Edições anteriores

  • Entrada monumental da Gruta do Lago Azul, ricamente ornamentada por estalactites e estalagmites, situada no município de Bonito, a E da Serra da Bodoquena e a sudoeste do município de Miranda. A região serrana foi edificada em unidades carbonáticas dos grupos Cuiabá e Corumbá, de idade Neoproterozoica. Fotografia: Adriano Gambarini.

    Publicação Contínua
    v. 16 (2020)

    Uma publicação periódica em Ciências da Terra que busca disseminar inovações e recursos de alta qualidade para difundir o conhecimento e aprimorar a Ciência e a Educação

    Imagem de Capa:
    Entrada monumental da Gruta do Lago Azul, ricamente ornamentada por estalactites e estalagmites, situada no município de Bonito, a leste da Serra da Bodoquena e a sudoeste do município de Miranda. A região serrana foi edificada em unidades carbonáticas dos grupos Cuiabá e Corumbá, de idade Neoproterozoica. (Fotografia: Adriano Gambarini)

  • Camadas rítmicas da Formação Irati, Permiano da Bacia do Paraná

    Publicação Contínua
    v. 15 (2019)

    Uma publicação periódica em Ciências da Terra que busca difundir inovações e recursos de alta qualidade para difundir o conhecimento e aprimorar a Ciência e a Educação

    Imagem de capa:
    Camadas rítmicas da Formação Irati, Permiano da Bacia do Paraná, exibindo bela alternância de dolomitos e folhelhos com espessuras milimétricas a centimétricas. Pedreira inativa em Assistência, Rio Claro, SP (Foto C.D.R. Carneiro)

  • Meandros ativos e meandros abandonados em vista aérea de afluente do Rio Tocantins, região entre Estreito e Carolina, Maranhão.

    out./dez.
    v. 14 n. 4 (2018)

    Uma publicação periódica em Ciências da Terra que busca difundir inovações e recursos de alta qualidade para difundir o conhecimento e aprimorar a Ciência e a Educação

    Imagem de capa:
    Meandros ativos e meandros abandonados em vista aérea de afluente do Rio Tocantins, região entre Estreito e Carolina, Maranhão. Ao fundo, relevos tabuliformes do Parque Nacional “Chapada das Mesas” sustentados por arenitos eólicos da Formação Sambaíba, de idade eotriássica e que, apesar de diacrônicos, são correlacionáveis ao Arenito Botucatu. (Foto: Marcelo Lerner)

  • Cordões arenosos fluviais em vista aérea do Rio Tocantins, região entre Estreito e Carolina, Maranhão.

    jul./set.
    v. 14 n. 3 (2018)

    Uma publicação periódica em Ciências da Terra que busca difundir inovações e recursos de alta qualidade para difundir o conhecimento e aprimorar a Ciência e a Educação

    Imagem de capa:
    Cordões arenosos fluviais em vista aérea do Rio Tocantins, região entre Estreito e Carolina, Maranhão. Ao fundo, relevos tabuliformes do Parque Nacional “Chapada das Mesas” sustentados por arenitos eólicos da Formação Sambaíba, de idade eotriássica e que, apesar de diacrônicos, são correlacionáveis ao Arenito Botucatu (Foto: Marcelo Lerner).

  • abr./jun.
    v. 14 n. 2 (2018)

    Uma publicação periódica em Ciências da Terra que busca difundir inovações e recursos de alta qualidade para difundir o conhecimento e aprimorar a Ciência e a Educação

    Imagem de capa:
    "Pedra Furada". Quartzitos intercalados com itabiritos,  Formação São Joaquim do Grupo Martinópole, Parque Nacional de Jericoacoara, CE (Foto: J.R. Malaquias Jr.).

  • Camadas horizontais, muito bem estratificadas, de siltitos da Formação Corumbataí, em corte da Rodovia SP-280, Pres. Castello Branco, porção central da pista capital-interior (Foto: C. D. R. Carneiro).

    jan./mar.
    v. 14 n. 1 (2018)

    Uma publicação periódica em Ciências da Terra que busca difundir inovações e recursos de alta qualidade para difundir o conhecimento e aprimorar a Ciência e a Educação

    Imagem de capa:
    Camadas horizontais, muito bem estratificadas, de siltitos da Formação Corumbataí, em corte da Rodovia SP-280, Pres. Castello Branco, porção central da pista capital-interior (Foto: C. D. R. Carneiro).

  • Reconstituição artística de uma paisagem do Pleistoceno sul-americano, com o notoungulado Toxodon, herbívoro de tamanho avantajado. (Desenho de Jorge Blanco). Ref. Braunn & Ribeiro 2017, Terræ Didatica, 13(2):131. DOI: https://doi.org/10.20396/td.v13i2.8650100

    set./dez.
    v. 13 n. 3 (2017)

    Uma publicação periódica em Ciências da Terra que busca difundir inovações e recursos de alta qualidade para difundir o conhecimento e aprimorar a Ciência e a Educação

    Imagem de capa:
    Reconstituição artística de uma paisagem do Pleistoceno sul-americano, com o notoungulado Toxodon, herbívoro de tamanho avantajado. (Desenho de Jorge Blanco). Ref. Braunn & Ribeiro 2017, Terræ Didatica, 13(2):131. DOI: https://doi.org/10.20396/td.v13i2.8650100.

  • Reconstrução de uma manada de Aelosaurus maximus com indivíduos de idades variadas (Pintura de Ariel Milani Martine).

    maio/ago.
    v. 13 n. 2 (2017)

    Uma publicação periódica em Ciências da Terra que busca difundir inovações e recursos de alta qualidade para difundir o conhecimento e aprimorar a Ciência e a Educação

    Imagem de capa:
    Reconstrução de uma manada de Aelosaurus maximus com indivíduos de idades variadas (Pintura: Ariel Milani Martine).

  • Delicadas estruturas coloridas, construídas por líquens e musgos na superfície de quartzitos proterozoicos da região de Diamantina, MG. (Foto: C. D. R. Carneiro).

    jan./abr.
    v. 13 n. 1 (2017)

    Uma publicação periódica em Ciências da Terra que busca difundir inovações e recursos de alta qualidade para difundir o conhecimento e aprimorar a Ciência e a Educação

    Imagem de capa:
    Diversificada população de líquens e musgos que se desenvolvem na superfície de rochas quartzíticas da Formação Galho do Miguel, região de Diamantina, MG. (Foto: C. D. R. Carneiro).

  • set./dez
    v. 12 n. 3 (2016)

  • maio/ago.
    v. 12 n. 2 (2016)

  • jan./abr.
    v. 12 n. 1 (2016)

  • set./dez.
    v. 11 n. 3 (2015)

  • maio/ago.
    v. 11 n. 2 (2015)

  • jan./abr.
    v. 11 n. 1 (2015)

1-25 de 31