIANO, M.; BRUNO, J. S. . Diálogos públicos interseccionais: arte urbana no recôncavo da Bahia. URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Campinas, SP, v. 11, n. 3, p. 154–167, 2020. DOI: 10.20396/urbana.v11i3.8656266. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/urbana/article/view/8656266. Acesso em: 5 dez. 2022.