Terræ Didatica e Geoética

Terræ Didatica e Geoética

Celso Dal Ré Carneiro

Recente artigo de dezembro de 2018 de Terræ Didatica destaca que a Geoética fornece um ponto de interseção entre Geociências, Sociologia e Filosofia, ao abordar as “implicações éticas, sociais e culturais da pesquisa e prática geológica” (CASTRO; RUCHKYS; MANINI, 2018). No início de 2019 vivenciamos o impacto de grande tragédia, com efeitos ambientais devastadores e perda de centenas de vidas humanas. A ruptura da barragem VI de disposição de rejeitos de mineração de ferro, na Mina do Feijão, em Brumadinho, MG, no dia 25 de janeiro de 2019, repete a triste catástrofe da barragem de Fundão em Mariana, MG [5 de novembro de 2015], quando morreram 19 pessoas. Enquanto a busca por desaparecidos segue seu curso, geológos, engenheiros e outros especialistas são consultados por jornalistas e repórteres de veículos de comunicação nacionais e do exterior, que buscam explicações. Uma crítica precipitada, desprovida de base científica sólida, levantará dúvidas quanto à competência de técnicos conhecidos e, ao mesmo tempo, prejudicará a construção de propostas e normas adequadas para obras no campo da mineração.

Os desastres evidenciam a escassa difusão do conhecimento geológico e sua perspectiva sistêmica na sociedade. É mais um exemplo da necessidade do ensino de Geociências nas escolas, em todos os níveis educacionais, especialmente na formação dos professores. Em Mariana, houve diferentes níveis de omissão do poder público e das empresas envolvidas; mais grave ainda, os tomadores de decisão gestaram novas normas destinadas a encontrar soluções eficientes nas obras de mineração que parecem ignorar o conhecimento técnico da Geologia e da Engenharia. Imbernon & Valle (2018) argumentam que os fatores geológicos devem ser considerados em qualquer conceito de sustentabilidade ambiental, uma vez que a sociedade parece preocupar-se mais com o meio biótico do que com o ambiente abiótico, como as bacias hidrográficas, planícies costeiras, formações rochosas etc.

Um evento sísmico foi descartado como causa do evento de Brumadinho, conforme citado por Fábio Braz Machado (http://www.sbgeo.org.br/informeUnB.pdf), com base em estudos feitos por colegas da Universidade de Brasília. A hipótese mais plausível indica a incidência de piping – processo de erosão interna por carreamento de solo pela água com gradientes hidráulicos elevados (carga hidráulica elevada), que precedeu a ruptura circular devido à saturação de solos. O argumento é reforçado por informação fornecida por Jehovah Nogueira Junior. (2019, inf escrita).

A barragem de Fundão liberou na rede hidrográfica, de uma só vez, cerca de 32 milhões de m3 de lama de rejeitos, ao passo que Feijão-VI lançou volume menor, da ordem de 12 milhões de m3. Os efeitos desta, contudo, em termos de vidas humanas, foram muito maiores. Lembremos que o impacto da primeira atingiu a região costeira: 17 dias após a ruptura uma parte da “lama de rejeitos atingiu a foz do Rio Doce” (CASTRO; RUCHKYS; MANINI., 2018). São duas catástrofes causadas pela atividade humana, envolvendo elementos como: descuido, imperícia, negligência ou omissão. Diante desses dados, não pode cessar a apuração das responsabilidades técnicas e gerenciais pela catástrofe, medida essencial para evitar eventos semelhantes.

Referências

CASTRO, Paulo de Tarso A.; RUCHKYS, Úrsula; MANINI, Rafael Tertolino. A sociedade civil organizada e o rompimento da barragem de fundão, Mariana (MG): porque é preciso difundir a geoética. Terrae Didatica, v. 14, n. 4, p. 439-444, 7 dez. 2018. Universidade Estadual de Campinas. http://dx.doi.org/10.20396/td.v14i4.8654194.

IMBERNOM, Rosely A. L., VALLE, Waleska. 2018. Values and geoethic conflicts involving tailings dam: the Samarco Case, Mariana, MG, Brazil. In: QUADRENNIAL CONFERENCE OF THE INTERNATIONAL GEOSCIENCE EDUCATION ORGANISATION (IGEO) – GEOSCIENCE FOR EVERYONE, 8., 2018, Campinas. Proceedings… Campinas: Soc. Bras. Geol., 2018. p. 177-181. ISBN 978-85-479-0067-0 Disponível em: http://www.ige.unicamp.br/geoscied2018/en/papers/.

Como citar este post

CARNEIRO, Celso Dal Ré. Terrae Didatica e Geoética. Blog PPEC, Campinas, v.2, n.1, fev. 2019. ISSN 2526-9429. Disponível em: http://periodicos.sbu.unicamp.br/blog/index.php/2019/02/15/tdgeoetica/.  Acesso em: dia mês abreviado ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.