A sociedade civil organizada e o rompimento da barragem de fundão, Mariana (MG): porque é preciso difundir a geoética

Autores

  • Paulo de Tarso A. Castro Universidade Federal de Ouro Preto
  • Úrsula Ruchkys Universidade Federal de Minas Gerais
  • Rafael Tertolino Manini Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v14i4.8654194

Palavras-chave:

Geoética e associações científicas. Associações profissionais. Ruptura da barragem de Fundão. Geoética. Comunicação.

Resumo

A geoética é uma área emergente das geociências e a aplicação de seus princípios se mostra cada vez mais necessária. Esse arti-go tem como principal objetivo analisar o comportamento da sociedade civil organizada frente as causas e consequências do rompimento da Barragem de Fundão, Mariana (MG) considerada a maior catástrofe do país. Para tanto apresenta uma relação entre geoética e mineração ao analisar a reação frente vazamento de rejeitos da barragem por parte dos organismos de estado, das ONGs, da comunidade científica geológica, das entidades profissionais em geologia e dos órgãos regulamentadores da profissão. As análises indicam a necessidade urgente de uma abordagem geoética em diferentes níveis e setores da comunidade geológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo de Tarso A. Castro, Universidade Federal de Ouro Preto

Professore do Depto. de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.

Úrsula Ruchkys, Universidade Federal de Minas Gerais

Professor do Depto de Cartografia, Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais.

Rafael Tertolino Manini, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduando do Curso de Filosofia - FAFICH, Bolsista de Iniciação Científica do Projeto Geoética aplicada à análise do rompimento da Barragem de Fundão e seus efeitos em Bento Rodrigues, Mariana (MG). Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

ANA. Agência Nacional das Águas. 2016. Encarte especial sobre a Bacia do Rio Doce. Rompimento da barragem em Mariana/MG. Brasília. Super. Planej. Rec. Hídricos. 50p.

Antón-Pacheco C., Arranz J.C., Barettino D., Carrero G., Giménez M., Gómez J.A., Gumiel J.C., López Pamo E., Martín Rubí J.A., Martínez Pledel B., de Miguel E., Moreno J., Ortiz G., Rejas J.G., Silgado A., Vázquez E.M. 2001. Actuaciones para el reconocimiento y retirada de los lodos depositados sobre el terreno, y su restauración edáfica y morfológica. Boletín Geológico y Minero, Vol. Esp.: 93-122.

Badera J. 2014. Problems of the social non-acceptance of mining projects with particular emphasis on the European Union. A literature review. Environmental & Socio-economic Studies, 2(1):27-34.

Castro P.T.A. 2016a. A tragédia Samarco em Mariana (MG) e seus efeitos ao longo do Rio Doce: porque é preciso difundir a geoética In: Congr. Bras. Geol., 48, Porto Alegre, 2016. Resumos... Porto Alegre, SBGeo.

Castro P.T.A. 2016b. Geoética. In: Mort H., Stewart I., Frank H.T., Castro P.T.A., Poester O. 2016. Mesa Redonda sobre Geoética e Geocomunicação. In: Congr. Bras. Geol., 48, Porto Alegre, 2016.

Castro P.T.A. 2017. Geoética. In: Mesa Redonda sobre Geoética. 39 Encontro Nacional dos Estudantes de Geologia, 2017, Ipoema.

Grupo da Força Tarefa. 2016. Avaliação dos efeitos e desdobramentos do rompimento da Barragem de Fundão em Mariana, MG. Belo Horizonte, Secr. Est. Desenv. Reg., Polít. Urbana e Gestão Metropolitana, Gov. Minas Gerais. 287p.

Ibama. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. 2015. Laudo técnico preliminar: impactos ambientais decorrentes do desastre envolvendo o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, MG. 38p.

Justiça Global. 2015. Vale de Lama. Relatório de inspeção em Mariana após o rompimento da barragem de rejeitos do Fundão. 44p.

Oliveira A.C., Haddad S. 2001. As organizações da sociedade civil e as ONGS de educação. Cadernos de Pesquisa, n.112, p. 61-83.

Poemas. Grupo Política, Economia, Mineração, Ambiente e Sociedade. 2015. Antes fosse mais leve a carga: avaliação dos aspectos econômicos, políticos e sociais do desastre da Samarco/Vale/BHP em Mariana (MG). Mimeo. 103 p.

Peppoloni S., Di Capua G. 2015. The meaning of geoethics. In: Wyss M., Peppoloni S. 2015. Geoethics. Ethical Challenges and Case Studies in Earth Sciences. Amsterdam: Elsevier. p. 3-14.

SBCS. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. 2016. A ciência do solo e o desastre de Mariana. Bol. Informativo, 42(1).

Singeo. Sindicato dos Geólogos no Estado de Minas Gerais. 2015. Jornal Martelando. Informativo Oficial do Sindicato dos Geólogos no Estado de Minas Gerais, (26).

Singeo. Sindicato dos Geólogos no Estado de Minas Gerais. 2016. Jornal Martelando. Informativo Oficial do Sindicato dos Geólogos no Estado de Minas Gerais, (27).

Downloads

Publicado

2018-12-07

Como Citar

CASTRO, P. de T. A.; RUCHKYS, Úrsula; MANINI, R. T. A sociedade civil organizada e o rompimento da barragem de fundão, Mariana (MG): porque é preciso difundir a geoética. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 14, n. 4, p. 439–444, 2018. DOI: 10.20396/td.v14i4.8654194. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8654194. Acesso em: 1 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos