Banner Portal
Dança na educação básica
PORTUGUÊS

Palavras-chave

Educação básica
Saberes sensíveis
Saberes relacionais
Imaginação
Ensino da dança

Como Citar

COSTAS, Ana Maria Rodriguez; ANDRIETA, Geovana; TORTORELLA, Luiza; TENÓRIO, Marina; HANADA, Ayumi. Dança na educação básica : reflexões sobre o papel dos licenciados em dança na construção de saberes artísticos no contexto escolar. Conceição/Conception, Campinas, SP, v. 7, p. 125–180, 2018. DOI: 10.20396/conce.v7i0.8653846. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conce/article/view/8653846. Acesso em: 27 maio. 2024.

Resumo

O presente artigo busca refletir sobre o sentido da presença da dança na educação básica e o papel do licenciado formado na área. Para tanto, focalizando o lugar da arte, e particularmente, da dança, partimos de uma contextualização histórica dos documentos que embasam os currículos nacionais, chegando na formulação da Base Nacional Curricular Comum e na reforma do ensino médio anunciada pela medida provisória 746/2016 –, procurando observar seus reflexos no ensino de dança hoje.  Seguimos então para discussões de algumas temáticas escolhidas pelas autoras: o papel da iniciação artística em dança como propiciadora da experiência estética e sua importância na construção da subjetividade; as práticas corporais e o desenvolvimento de valores como a singularidade, a alteridade e a noção de coletividade nas abordagens pedagógicas contemporâneas da dança; e, por fim, a imaginação e a criatividade como saberes cultivados nas experiências propostas por um projeto artístico inserido na escola. Por meio da discussão desses temas, nosso propósito é destacar a relevância do ensino da dança na escola, sob responsabilidade de professores formados nos cursos de licenciatura na área, capazes de trabalhar com a construção de saberes artísticos significativos para a formação de cidadãos plenos.

https://doi.org/10.20396/conce.v7i0.8653846
PORTUGUÊS

Referências

ALVES, Rubem. Os quatro pilares. São Paulo: Paulus, 2008. DVD, 4 v.

BRASIL, L. D. B. Lei nº9394/96-Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 20 de Dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Portal da Legislação: Leis Ordinárias 2016. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm.

BRASIL. Lei nº13278/2016, de 2 Maio de 2016. Altera o § 6o do art. 26 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que fixa as diretrizes e bases da educação nacional, referente ao ensino da arte. Portal da Legislação: Leis ordinárias 2016. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/l13278.htm.

BRASIL. Lei nº 5692/71, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Portal da Legislação: Leis ordinárias 2016. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5692.htm

BRASIL. Medida Provisória nº 746/2016, de 22 de Setembro de 2016. Institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e a Lei nº 11.494 de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, e dá outras providências. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Mpv/mpv746.htm.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional da Educação. Câmara Nacional de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica / Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação. 2000.

BRASIL. Secretaria da Educação Superior. Referenciais Curriculares Nacionais dos Cursos de Bacharelado e Licenciatura. Brasília: MEC/SES, 2010.

BRASIL. Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais para 1° a 4° série. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais para 5° a 8° série. Brasília: MEC/SEF.1998.

CASTRO, Ana Luisa Manzini Bittencourt de. O desenvolvimento da criatividade e da autonomia na escola: o que nos dizem piaget e vygotsky. Rev. psicopedag., São Paulo , v. 23, n. 70, pp. 49-61, 2006.

COSTAS, Ana Maria R.; XAVIER, Annamaria N. Dança e a questão do corpo na escola. In: CADERNO ARTE + EDUCAÇÃO. Propostas de reflexão e práticas de ensino para professores que atuam com as várias linguagens da arte na escola. IAVELBERG, Rosa. et al. São Paulo: Fundação Volkswagen e Editora Segmento, 2014.

COSTAS, A. M. R. Saberes Sensíveis no trânsito somático-dançante. In: Cristiane Wosniak; Nirvana Marinho. (Org.). O avesso do avesso do corpo - educação somática como práxis. 1ed.Joinville: Nova Letra, 2011, v. , p. 163-184.

DAYRELL, J. A escola como espaço sócio-cultural. In: DAYRELL, J. (org): Múltiplos Olhares: Sobre educação e cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1996.

DELORS, Jacques et al. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Séc. XXI. São Paulo: Cortez, 1996.

DUARTE JUNIOR, J.F. Fundamentos Estéticos da Educação. Campinas: Papirus Editora. 1998

DUARTE JÚNIOR, J.F. Por que arte-educação? 5ed. Campinas: Papirus, 1988.

INSTITUTO DE ARTES. Universidade Estadual de Campinas. Deliberação Congregação IA nº 028/2016: Referente a moção de repúdio à proposta da Base Nacional Curricular Comum - BNCC. Campinas, 2016.

FARINA, C. Pedagogia das afecções: arte atual, corpo e sujeito. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 14, n. 1, p. 45-53, jan./jun. 2006.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 6ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GODARD, Hubert. Foreword by Hubert Godard. In: MCHOSE, Caryn; FRANK, Kevin. How Life Moves: Explorations in Meaning and Body Awareness. Berkeley: North Atlantic Books, 2006b. p. ix-xiv.

JOHNSON, Don. Corpo. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1990. p. 151 - 171

LIMA, D. Gesto: Práticas e Discursos. 1ª edição. Rio de Janeiro, RJ: Cobogó, 2013. pp. 71-79.

LIMA, S. P. F de. Escolinha de arte do brasil: movimentos e desdobramentos. In: Anais do 21o Encontro Nacional da ANPAP; Rio de Janeiro, 2012 pp. 454-466.

LOUPPE, Laurence. Poética da dança contemporânea. Falta a cidade: Editora Orfeu Negro, 2012. pp. 27-49.

MACHADO, Meire Luci Bernardes Silva; ABREU-BERNARDES, Sueli Teresinha de. LEITURAS SOBRE O CONCEITO DE IMAGINAÇÃO EM GASTON BACHELARD. Revista Encontro de Pesquisa em Educação, Uberaba, v. 1, n. 1, p.59-69, out. 2013.

MARQUES, Isabel A.. Corpo, dança e educação contemporânea. Pro-Posições, [S.l.], v. 9, n. 2, p. 70-78, mar. 2016. ISSN 1982-6248. Disponível em: <http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8644138>. Acesso em: 06 nov. 2016.

MARQUES, I. Oito razões para ensinar dança na escola. In: Gilberto Icle. (Org.). Pedagogia da Arte: entre-lugares da escola. 1ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2012. v. 2., p.57- 72.

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Licenciatura em Dança. Departamento de Artes Corporais, Instituto de Artes, Unicamp. 2016.

RIBEIRO, M. M. O Prazer Estético: um laboratório somaestético na sala de aula de dança. Revista Brasileira de Estudos da Presença, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 133-146, jun. 2012. ISSN 2237-2660. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/25683>. Acesso em: 03 nov. 2016.

RICHTER, S. R. S. Bachelard e a experiência poética como dimensão educativa. Revista Educação. Santa Maria, n. 2, v.31, p.241-254, jul./dez.2006.

SAFRA, G. A face estética do self: teoria e clínica. 3ª edição. São Paulo, SP: Ideias & Letras, 2005.

SANT’ANNA, Denise Bernuzzi de. As infinitas descobertas do corpo. Cadernos Pagu (14). Campinas: 2000. p. 235 -249

SANT’ANNA, Denise Bernuzzi de. Corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea. São Paulo: Editora Estação Liberdade, 2001. p. 11 - 12, p. 87 - 101

SÃO PAULO. Secretaria da Educação. Coordenadoria de Gestão da Educação Básica. Orientações Curriculares e Didáticas de Arte para Ensino Fundamental – anos iniciais. São Paulo: SEE 2014. 17p.

SÃO PAULO. Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo.: Linguagens, códigos e suas tecnologias. 2ed. São Paulo: SEE, 2011. 260p.

STRAZZACAPPA, Márcia. A educação e a fábrica de corpos: a dança na escola. Cadernos Cedes, v. 21, n. 53, p. 69-83. Campinas: 2001.

Licença Creative Commons
A Conceição/Conception utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto. A revista permite que o autor retenha os direitos de publicação sem restrições.

Downloads

Não há dados estatísticos.